TESTOSTERONA E REPRODUÇÃO NA MULHER

FONTE http://www.ipgo.com.br/

Uso de testosterona antes do estímulo ovariano

As mulheres que respondem mal aos estímulos ovarianos (más respondedoras), mesmo com o uso de doses máximas de medicações, representam sempre um grande desafio ao médico especialista. Estes casos representam 9 a 24% das pacientes submetidas a ciclos de fertilização in vitro e independente do protocolo de estimulação usado, os resultados são baixos, com altas taxas de cancelamento e baixas taxas de gravidez.
Um estudo realizado por Bosdou e Colaboradores, publicado na revista Human Reproduction Update avaliou o uso da testosterona previamente a ciclos de FIV na tentativa de aumentar a resposta ovariana em pacientes más respondedoras. Esta pesquisa demonstrou que o uso de testosterona transdérmica antes do ciclo de FIV parece aumentar a taxa de gravidez em 15% e a taxa de nascimento em 11%. Além disso, diminui a dose de gonadotrofina necessária e o número de dias de estímulo. Embora ainda sejam necessários mais estudos, este trabalho aponta uma nova possibilidade de tratamento complementar para as pacientes com baixa resposta à estimulação ovariana.
Quatro publicações estudaram o uso da testosterona prévia nos tratamentos de fertilização in vitro: 2 com gel e 2 com patch.

Gel de testosterona:

1- Estudo feito na Coreia do Sul com 110 pacientes más respondedoras, onde metade recebeu testosterona gel 1% – (dose equivalente a 12,5 mg de testosterona com taxa de absorção de 10%), por 21 dias prévio ao ciclo associado a pílula. No grupo controle só deu pílula. Em todas foi usado Cetrotide. Observou: menos doses de gonadotrofina necessárias, menos dias, maior numero de óvulos coletados e fertilizados, mais embriões bons, maior taxa de implantação e maior taxa de gravidez no grupo de testosterona. Não foi observado efeito colateral.

2- Estudo realizado em paris com 50 mulheres, metade usou testosterona 1% 1g/dia (equivalente a 10 mg de testosterona por dia, com absorção de 10%). Usou por 15 a 20 dias antes do ciclo (durante o lupron ou durante uso de pilula), não houve diferença entre os grupos.

Patch (adesivo) de testosterona:

3- Estudo feito em Barcelona com 62 mulheres. Todas tiveram protocolo longo. Quando confirmava a supressão, metade usou 5 dias de patch de testosterona 2,5 mg/d antes de iniciar o estimulo. Houve menor número de ciclos cancelados, menor dose de gonadotrofina e menos dias.

4- Este estudo avaliou 25 más respondedoras e repetiu o protocolo prévio usando também 5 dias de adesivo de testosterona antes do estímulo e das 25, 20 tiveram melhor resposta com aumento de número de embriões e a taxa de gravidez foi de 30%.

CONCLUSÃO:

Apesar de já bastante conhecidas, as disfunções sexuais femininas deixam de ser diagnosticadas, muitas vezes, por inibição da paciente (que não apresenta a queixa) ou do médico (que se constrange de investigar). O diagnóstico desses quadros é de suma relevância, uma vez que interferem na qualidade de vida, além de estarem geralmente associados a questões de saúde geral. Analisar a função sexual da mulher auxilia, ainda, na identificação da causa de muitos conflitos psíquicos e relacionais e/ou quadros psiquiátricos. O tratamento das disfunções sexuais femininas é tanto mais difícil quanto mais precoces a instalação do quadro e a fase do ciclo de resposta sexual atingida. Comparativamente com os recursos já existentes para as disfunções sexuais do homem, as mulheres disfuncionais contam com menor número deles e menos critérios terapêuticos estabelecidos para fazer frente à saúde sexual de seus parceiros. A investigação clínica de rotina traz à tona a relevância da questão e a necessidade de mais pesquisas.

 

 

DÚVIDAS COMUNS:

GESTANTE PRODUZ TESTOSTERONA? Sim  e esta produção tende a se elevar ao longo da gestação muitas vezes até aumentando a quantidade de pelos pelo corpo e até melhorando  a libido (desejo sexual)

QUAIS OS EFEITOS DA TESTOSTERONA  NA GRAVIDEZ? Em excesso , oleosidade, queda de cabelo, acne e excesso de pelo.

GESTANTE PODE USAR TESTOSTERONA DURANTE A GRAVIDEZ?  NÃO

TESTOSTERONA ALTA IMPEDE A GRAVIDEZ? Caso esteja desregulando o ciclo menstrual e diminuindo  a produção de LH e FSH , SIM!

A MULHER NO PÓS PARTO PODE USAR TESTOSTERONA, ESTRADIOL OU PROGESTERONA? ENQUANTO ESTIVER AMAMENTANDO NÃO, POIS HÁ RISCO DE PASSAGEM DO HORMÔNIO PARA A CRIANÇA ALÉM DE DIMINUIR A PROLACTINA E SUPRIMIR A PRODUÇÃO DE LEITE NO CASO DA PROGESTERONA.

QUAIS HORMÔNIOS A MULHER PODE USAR ENQUANTO ESTIVER AMAMENTANDO? Hormônio tiroidiano caso tenha hipotiroidismo, insulina caso tenha diabetes, hidrocortisona caso tenha insuficiência adrenal, ocitocina caso haja  indicação para tal.

HORMÔNIOS COMO OXANDROLONA , ESTANOZOLOL E NANDROLONA ATRAPALHAM A GRAVIDEZ? Sim , pois tendem a diminuir o FSH e o LH durante o uso assim  como  os anticoncepcionais hormonais.

 

 

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidAs

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Posts recentes

Me siga

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp