(Last Updated On: 29/08/2017)

Há quatro décadas quando a expectativa de vida alcançava meros 60 anos, falar em menopausa era como anunciar o prenúncio da velhice e a proximidade ao término da existência.

Nos dias atuais, é IMPENSÁVEL qualquer similaridade, sendo um dos maiores problemas de saúde pública.

Mulheres que cuidam da sua saúde se alimentando adequadamente, praticando atividades físicas, não fumando, gerenciando o estresse e indo a médicos regularmente provavelmente viverão por muito tempo em menopausa e isso pode afetar diretamente a qualidade de vida destas mulheres além aumentar a chance de inúmeras doenças relacionadas a esta deficiência hormonal

Significado da palavra Menopausa:

Palavra criada em 1816 para designar as interrupções das menstruações que ocorre em consequência da falência ovariana fisiológica. Pode ser determinada cronologicamente pela ausência de menstruação por pelo menos 1 ano.

Climatério (do grego Klimakter) = ponto CRÍTICO DA VIDA: é o período imediatamente antes da menopausa e os anos posteriores.

Realidade Brasileira:

  • Mais de 45 milhões de mulheres no climatério.
  • Mas de 22 milhões de mulheres na menopausa.
  • Menos de 10% fazes reposição hormonal.
  • 80% abandonam o tratamento em 6 meses.

CONTRA INDICAÇÕES NO TRATAMENTO: (1)

  • Câncer de mama e endométrio ativo
  • Câncer de mama tratado a menos de 5 anos (pacientes curadas a mais de 5 anos e sem sinal de metástases podem ser tratadas)
  • Sangramento uterino de causa não dignosticada.
  • Doença hepática aguda e severa.
  • Doença tromboembólica aguda.
  • Cãncer hormônio dependente em atividade.
  • Pacientes que tiveram cancer de endométrio estágio 1 e foram histerectomizadas ( retirado do útero) podem ser tratadas.
  • História familiar de câncer de mama não contra indica tratamento.Em um estudo norte americano a taxa de mortalidade foi menor nas pacientes que tinham histórico familiar de cancer de mama e fizeram terapia de reposição hormonal
(1) TEXTOS RETIRADO DOS LIVROS – ENDOCRINOLOGIA- GUIAS DE MEDICINA AMBULATORIAL E HOSPITALAR DA UNIFESP – EPM – PRIMEIRA EDIÇÃO – 2009 , página 295; ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA -LÚCIO VILAR – QUARTA EDIÇÃ- PÁGIBA 577

Uma brilhante conclusão: se 67 milhões de mulheres estão no climatério – menopausa e apenas 10 % está sob tratamento , quase 60 milhões estão sem tratamento, concordam?

Será que temos então, 60 milhões de mulheres com as contra indicações citadas acima? Tenho certeza que não.

Portanto, porquê não tratar???

Um pouco de fisiologia:

A partir da puberdade a orquestra ovariana feminina é regida por dois hormônios da hipófise, FSH (hormônio folículo estimulante) e LH (hormônio luteinizante). Ambos de maneira coordenada vão até os ovários estimulando – os a produzirem estrogênios e progesterona.

LEMBRETE: Estrogênio é uma classe de hormônio e não um hormônio.

Os estrogênios humanos são: estradiol, estriol e estrona.

Entenda o que ocorre no ciclo menstrual antes do climatério/menopausa:

Esses hormônios ditam inúmeras funções ao longo da vida:

  • Características femininas ao corpo como cintura menor que o quadril (corpo em violão), voz fina, seios e pele aveludada.
  • Desenvolvimento de órgãos sexuais internos e externos ex. útero, trompas e vagina.
  • Ciclos menstruais/ovulação, permitindo as mulheres essa dádiva da vida chamada gestação.
  • Formação de tecido ósseo.
  • Aumentam o metabolismo.
  • Aumentam o depósito de proteínas favorecendo o ganho de massa magra.
  • Depósito de gorduras em locais como glúteos, mamas e coxas o que muitas vezes caracteriza um corpo feminino.
  • Proteção cardiovascular.

Sistema reprodutor feminino:

SINTOMAS DO CLIMATÉRIO:

  • Alterações no sono
  • Ondas de calor – FOGACHOS
  • Flacidez mamária
  • Cansaço
  • Dor durante o ato sexual – dispareunia
  • Alterações psíquicas como tristeza e ansiedade
  • Aumento de peso
  • Diminuição do desejo sexual
  • Diminuição da vaidade e da auto-estima
  • Queda importante na qualidade de vida

DOENÇAS DA MENOPAUSA LIGADAS A DIMINUIÇÃO DOS ESTROGÊNIOS

  • Osteoporose
  • Hipertensão arterial
  • Resistência a insulina – Diabetes Melitus
  • Obesidade
  • Cardiopatias
  • Alzheimer
  • Dislipidemia – aumento de colesterol ruim, LDL, e diminuição do bom colesterol, HDL.
  • Depressão e outros transtornos psíquicos
  • Tromboses
  • Câncer

Mecanismo de proteção cardiovascular:

  • Aumenta o oxido nítrico
  • Aumenta PGI2
  • Reduz a endotelina
  • Reduz tromboxano A2
  • Reduz a atividade plaquetária
  • Reduz citocinas pró inflamatórias
  • Diminui a resistência a insulina
  • Pode exercer efeito hipotensor

Entenda porquê existe essa associação entre terapia de reposição hormonal na menopausa e câncer de mama e tire suas próprias conclusões:

Em 1994, um estudo conduzido pelo National Institutes of Health chamado Women’s Health Initiative (WHI) teve inicio com o objetivo de demonstrar que Premarin (R) e Provera (R) poderiam além de melhorar os sintomas da menopausa, poderiam proteger as mulheres de problemas cardiovasculares, osteoporose e câncer.

Este estudo estigmatizou a terapia de reposição hormonal em mulheres, pois neste estudo as participantes tiveram:

  • Aumento de 26 % na incidência de câncer de mama.
  • Aumento de 41% de AVC.
  • Aumento de 22% de doenças coronarianas.

Apesar disto o estudo teve alguns pontos positivos:

  • Diminuição de 37 % de câncer de colon.
  • Redução de 33% de fratura de quadril.
  • Redução de 24 % em incidência geral de fraturas.

Por ignorância ou por simplesmente desconhecer a fisiologia humana os idealizadores do citado estudo citado utilizaram hormônios retirados de urina de égua prenha (ainda utilizados nos dias de hoje) com o nome fantasia de:

PREMARIN(R) = PREgnant, MARe, uriNE, o qual é composto de 38 estrógenos conjugados dos quais só se conhece a ação de cinco:

  • Estrona (tem ação cancerígena)
  • Sulfato de equilina em sódica (inexiste em humanos)
  • 17 alfa dihidroequilina ( inexiste em humanos)
  • 17 alfa estradiol ( inexiste em humanos)
  • 17 beta dihidroequilina ( inexiste em humanos)

Outro hormônio utilizado foi o progestogênio acetato de medroxiprogesterona (PROVERA(R)): é diferente de progesterona; tem ação anti progesterona

Entenda melhor:

Atualmente a distinção entre progesterona bioidêntica/natural e a forma sintética Progestogênio (acetato de medroxiprogesterona) ainda se mantém bastante polêmica e não compreendida. Progesterona é utilizada por especialistas em fertilização para proteger a gestação, enquanto medroxyprogesterone (Provera (R)) é utilizado em pílulas do dia seguinte e anticoncepcionais para IMPEDIR a gestação. PORTANTO, SUAS AÇÕES SÃO COMPLETAMENTE DIFERENTES.

UM ADENDO AO CONHECIMENTO – 1:

O acetato de medroxiprogesterona, progestágeno mais utilizado na THM (terapia de reposição hormonal) durante muitos anos, tem ação glicocorticóide, promovendo retenção hídrica e ganho de peso além ANTAGONIZAR os benefícios cardiovasculares dos estrogênios. Foi o progestágeno utilizado nos grandes estudos prospectivos sobre THM, que mostraram aumento na incidência de coronariopatia, de acidente vascular cerebral, de tromboembolismo venoso, e câncer de mama no grupo em uso de reposição hormonal

TEXTO RETIRADO DO LIVRO ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA – QUARTA EDIÇÃO – LÚCIO VILAR página 575 –

VOLTANDO,

Além disso, o estudo foi feito com mulheres que já tinham anos de menopausa. Neste período tais mulheres ficam apenas sob ação da ESTRONA que é produzida na supra-renal e tem ação cancerígena.

Antes da menopausa o estradiol, o estriol e a progesterona produzidos pelos ovários protegem as mamas contra a ação de estrona

Não é para menos que tivemos um aumento de câncer de mama. Aliás, acho que ficaria surpreso se não acontecesse nada.

CONCLUSÕES SOBRE OS ERROS METODOLÓGICOS QUE ESTIGMATIZARAM A TERAPIA DE REPOSIÇÀO HORMONAL EM MULHERES:

  1. Estrógeno errado
  2. Progesterona errada
  3. Via errada
  4. Mulheres erradas

A terapia de reposição hormonal para tratar os sintomas e doenças da menopausa é uma questão bastante polêmica que pode, muitas vezes por falta de compreensão, impedir que pacientes recebam tratamentos seguros e eficazes. Após o término do WHI, de um dia para outro os médicos tiraram essas medicações de milhões de mulheres .Muitas começaram a se sentir muito mal com a retirada abrupta das medicações, porém os médicos foram taxativos e passaram a prescrever anticoncepcionais e antidepressivos.

Um ano após o ocorrido, o American College of Obstetrics and Gynecology criou guidelines orientando os médicos a prescreverem as mesmas drogas, porém em doses mais baixas e por períodos mais curtos. Porém, e essa é a grande questão, a segurança dessa “opção de baixa dose” NUNCA foi comprovada cientificamente.

Enquanto isso muitos médicos ignoraram os efeitos do ESTRADIOL e da PROGESTERONA “bioidêntica”, que é formulada para ser idêntica a molécula produzida pelo corpo humano.

Há 25 anos se iniciaram as pesquisas cientificas nos EUA e Europa que demonstram que hormônios bioidenticos, estradiol e progesterona micronizada, são iguais ou mais eficazes que os sintéticos e mais seguros. Porém, a medicina tradicional “enfiou” a cabeça debaixo da terra e recusa reconhecer esses estudos seriamente. Enquanto na Europa os hormônios bioidênticos são usados há muito tempo, nos Estados Unidos apenas em 1998 algumas empresas farmacêuticas receberam aprovação do FDA. Infelizmente as empresas farmacêuticas controlam ainda o que é passado para os médicos que em sua maioria nunca aprenderam sobre hormônios bioidênticos.

A classe médica deveria parar de atender os desejos da indústria farmacêutica e começar a atender com mais prioridade os interesses das suas pacientes, e isso envolve prescrever hormônios bioidênticos, pois isso irá levar a mulheres mais saudáveis, felizes e no longo prazo irá diminuir os custos com saúde.

Tanto os estrogênios sintéticos como os naturais tem se mostrado eficazes nas preservação da massa óssea e na melhora da sintomatologia. Entretanto, na terapia de reposição hormonal do climatério e na menopausa os naturais são mais indicados ( Lindsay ET AL .,1997)”*

*TEXTO RETIRADO DO LIVRO – ENDOCRINOLOGIA- GUIAS DE MEDICINA AMBULATORIAL E HOSPITALAR DA UNIFESP – EPM – PRIMEIRA EDIÇÃO – 2009

Modo de usar os hormônios bioidênticos ovarianos:

  • Creme ou gel de absorção transdérmica ( pele pele ) contendo estradiol e estriol nas proporções adequadas.
  • Creme ou gel de absorção transdérmica ( pele pele ) ou capsula pela via oral contendo progesterona.

Por que preferimos a via transdérmica?

Hormônios ovarianos por via oral :

  1. Aumentam a pressão arterial já que aumentam o angiotensinogenio.
  2. Aumentam os triglicérides pela passagem hepática.
  3. Aumentam a estrona – hormônio cancerígeno.
  4. Reduzem os níveis de testosterona endógena.
  5. Aumentam o risco de trombose pela primeira passagem hepática já que diminui antitrombina 3.
  6. Causam toxidade hepática.
  7. Tem pouca ou nenhuma similaridade fisiológica.
  8. Elevada flutuação sanguínea.
  9. Reduz os níveis de serotonina e triptofano, substancias relacionadas ao prazer e bem estar.
  10. 10- Aumenta o risco de cálculo ne vesícula

QUEM SÃO OS VERDADEIROS VILÕES DO CÂNCER DE MAMA:

  • Xenoestrogênios: grupo com mais de 50 substancias químicas , que imitam as ações de estrógenos com alto alto tempo de retenção no organismo. Se ligam de forma ávida aos receptores estrogênicos impedindo a ligação do hormonio endógeno. Estão presentes em plásticos, cosméticos de beleza, carnes, peixes, frangos e pesticidas
  • Obesidade
  • Resistência a Insulina – glicação
  • Álcool em excesso
  • Anticoncepcionais hormonais por longos períodos
  • Submetilação – aumento de homocisteína
  • Inflamação crônica ou sub clínica
  • Tabagismo
  • Estilo de vida
  • Predisposição genética
  • Menopausa

“CONCLUINDO: HORMÔNIO CERTO, NA DOSE CERTA, PELA VIA CERTA, NÃO CAUSA CÂNCER DE MAMA EM MULHERES, AO CONTRÁRIO, PREVINE.”

 

REFERÊNCIAS:

Hormonio bioidênticos Versus Não Idênticos:

Resultados clínicos demonstram que os hormônio biodênticos estão associados com riscos menores, incluindo o risco de câncer da mama e doenças cardiovasculares, e são mais eficazes do que não idênticos . Até ser encontrada alguma evidência contrária, os bioidênticos continuam sendo o método preferido na terapia de reposição hormonal . Mais estudos controlados e randomizados são necessários para delinear essas diferenças de forma mais clara.
The Bioidentical Hormone Debate: Are Bioidentical Hormones (Estradiol, Estriol, and Progesterone) Safer or More Efficacious than Commonly Used Synthetic Versions in Hormone Replacement Therapy?

 

 

1- Publicação do Jornal Europeu de Menopausa e Andropausa mostra que repor os hormônios naturais (bioidênticos) estradiol e progesterona pela pele na menopausa tem os seguinte benefícios:

• Não aumenta a chance de tromboses, ao contrário dos não bioidênticos

• Protege contra a hipertensão

• Protege os vasos do cérebro

• Não aumenta a chance de câncer de mama

http://www.maturitas.org/article/S0378-5122(08)00204-1/abstract

Resumo

A Terapia de Reposição Hormonal (TRH) em mulheres pós-menopáusicas jovens é uma ferramenta segura e eficaz para combater os sintomas do climatério e prevenir doenças degenerativas a longo prazo, tais como fraturas osteoporóticas, doenças cardiovasculares, diabetes mellitus e insuficiência possivelmente cognitiva. Os diferentes tipos de oferta de TRH são comparáveis na eficácia em controlar os sintomas; no entanto, a seleção de compostos específicos, doses ou vias de administração por peritos, pode proporcionar vantagens clínicas significativas. Este artigo analisa o papel da via não oral de administração de esteroides sexuais no manejo clínico das mulheres na pós-menopausa. A administração por via não oral dos estrogênios minimiza a indução hepática de fatores de coagulação e de outras proteínas associadas com o efeito de primeira passagem, e estão associados com potenciais vantagens sobre o sistema cardiovascular. Em particular, o risco de desenvolvimento de trombose venosa profunda ou tromboembolismo pulmonar é negligenciável em comparação com o que se relaciona com estrogênios orais. Além disso, as indicações recentes sugerem vantagens potenciais para controle da pressão arterial com estrogênios não orais. Na mesma medida, uma literatura crescente sugere que as progestinas usadas em associação com estrogênios podem não ser equivalentes. Evidências recentes, de fato mostram que a progesterona natural exibe uma ação favorável sobre os vasos e no cérebro, enquanto isso pode não ser verdade para algumas progestinas sintéticas. Indicações convincentes de que também existem diferenças podem também estar presentes para o risco de desenvolver câncer de mama, com estudos recentes indicam que a associação de progesterona natural com estrogênios confere menor ou mesmo nenhum risco de câncer de mama, em oposição ao uso de outras progestinas sintéticas. Em conclusão, enquanto todos os tipos de terapias de substituição hormonal são seguros e eficazes e conferem benefícios significativos a longo prazo quando iniciado em jovens mulheres pós-menopáusicas, em situações clínicas específicas a escolha da via de administração transdérmica de estrogênios e a utilização de progesterona natural podem oferecer benefícios significativos e maior segurança.

2 – Conclui-se que a terapia de reposição de estrogênio fisiológico (natural – bioidêntico), com ou sem progesterona adicionada, inibe a progressão da aterosclerose em macacas ovariectomizadas (sem ovários) . Isto pode explicar o porque dos resultados da terapia de reposição de estrogênio na redução do risco de doença coronária em mulheres pós-menopáusicas.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2244855

Resumo

Embora polêmica continue, a preponderância de evidências indica que a terapia de reposição de estrogênio influencia favoravelmente o risco de doença cardíaca coronariana em mulheres pós-menopáusicas. Permanece incerto como este efeito é mediado e se a adição cíclica de uma progestina pode influenciar negativamente o efeito cardioprotetor relacionado com estrogênio. Nós investigamos a influência da terapia de reposição de hormônios sexuais sobre a aterosclerose coronária induzida por dieta, em fêmeas adultas de macacos cinomolgos estrogênio deficiente (ovariectomizadas). As macacas foram distribuídas aleatoriamente a um dos três grupos de tratamento: 1) nenhuma substituição hormonal (n = 17), 2) administradas continuamente de estradiol 17-beta e progesterona administrados ciclicamente (n = 20), e 3) administrados continuamente de estradiol 17-beta (n = 18). Os padrões fisiológicos de estradiol plasmático e concentrações de progesterona foram mantidos pela administração de implantes subcutâneos de Silastic (hormônio no de libertação prolongada). O experimento teve duração de 30 meses. Na necropsia, aterosclerose da artéria coronária foi inibida da mesma forma (reduzida em cerca de metade) em animais em ambos os grupos de substituição hormonal (p menor ou igual a 0,05). O efeito antiaterogênico da reposição hormonal era independente da variação dos níveis de colesterol total do plasma, e das concentrações da apoproteína A- 1 e B, da heterogeneidade da sub-fração HDL, e do peso molecular da lipoproteína de baixa densidade (LDL). Conclui-se que a terapia de reposição de estrogênio fisiológico com ou sem progesterona adicionado inibe a progressão da aterosclerose em macacas ovariectomizadas. Isto pode explicar porque a terapia de reposição de estrogênio resulta na redução do risco de doença cardíaca coronariana em mulheres pós-menopáusicas.

3 – Terapia de reposição hormonal melhora a função muscular em mulheres na menopausa

http://jp.physoc.org/content/early/2013/02/28/jphysiol.2012.250092.abstract

Resumo

O envelhecimento é associado a um declínio da massa muscular e força levando ao aumento da dependência física na velhice. As mulheres na pós-menopausa experimentam um declínio maior do que os homens da mesma idade, em paralelo com a diminuição da produção de hormônios esteroides sexuais femininos. Foram recrutados seis pares de gêmeas homozigotas (55-59 anos de idade), onde apenas um par de gêmeas estava em terapia de reposição hormonal (TRH = 7,8 ± 4,3 anos) para investigar a associação da TRH com o volume citoplasmático apoiado por mionúcleos individuais (tamanho do domínio mionuclear, MND), juntamente com a força específica no nível de fibra única. A TRH foi associada com uma significativa redução (~ 27%, p <0,05) do tamanho médio (MND) em fibras musculares que expressam a cadeia I, mas não a isoforma de cadeia pesada da miosina IIa (MyHC). Em comparação com as não-usuárias, maior força específica foi registrada em usuárias de TRH, tanto nas fibras musculares expressando tipo I (~ 27%, p <0,05) e isoforma MyHC tipo IIa (~ 23%, p <0,05). Essas diferenças foram dependentes do tipo fibra, ou seja, a força superior específica nas fibras musculares de contração rápida foram causadas principalmente pela maior força por ponte cruzada, enquanto as fibras de contração lenta invocaram tanto um maior número de pontes cruzadas e força por ponte cruzada. A TRH não teve nenhum efeito sobre a área de secção transversa da fibra (AST), a velocidade de encurtamento sem carga (V0) e proporção relativa das isoformas de MyHC. Em conclusão, a HRT parece ter efeitos positivos significativos tanto na regulação da contração muscular quanto na organização dos mionúcleos em mulheres na pós-menopausa.

4 – Reposição de DHEA melhora função sexual na pós-menopausa

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21942655

Resumo

O desejo sexual é afetado por fatores endócrino e psicossociais. Alterações hormonais da menopausa são relevantes para as causas da disfunção sexual durante o envelhecimento reprodutivo. Para avaliar os efeitos de diferentes tipos de terapia hormonal de reposição hormonal (TRH) sobre a função sexual, frequência de relações sexuais, e qualidade de relacionamento em mulheres com pós-menopausa precoce. Foram recrutadas 48 mulheres pós-menopáusicas saudáveis com idade entre 50-60 anos (54,5 ± 3,3 anos de idade média). As mulheres com sintomas climatéricos foram uniformemente distribuídas aleatoriamente em três grupos que receberam tanto a dehidroepiandrosterona (DHEA 10 mg) por dia, ou de estradiol oral diária (1 mg) mais dihydrogesterone (5 mg), ou tibolona diária oral (2,5 mg) durante 12 meses. As mulheres que se recusaram a terapia hormonal por via oral foram tratadas com vitamina D (400 UI). A eficácia foi avaliada usando o questionário McCoy de Sexualidade Feminina antes do tratamento e após 12 meses. Nós avaliamos o perfil hormonal antes do tratamento e após 3, 6 e 12 meses. Os grupos que receberam DHEA ou TRH relataram uma melhora significativa na função sexual em relação ao basal (p <0,001 e p <0,01, respectivamente), utilizando a pontuação total McCoy. A qualidade da relação foi semelhante no início e após 3, 6 e 12 meses de tratamento. Houve aumentos significativos no número de episódios de relações sexuais nas 4 semanas anteriores em mulheres tratadas com DHEA, o HRT e tibolona em comparação com o valor basal (p <0,01, p <0,05, p <0,01, respectivamente). Não houve alteração de McCoy pontuação ocorreu em mulheres que receberam vitamina D. A terapia oral diária de DHEA na dose de 10 mg, TRH e tibolona todas proporcionaram uma melhora significativa em comparação com a vitamina D na função sexual e na frequência das relações sexuais em mulheres na pós-menopausa precoces.

5 – Estradiol pode diminuir chance de progressão do câncer de mama

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24002591

Resumo

Os estrogênios geralmente estimulam a progressão do câncer de mama receptor de estrogênio (ER)-positivo. Paradoxalmente, doses elevadas de estrogênios suprimem o crescimento dos tumores em certas circunstâncias. Prospectivamente examinaram a eficácia e a segurança do tratamento de etinilestradiol (3 mg por dia por via oral) em pacientes na pós-menopausa com câncer de mama avançado ou recorrente ER-positivo que havia recebido anteriormente terapias endócrinas, especialmente aqueles com resistência a inibidores da aromatase. Dezoito pacientes foram incluídos com a idade média de 63 anos e o tempo médio de observação de 9,2 meses. Três casos retiraram-se dentro de 1 semana devido a reações ao estrogênio como fogacho com náuseas, fadiga e dor músculo-esquelética. A taxa de resposta foi de 50% (9 em 18), e da taxa de benefício clínico foi de 56% (10 de 18). A doença estável (<6 meses) foi 17% (3 em 18) e outros dois casos foram julgados como doença progressiva. Falha no tempo de tratamento foi uma mediana de 5,6 meses (intervalo 0,1-14,5 (+)). Apesar de o sangramento vaginal ou espessamento do endométrio ter sido observado em pacientes que receberam tratamento a longo prazo, não houve eventos adversos graves, como trombose venosa profunda ou outras doenças malignas. Embora o mecanismo deste tratamento não seja totalmente compreendido, os nossos dados podem contribuir para mudar a visão comum de terapia endócrina no estágio final.

6- Vitamina B6 pode prevenir osteoporose na menopausa

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23238962

Resumo

Este estudo de coorte prospectivo que exaustivamente examinou os efeitos de diferentes vitaminas B em uma população asiática mostrou uma relação inversa entre a ingestão dietética de piridoxina e o risco de fratura de quadril em mulheres idosas. Estes resultados sugerem que a manutenção ingestão suficiente de piridoxina pode ser benéfica na preservação da saúde óssea em mulheres na pós-menopausa. Vitaminas B foram recentemente investigadas quanto aos seus possíveis papéis na manutenção da saúde dos ossos. A incidência de fratura de quadril por osteoporose tem vindo a aumentar na Ásia, mas os dados epidemiológicos sobre dieta vitaminas B e risco de fraturas osteoporóticas são escassos. Nosso objetivo foi examinar a associação entre a ingestão dietética de vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina, niacina, piridoxina, ácido fólico e cobalamina) e risco de fratura do quadril entre os chineses idosos, em Cingapura. O presente estudo foi realizado no Estudo de Saúde chinês Cingapura, que é um estudo prospectivo de coorte de base populacional que envolveu um total de 63.257 homens e mulheres com idade entre 45-74 anos, entre 1993 e 1998. Ingestão dietética de vitaminas B foi derivada de um validado questionário de frequência alimentar e Banco de Dados de composição dos alimentos de Cingapura. Após um período médio de acompanhamento de 13,8 anos, foram identificados 1.630 casos incidentes de quadril fratura. A relação inversa estatisticamente significativa entre a ingestão dietética de piridoxina e risco de fratura do quadril foi observada entre as mulheres (P = 0,002), mas não entre os homens. Em comparação com as mulheres na menor ingestão quartil (0,37-0,61 mg / 1.000 kcal / dia), as mulheres em maior ingestão quartil (0,78-1,76 mg / 1.000 kcal / dia) tiveram uma redução de 22% no risco de fratura de quadril. Ingestão dietética de outras vitaminas B de interesse não foram relacionados ao risco de fratura de quadril. Nossos resultados sugerem que a manutenção de ingestão adequada de piridoxina pode prevenir fraturas osteoporóticas em mulheres idosas.

7 – Estrogênio melhoram massa muscular, óssea e tecido conjuntivo

http://jap.physiology.org/content/115/5/569.abstract

Resumo

Há um crescente corpo de informações apoiando os efeitos benéficos do estrogênio e a terapia à base do hormônio estrogênio (HT) na manutenção e aumento da massa muscular, força e tecido conjuntivo. Estes efeitos são também evidentes na recuperação avançada de atrofia muscular ou danos e tem implicações significativas em particular para a saúde muscular de mulheres pós-menopáusicas. Evidências sugerem que a HT também irá ajudar a manter ou aumentar a massa muscular, melhorar a recuperação muscular pós-atrofia, e aumentar a força muscular em mulheres idosas. Isto é importante porque, nesta população, em especial, está em risco para um rápido início de fragilidade. Os benefícios potenciais de estrogênio e HT em relação à função muscular esquelética e composição combinada com outras melhorias para a saúde associados à redução do risco de eventos cardiovasculares, mortalidade geral e disfunção metabólica, bem como um reforço da cognição e osso acumular saúde em um forte argumento para consideração mais ampla e prolongada do HT se proximal começou a menopausa início na maioria das mulheres. Relatórios anteriores de aumento de riscos para a saúde com o uso de HT em mulheres pós-menopáusicas levou a um declínio no uso HT. No entanto, a reavaliação recente sobre os efeitos na saúde da HT indica uma falta geral de riscos e uma série de benefícios para a saúde significativos de uso HT quando iniciadas no início da menopausa. Apesar de mais pesquisas ainda são necessárias para delinear completamente seus mecanismos de ação, o uso geral de HT por mulheres na pós-menopausa, para melhorar a massa muscular e força, bem como a saúde em geral, com a iniciação, logo após o início da menopausa devem ser considerados.

8 – Estudo sugere alterações relacionadas aos hormônios sexuais endógenos na menopausa, como um possível mecanismo de ação para explicar a maior limitação no funcionamento físico relatada em mulheres na meia-idade.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24465026

Resumo

Para avaliar as associações longitudinais entre estado de menopausa, as mudanças hormonais relacionadas e nível de funcionamento físico auto-relatados. Estudo incluiu 2.495 mulheres (idade: 45-57 entre 2000 e 2001) do Estudo de Saúde das Mulheres em todo o país. Escala funcionamento físico do Medical Outcomes Study Short-Form (SF-36; marcar 0-100) foi categorizada como: nenhuma limitação (86-100), limitação moderada (51-85), e limitação substancial (0-50). As variáveis do estudo foram coletados entre 2000 (visite-04) e 2011 (visita-12) em cinco momentos. Os modelos estatísticos foram ajustados para idade na visita-04, tempo de visita-04, etnia, local, status econômico, o nível ea mudança no índice de massa corporal, nível e mudança na atividade física e presença de comorbidades. Nos modelos finais, as mulheres na pós-menopausa naturais e cirúrgicos têm chances significativamente maiores de limitação funcional, em comparação com as mulheres na pré-menopausa. Menos redução de estradiol e testosterona desde a visita-04 foram significativamente associados à menor chance de limitação funcional, enquanto que aumento maior no sexo globulina de ligação do hormônio foi associada com maiores chances de limitação funcional. Nossos resultados sugerem que as alterações relacionadas com a menopausa em hormônios sexuais endógenos como um possível mecanismo de ação para explicar a maior limitação no funcionamento físico relatada em mulheres na meia-idade.

9 – Estudos revelam evidências significativas do papel neuroprotetor do derivado do ovário 17β-estradiol (E2).

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24462786

Resumo

Uma vez que estudos científicos básicos na década de 1990 revelaram diferenças de gênero dramáticas em danos neurológicos de isquemia cerebral, evidências significativas acumulou para um papel neuroprotetor do derivado do ovário 17β-Estradiol (E2). Curiosamente, estudos observacionais têm sugerido, ainda, que a perda precoce e prolongado da E2 ovariana (menopausa precoce) leva a um risco de vida dobrou para a demência e um risco cinco vezes maior de mortalidade por doenças neurológicas, mas há controvérsias. Aqui, nós brevemente resumir e analisar estudos de coorte clínicos avaliando os resultados neurológicos negativos da menopausa prematura. Além disso, discutimos estudos de ciência básica atuais elucidar os mecanismos moleculares subjacentes ao risco aumentado de doença neurológica em mulheres na menopausa prematuramente ea “janela de oportunidade” para o benefício de estrogênio. Por fim, destacamos quatro questões críticas no campo que exigem colaboração entre cientistas e clínicos básicos para a resolução bem-sucedida, com o objetivo último de manter a saúde neurológica ótimo em mulheres na menopausa prematuramente.

10 – Estudos demonstram que a terapia hormonal adequada exerce efeitos profundos sobre várias partes da pele.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24455744

Resumo

A menopausa é um momento ponto-chave no processo de envelhecimento específica das mulheres. Ela representa uma evolução universal na vida. Sua iniciação é definido por uma amenorreia de 12 meses após o período menstrual final. Ela engloba uma série de diferentes características biológicas e fisiológicas. Este período de vida aparece para detectar um declínio em uma série de performances funcionais da pele iniciando atrofia do tecido, perda de viço, e enrugamento. Qualquer parte da pele é possivelmente alterada, incluindo a epiderme, derme, hipoderme, e folículos pilosos. Terapia de reposição hormonal (oral e não oral) e terapia com estrogênio transdérmico representam possíveis ações de gestão específicas para as mulheres que trabalham na fase do climatério. Todos os relatórios atuais indicam que o envelhecimento cronológico, a deficiência de estrogênio climatério, e terapia hormonal adequada exercem efeitos profundos sobre várias partes da pele.

11- Grandes Estudos Franceses mostram nenhum aumento do risco de câncer da mama para usuárias de hormônios bioidênticos

http://virginiahopkinstestkits.com/bioidenticalbreastcancer.html

Resumo

Mulheres que usam TRH sintética tiveram um risco aumentado de câncer de mama, enquanto as usuárias de hormônios bioidênticos tinham o mesmo risco de câncer de mama das mulheres que não tomam hormônios. Esta parte do estudo envolveu 54.548 mulheres pós-menopáusicas que não tinham tido qualquer tipo de TRH por pelo menos um ano antes de entrar no estudo. A idade média foi de 53, eo estudo durou quase 6 anos. Em comparação com mulheres que nunca tinham usado TRH, aqueles que usam estrogênio mais progestina sintética tinha um 40% o aumento do risco de câncer de mama, enquanto que aqueles que utilizam estradiol e progesterona (por exemplo bioidenticals) tinha 10% menor risco de câncer de mam

12 -Usar progesterona ( NATURAL) para ondas de calor é seguro para a saúde cardiovascular das mulheres

O tratamento com progesterona, um hormonia natural – a contrário dos progestágenos – que tem sido usado para aliviar as ondas de calor e suores noturnos graves em mulheres na pós-menopausa, não risco cardiovascular, de acordo com um novo estudo da Universidade de British Columbia e Vancouver Coastal Health.

University of British Columbia. “Using progesterone for hot flashes shown safe for women’s cardiovascular health.” ScienceDaily. ScienceDaily, 15 January 2014. <www.sciencedaily.com/releases/2014/01/140115172832.htm>.

13 – Progesterona natural não aumenta a chance de cancer de mama quando adicionada a reposição com estradiol, ao contrário dos progestogênios

J Steroid Biochem Mol Biol. 2005 Jul;96(2):95-108.Progestins and progesterone in hormone replacement therapy and the risk of breast cancer. Campagnoli C1, Clavel-Chapelon F, Kaaks R, Peris C, Berrino F.

Outras:

1. Moskowitz, D. A comprehensive Review of the Safety and Efficacy of Bioidentical Hormones for the Management of Menopause and Related Health Risks. Alternative Medicine Review. Vol. 11, n 03, 2006.

2. Fugh-Berman A, Bythrow J. Bioidentical hormones for menopausal hormone therapy: variation on a theme. J Gen Intern Med. 2007 Jul;22(7):1030-4. Epub 2007 Mar 7.

3. Cirigliano M. Bioidentical hormone therapy: a review of the evidence. J Womens Health (Larchmt). 2007 Jun;16(5):600-31.

4. Holtorf K. The bioidentical hormone debate: are bioidentical hormones (estradiol, estriol, and progesterone) safer or more efficacious than commonly used synthetic versions in hormone replacement therapy? Postgrad Med. 2009 Jan;121(1):73-85.

5. Sônia Maria Garcia Vigeta; Ana Cristina Passarella Brêtas. A experiência da perimenopausa e pós-menopausa com mulheres que fazem uso ou não da terapia de reposição hormonal. Cad. Saúde Pública vol.20 no.6 Rio de Janeiro Nov./Dec. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2004000600027

6. Chervenak J. Bioidentical hormones for maturing women. Maturitas. 2009 Oct 20;64(2):86-9. Epub 2009 Sep 18.

7. Wright JV. Bio-identical steroid hormone replacement: selected observations from 23 years of clinical and laboratory practice. Ann N Y Acad Sci. 2005 Dec;1057:506-24.

8. Watt PJ, Hughes RB, Rettew LB, Adams R. A holistic programmatic approach to natural hormone replacement. Fam Community Health. 2003 Jan-Mar;26(1):53-63.

9. HARRISON, Tinsley Randolph (autor); FAUCI, Anthony S. (ed.). Medicina interna. 17. ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill, 2009. 2v., il. +. ISBN 9788577260492.

10 Moskowitz, D. A comprehensive Review of the Safety and Efficacy of Bioidentical Hormones for the Management of Menopause and Related Health Risks. Alternative Medicine Review. Vol. 11, n 03, 2006.

11. Fugh-Berman A, Bythrow J. Bioidentical hormones for menopausal hormone therapy: variation on a theme. J Gen Intern Med. 2007 Jul;22(7):1030-4. Epub 2007 Mar 7.

12. Cirigliano M. Bioidentical hormone therapy: a review of the evidence. J Womens Health (Larchmt). 2007 Jun;16(5):600-31.

13. GUYTON, Arthur C.; HALL, John E. (John Edward) (co-aut.). Textbook of medical physiology. 11th ed. Philadelphia: Elsevier, 2006. 1016p., il. ISBN 9780721602400 (enc.).

14. CECIL, Russell L. (Russell La Fayette); BENNETT, J. Claude (co-aut.); PLUM, Fred (co-aut.). Tratado de medicina interna. 20. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, c1997. 2v.

15. GUYtON, Arthur C.; HALL, John E. (John Edward) (co-aut.). Textbook of medical physiology. 11th ed. Philadelphia: Elsevier, 2006. 1016p., il. ISBN 9780721602400 (enc.).

16. Francisco L. Is bio-identical hormone therapy fact orfairy tale? Nurse Pract 2003;28:39.

17. Taylor M. Unconventional estrogens: Estriol, biest, and triest. Clin Obstet Gynecol 2001;44:864.

18. Holtorf K. The bioidentical hormone debate: are bioidentical hormones (estradiol, estriol, and progesterone) safer or more efficacious than commonly used synthetic versions in hormone replacement therapy? Postgrad Med. 2009 Jan;121(1):73-85.

19.Tratamento da Osteoporose Pós-Menopausa c- Maria Odette Ribeiro Leite Serviço de Endocrinologia, Unidade de Doenças Osteo Metabólicas e Laboratório de Investigação Médica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, SP

20 .Efeitos da Terapia de Reposição Hormonal em Pacientes Portadoras da Doença de Alzheimer Renata Matos Amâncio* Tatiana Oliveira Vieira* Teresa Raquel Embiruçu de Araújo* Vanessa Alves Costa* Verônica Franco de Castro Lima* Adelmir Machado** Túlio César Azevedo Alves***

21. Hormone Therapy and Skeletal Muscle Strength: A Meta-Analysis Sarah M. Greising1, Kristen A. Baltgalvis2, Dawn A. Lowe1 and Gordon L. Warren3

 

Dr. Roberto no Instagram

Visualize as dicas e informações para uma vida mais saudável direto no Instagram


Acessar

Dr. Roberto no Facebook

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto
Dr. Roberto Franco do Amaral Neto
Médico CRM: 111370

124 Comentários

  1. Rosângela Bottaro disse:

    Excelente post, super explicativo. Gostaria de ter mais informações
    sobre a reposiçao com os hormônios bioidenticos.
    Ano passado tive trombose e fui obrigada a parar
    a reposição hormonal. Em julho deste ano comecei TRH com os
    bioidenticos. Em 2 meses tive uma ótima melhora, diminuiram os fogachos, cabelo, pele
    e unhas começaram a dar sinais claros de vida. Sim porque menopausa
    é algo que nos tira a vida… vida dos cabelos, pele, brilho do olhar, enfim
    nos rouba tudo que é bom.
    Já li muita matérias sobre a reposição com os bioidênticos, mais
    nenhuma com tanta propriedade e com tamanha biografia. Gostaria
    manter contato e conhecer novos relatos.
    Atualmente me encontro em um dilema, pois minha hemato
    quer me convencer a nao fazer mais a reposicao, pois afirma que estou
    em com um risco maior em reincidir na trombose.

  2. Roselene disse:

    Boa noite,otima sua materia,mas quem teve cancer da mama vris anos nao pode fazer terapia de reposiçao hormonal,mas o que posso fazer quando essa cruel inimiga ataca.Obrigada

  3. sandra santos disse:

    entrei na menopausa com 41 anos ,estou tomando hormonio bioidenticos estou me sentindo muito

  4. sandra santos disse:

    otima materia adorei

  5. Renata ribeiro disse:

    Dr. Fiz histerectomia à 8 meses.e fiz terapia hormonal p 3 meses. Porém os fogachos estão mais intensos do q nunca. O q fazer? Abraços e obrigado.

  6. Maria Neuza Cassimiro disse:

    Boa tarde. eu estou com 62 anos e já estou sofrendo muito com a falta dos hormonios..os medicos não que que eu faço reposição hormonais. me ajuda por favor. estou sentindo muito enjoo aumento de peso…e me sinto que ta tudo errado…oque eu poço usar pra me livrar disso tudo.

  7. ANA GUIMARAES disse:

    Boa tarde Dr Amaral!
    Fantástica sua matéria!
    Moro em Belo Horizonte, e não conheço nenhum médico que faz essa reposição hormonal bioidêntica, o Dr saberia me informar?
    Quando converso com médicos eles falam que ninguém, sabe o que causa o câncer, por não ter comprovação cientifica.
    Obrigada, Ana Guimarães.

  8. ANA GUIMARAES disse:

    Boa Tarde Dr Amaral.
    Parabéns pela informação!
    Moro em Belo Horizonte e não conheço médico que faz modulação hormonal.
    O Dr saberia me informar?
    Os médicos que conheço, falam que não existe comprovação cientifica, acham que a causa de cancer, pode ser os hormônios tanto bioidêntico como não bioidêntico.
    Atencisamente,Ana.

    • Pergunte para eles pq que eles então recomendam anticoncepcionais HORMONAIS para mulheres para fins estético como queda de cabelo, acne ou até para controle de natalidade, o que está longe ser um problema de saúde? Neste caso não aumentaria a chance de câncer?
      Quanto aos médicos, Dr Rafael Timbó ou Dr José Roberto Melo.

  9. ANA GUIMARAES disse:

    Muito Obrigada Dr Roberto!!!

  10. NEUZA disse:

    BOA NOITE GOSTEI DAS EXPLICAÇÕES DO SR,TENHO 54 ANOS SOFRO COM OS SINTOMAS DA MENOPAUSA TENHO LIDO MUITO SOBRE HORMONIOS BIOIDENTICOS SO QUE A MAIORIA DOS MEDICOS QUE FUI IGNORAM NO MOMENTO ESTOU FAZENDO USO DO LIBIAN MELHOU UM POUCO MAIS ESTOU TENDO SANGRAMENTOS ME SINTO INCHADA E TENHO DORES DE CABEÇA QUERO PARAR MAIS TENHO RECEIO DOS SINTOMAS RECENTEMENTE ACHEI UM GINECOLOGISTA AQUI PERTO ONDE MORO ATRAVES DA INTERNET QUE FEZ CURSO COM DR ITALO RACHID FIZ EXAMES DOS HORMONIOS DEU NORMAL OS HORMONIOS FEMININOS NAO ENTENDO COMO DEU NORMAL SFE ESTOU NA MENOPAUSA E TENHO SINTOMAS SO O DHEA QUE DEU NIVEL BAIXO ELE ME RECEITOU O DHEA E OMEGA 3 POIS MEU COLESTEROL ESTA ALTO MINHA DUVIDA E SE O EXAME DE SANGUE E IDEAL OU E PRECISO F AZER O EXAME DE SALIVA ESSE MEDICO NAO PASSA EXAMES PELA SALIVA POR FAVOR ME ORIENTA ,EU MORO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ..

    • Se já tem sintomas de de menopausa já poderia fazer reposição com bioidênticos. Não acho que tenha que fazer exame de saliva para fazer o daignóstico, a clínica é soberana nestes casos, isto é, o que a sra vem sentindo é mais importante que um exame.

  11. Fernanda disse:

    Olá Dr Roberto, gostaria da sua indicação de um médico em Brasília que trabalhasse com hormônios estou precisando muito. Meu e-mail fjcilag@yahoo.com.br
    Obrigada
    Fernanda

  12. Ruth disse:

    Drtenho 40 anos comecei a sentir a 7 meses sentir irritação nervoso fadiga insônia queda de cabelo fui ao medico mim pediu exames da tireoide disse qui tava normal e disse qui não tinha menopausa e continuo srntindo moro no mt tem algum médico aqui qui trabalha com bioidênticos obrigado

  13. Maísa Vasconcelos disse:

    Excelente matéria! Parabéns, Dr.Roberto! Tenho 55 anos e faço reposição com Estreva Gel e Utrogestan há 7 anos.Faço exames de 6 em 6 meses,todos normais.Suspendi a reposição há alguns meses.E preciso voltar a fazer novamente,os sintomas voltaram.Uso estrógeno e progesterona ou tibolona? Grata.

  14. Claudia Santos disse:

    posso trocar estradiol 100 mcg por isoflavonas 30 mg. Se não, qual seria a dose correta.
    Agradecida.

  15. mto esclarecedor!
    Estou na Menopausa há quase 12 anos, relutei mto p/ não fazer RH, mas confesso q não aguento mais, as vezes tenho sensação d desmaio e falta d ar falta d apetite, depressão, e cada vez mais sofro c/ os fogachos, pedi pelo amor d Deus, ao meu ginecologista um remédio, ele me passou o Esteeva gel junto c/ acetado de medroso progesterona, por que ainda tenho útero…mas ainda tenho medo por que já são quase 12 anos o q o senhor acha?? Hoje estou c/ 54 anos, tds meus exames estão OK.
    Desde já agradeço sua atenção, mto obrigado!

  16. Pat disse:

    Estou em dúvidas quanto às doses do creme que me foi prescrito… Estradiol 1mg, Estriol 2,5 mg e Progesterona 50 mg (pelo que entendi, são todos bioidenticos). Alguém me sugeriu que essa dose de progesterona é muito baixa para proteger o endométrio da ação dos estrogênios. Qual sua opinião? Att.

      • Pat disse:

        Obrigada! Náo consigo falar com minha médica (deve estar em algum Congresso ou de férias : D), fiquei ansiosa depois que saiu um novo estudo sobre progesterona e risco aumentado de cäncer de mama no Reino Unido…

        • Progesterona isomolecular ou algum tipo de progestágeno?

          • Pat disse:

            Pelo que entendi (não li o estudo porque ainda não esá disponivel para a comunidade em geral, só li os editoriais em jornais britanicos), envolve os ^mais comumente prescritos^, ” A new study of 40,000 women found those who took the most commonly prescribed HRT for five years were more than twice as likely to develop cancer as women who took nothing. The risk rose threefold for those who took the medication for ten years or more.
            Read more: http://www.dailymail.co.uk/health/article-3761440/HRT-cancer-verdict-women-read.html#ixzz4Iv8VzhMg

            Sei que a isomolecular em tese traz menos riscos, mas ainda fico muito confusa em relação a usar manipulados por causa da origem dos produtos (USP ou não), rotas de administração, contaminantes, etc. Menopausa já é uma barra, mas essa indefinição eterna sobre o que é menos pior envolvendo as grandes farmacêuticas, comunidade cientifica, profissionais médicos e nós, pobres pacientes, é ainda pior!

            Desculpe o desabafo!

  17. PATRICIA CORDEIRO disse:

    Olá Dr. Roberto, bom dia! Tenho 29 anos e há 3 anos entrei na menopausa após a retirada dos dois ovários e trompas (nao tive filhos). Com exatos 10 dias de cirurgia ja comecei a sentir os calores insuportáveis dessa nova fase da minha vida (antecipada em muitos anos). Há cerca de 1 ano e meio minha taxa de Estradiol -E2 esta inferior a 11,8 pg/ml mesmo tomando diariamente 3 comprimidos de Natifa-Pró. Meus fogachos nao diminuem, meu tonus muscular está muito diferente, minha cintura está desaparecendo, muita retenção de liquido e, ja aumentei mais de 10 quilos. Com tudo isso minha qualidade de vida e minha autoestima estão indo embora…
    Estou farta de entrar em consultórios e ser tratada como se tivesse 50 anos e passando por um período “normal”.
    nao tinha ideia da existência do tratamento com hormônios bioidenticos até chegar nesta página. Parabenizo o texto, o ponto de vista e a disseminação dessa informação qur me trouxe tanta esperança de poder levar um vida melhor do que tenho tido até agora.
    Moro no Rio Grande do Sul e ja passei por diversos consultórios, mas gostaria muito que me indicasse alguem que de fato tenha o mesmo método de terapia que o senhor expõe nessa publicação.
    Fico imensamente grata se puder me ajudar. Tudo o que mais anseio é poder chegar à minha velhice na idade certa e poder viver como eu vivia antes da cirurgia.
    Mais uma vez muito obrigada.

  18. marilania disse:

    Boa tarde dr. Gostei muito dessa materia…tenho 44anos fiz esterectomia e tirei apendice aos 40 anos…tinha um tumor no apendice faço acompanhamento..a alguns meses senti sintomas da menopausa..fogacho, depressao..faço tratamento psiquiatrico e meu ginecologista me receitou Natifa…moro em Campo Grande-MS gostaria d saber se pode me indicar um medico que faça esse metodo de tratamento que o senhor indica. Desd ja agradeço.

  19. Terezinha do Carmo disse:

    Atende algum convênio?

  20. Maria Aparecida de Lima disse:

    Olá Dr.Roberto, tenho 48 anos e preciso muito fazer reposição hormonal com bioidenticos, pois com o uso do Tibolona apresento muito inchaço nas pernas e não consigo me livrar de todos os sintomas como insônia, depressão, desânimo e como já tenho problemas de varizes tive receio de continuar e parei por minha conta, mas é impossível ficar sem os homônios, moro em São Bernardo do Campo fica na grande São Paulo(região do ABC), você indicaria algum amigo da área médica que atende essa região e que faça o mesmo trabalho com hormônios bioidenticos? Infelizmente ainda é grande o preconceito pela maioria dos médicos que temos acesso pelos convênios médicos.Agradeço sua atenção!

  21. Maria Aparecida de Lima disse:

    Agradeço sua atenção!!!

  22. Girlane disse:

    DR.Roberto, bom dia, meu nome é Girlane, tenho 37 anos e há um ano entrei na menopausa precoce, já passei por duas ginecologistas que me passaram dois tipos de reposição hormonal diferentes, uma delas é o Tibolona de 2,5 mg, fiquei tomando durante 1 mes, melhorou as ondas de calor que são insuportáveis e me enlouquecem, mas sinto muitas dores nas pernas, dores insuportáveis que passei a sentir após começar a fazer essa reposição hormonal. Minha mãe também entrou na menopausa com 38 anos, e ela sofre de muitas varizes, não sei se essas dores nas pernas podem ter relação com o surgimento de varizes, já fui no angiologista e ele disse que não tenho varizes e ninguém descobre o porque dessas dores nas pernas. Voltei agora a tomar o Tibolona há 03 dias pois não estava suportando a irritação, a baixa libido e os calores. Moro em Eunápolis, na Bahia, será que teria algum médico aqui que me pudesse ajudar com os hormonios bioidenticos? E o que o senhor acha dessa dosagem de Tibolona 2,5 mg é a ideal para mim? Preciso urgentemente de ajuda, pois com 37 anos estou me sentindo como se tivesse 50. Perdi a vontade de viver…

  23. Livia aguiar disse:

    Bom dia.sou do MA da capital São Luís.meu FSH deu alto e o
    Medico me disse q estou entrando na menopausa aos 45 anos em razão de ter feito uma FiV em 2011.gostaria da sua indicação de um medico aqui na minha cidade que trabalha com reposicao de bioidênticos.

  24. A. Miranda disse:

    Olá Dr. Roberto

    Gostaria de saber se o creme/gel transdérmico de estrogênios bioidenticos podem ser passados nos seios ?
    Caso não possa, quais seriam os melhores lugares para a aplicação dos cremes de estrogênio e cremes de progesterona/testosterona ?

    Gostaria que o doutor pudesse me indicar um médico em Cuiabá-MT que prescrevam esse tipo de tratamento ok ?

    No aguardo ….

  25. alciane miranda disse:

    Os cremes/gel com estrogênios bioidenticos tem alguma contra indicação de aplicação nos seios ?

    No aguardo…

  26. Fernando disse:

    Caro Dr. Roberto, lendo a matéria, percebi a propriedade e altivez das afirmações aqui feitas e tomei a liberdade de fazer a seguinte pergunta: como vocês especialistas lidam com tantas informações contraditórias acerca de temas tão delicados quanto a saúde humana? Esse questionamento se deve à quantidade de desinformação e até contrainformação que nos cerca.

    O exemplo do hormônio bioidêntico é perfeito e de simples pesquisa na internet: se de um lado temos estudos demonstrando uma série de benefícios do estradiol ao organismo, do outro temos outros tantos estudos o demonizando, incluindo afirmações e extensos testes de laboratório sentenciando o bioidêntico 17-beta estradiol como um cancerígeno por excelência! Como confiar em estudos que, se hoje mostram todas as vantagens de uma substância, daqui a algum tempo poderão ruir com um novo estudo ou descoberta (tal qual o exemplo da matéria)? A questão é que quando o conhecimento surgir, já terá custado a saúde ou mesmo a vida daqueles que confiaram num medicamento – e tendo por guia um médico de sua confiança (afinal, o termo ‘bioidêntico’, por si só, já denotaria um “Pode confiar!”).

    Para a indústria farmacêutica, fatalidades e males são apenas números. Apenas uma estatistica para mudança de procedimentos e novos rumos. É essa ‘frieza’ que me dá medo!

    Fontes de pesquisa:
    http://www.inchem.org/documents/jecfa/jecmono/v43jec05.htm
    link.springer.com/article/10.1007/s12672-013-0161-y
    https://labs.fccc.edu/bcrl/projects/project4.html

    • Realmente é complicado mas temos que usar artigos + fisiologia + pratica clinica + BOM SENSO.
      Se estradiol causasse cancer diretamente, seria mais comum vc conhecer mulheres com câncer do que sem câncer afinal todas produzem enxurradas deste hormonio ao logo da vida e quando param de produzi-los que a incidência desta doença se eleva. Outro detalhe. Se o estradiol causa cancer pq é usado como anticoncepcional para milhoes de mulheres? Outra coisa; nao é pq é bioidentico que é seguro. T4/T3 é bio mas se tomar uma dose elevada pode causar morte por tireotoxicosde. Gh é bio mas se se tomar dose elevado pode causar diabertes. 17 beta estradiol é bio mas se tomar pela via oral é péssimo pois eleva SHBG. Testo é bio mas se tomar dose elevada a mulher se transforma num homem e o homem pode ficar calvo por ex.Assim como a ind. farmaceutica faz mkt, o antienvelheciemento fez a mesma coisa alegando que bios sao revolucionários. Advogo a favor dos bios,sem duvida,mas nao foi novidade nenhuma a entrada deles no mercado.

  27. lucimara mazarao caires disse:

    OLA dr. estou com 52 anos muitas ondas de calor com sudorese , passei a tomar testoterona 1% 30grs ml pentravan 1x ao dia demorou um pouco mais começou fazer efeito depois de alguns dias , mais agora ja voltou os calores novamente .o que fazer ?

  28. Mariane Pandolpho Ferreira Trazzi disse:

    olá Dr !!! O Estreva Gel é bioidentico??

  29. Eliana leiroz disse:

    Ola Dr Roberto, atualmente tomo Cliane, gostaria de saber se é muito prejudicial, pois me sinto como se tivesse TPM, e se pode indicar um medico aqui em Cotia/Sp, muito grata.

  30. ADRIANA CARDOSO disse:

    Olá Dr. Roberto,
    Gostaria de indicação de médico no Rio de Janeiro, capital, que siga o mesmo tipo de conduta sua para tratamento de sintomas da menopausa com hormônio bioidênticos.
    Obrigada,
    Adriana

  31. Teresa Bandeira disse:

    Dr Roberto , muito bom seu texto. Gostaria de tirar uma dúvida . Uso estreva (2 doses) e duphaston 10 mg de uso diário. Uso desde os 31 anos e agora tenho 43. Estou tendo problemas de elevação do TGO e TGP ( nada de dengue!) e alterações oculares( início de Glaucoma) . O médico oftalmo acha que pode ser devido ao uso prolongado da progesterona . E ele pediu para trocar pôr bioidênticos . Estes que tomo já não São bioidênticos? Poderia me indicar alguém que trata com bioidênticos em Goiânia ? Abraço e obrigada

  32. Fátima disse:

    Boa noite Dr. Roberto
    Uso o Estreva gel pois estou na menopausa preciso tomar o Utrageston tb. Ou posso ficar só com Estreva?
    Aguardo um retorno, grata

  33. Pat disse:

    Ola!

    Estou com quase 51 anos e meus últimos ciclos menstruais foram apenas um em dezembro de 2015 e outro em outubro de 2016. Sofri muito nos ultimos 6 anos com sintomas da perimenopausa (fogachos, mudanças de humor, sono fragmentado, insônia, ansiedade, depressão, absoluta falta de energia matinal e absoluta falta de motivação e de libido). Em agosto de 2016 comecei uma terapia hormonal com um mix manipulado de Progesterona 50mg, Estradiol 1mg e Estriol 2,5 mg (prescrito por médico) mas após 3 meses de uso não vi mudanças significativas e alguns sintomas inclusive pioraram (ansiedade, ataque de pânico matinal). Fui orientada a trocar (por outro médico) para adesivo de estradiol + progesterona micronizada em cápsulas. Após 2 mêses de uso desisti principalmente porque na fase do uso da progesterona os sintomas chegaram ao pico (ideação suicida e depressão severa). Estou apenas tomando um suplemento de vit D3 e outro de B!2 (sou vegetariana) e me sinto melhor apesar dos sintomas ainda estarem todos presentes, mas variando imensamente de um dia para outro.
    Eu pensei na alternativa de usar o gel de testosterona (pequenas quantidades) para pelo menos aumentar minha energia ao nível básico para conseguir sair de casa e fazer exercícios físicos, sociabilizar, etc.
    Minha pergunta é: Existe contra-indicação em usar só a testosterona (sem estradiol e progesterona) por algum tempo, até ver se há alguma resposta?
    No Reino Unido a NICE guidelines já advoga a prescrição de testosterona par mulheres com pouca libido e os resultados até agora são animadores, mas não vi nenhum caso onde só a testosterona é prescrita.
    Meus níveis sanguíneos de testosterona estão quase zerados, tenho 3 resultados ao longo dos últimos 2 anos.

  34. MARILÉIA DE SOUZA disse:

    B.NOITE DR… MEU NOME É MARILÉIA .TENHO 54 ANOS E DESDE 2012, ESTOU NO CLIMATÉRIO COM SINTOMAS FORTÍSSIMOS, COMO SUDORESE E FOGACHOS 24 HORAS, NÃO SOMENTE NOTURNOS…VENHO DESDE 2012, TENTANDO ENCONTRAR UMA FORMA DE TRATAR ESSES SINTOMAS PELA FITOTERAPIA POIS TENHO MICROCALCIFICAÇÕES NAS MAMAS E ENCONTRO FORTE RESISTÊNCIA POR PARTE DOS PROFISSIONAIS QUE JÁ CONSULTEI(GINECOS,MASTOLOGISTAS,ENDOCRINOS,GERIATRAS) TODOS TEMEM UM CÂNCER FUTURO, APESAR DOS RESULTADOS DAS MINHAS MAMOGRAFIAS SEREM BIRADS 2( BENIGNAS) E ATÉ UMA BIOPSIA QUE REALIZEI EM 2009 CONSTAR TBEM BENIGNA…JÁ TOMEI SOJA,AMORA,DONG QUAI, SÁLVIA,MACA PERUANA…UM MÉDICO ONDE TRABALHO NA ESPECIALIDADE HOMEOPATIA E ORTOMOLECULAR ME PASSOU BIOIDENTICOS MAS NADA ACONTECEU..CREIO SER A DOSAGEM…PROGESTERONA BIOIDENTICA LIPOSSOMADA 20MG,GEL CREME TRANSDÉRMICO DE FOSFOLIPIDEOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO QSP 1G E ESTRADIOL BIOIDENTICO LIPOSSOMADO 0,1%( 1.0 MG / ESTRIOL BIOIDENTICO LIPOSSOMADO 0,25% ( 2,5MG ) /TESTOSTERONA BIOIDENTICA LIPOSSOMADA 0,25% ( 2,5MG )….ESSA DOSAGEM ESTÁ CORRETA??? ELE NÃO QUIS AUMENTAR A DOSAGEM, SE ESTIVER CERTA ENTÃO BIOIDENTICOS TAMBÉM NÃO FUNCIONAM PARA MEUS SINTOMAS…. O QUE FAZER???? JÁ ESTOU CANSADA DE SOFRER,TANTA SUDORESE,CALORES,SEM VONTADE DE FAZER NADA…PASSO CONSTRANGIMENTOS COM TANTO SUOR,A ROUPA TODA MOLHADA E FICO CHEIRANDO A SUOR O DIA INTEIRO, POIS TRABALHO FORA….HÁ ALGUM MÉDICO NA CAPITAL DE SP( MAIS PRECISAMENTE NO CENTRO DE SP) QUE TRABALHE COM BIOIDENTICOS??? FUI AO MASTOLOGISTA DIA 9/02 E APESAR DE TER GOSTADO DOS RESULTADOS DOS MEUS EXAMES, DISSE QUE NÃO RECEITARIA TRH PARA MIM, SOB HIPOTESE NENHUMA, QUE EU TERIA QUE APRENDER A CONVIVER COM OS SINTOMAS….SINCERAMENTE,SAI DA SALA E CHOREI EM PLENA RUA….. GOSTEI DA MATÉRIA…ABÇS…AGUARDO UM BREVE RETORNO

    EMAIL – LEIADEZEMBRO17@GMAIL.COM

  35. karin Andrzejewski disse:

    Ola Dr. Roberto. Gostaria de sua indicação de médicos em Curitiba q conhecem e indicam os bioidenticos para reposição hormonal. Karin, 51 anos.

  36. solange aparecida eugenio disse:

    Boa tarde me chamo Solange, fiz histerectomia total inclusive porque estava com endometriose severa agora em Janeiro de 2017, meu medico me receitou levonorgestrol 015 e estradiol003 por 1 ano pois tive que retirar tudo só que não consigo tomar nenhum tipo de anticoncepcional não para no meu estomago passo muito mal tenho 42 anos e estou muito interessado sobre os hormonios bio idénticos gostaria de saber se você pode me indicar medicos(A) em São Jose do Rio Preto, caso não consiga medico aqui gostaria de saber se um ginecologista pode pedir exames para saber sobre meus hormonios e pode prescrever a receita para tomar hormonio bio identico.
    PS: Estou sem tomar remédio algum ate minha volta com o Ginecologista em Maio pois dependo do SUS… Estou muito preocupada desde já agradeço sua atenção. Sol.

  37. Carmen L . de Souza disse:

    Bom dia doutor.
    Tenho 56 anos, minha médica me indicou Estreva gel + utrogeran 100. Estes hormônios são bioidênticos? A dose não está muito elevada?

    Obrigada, muito didática suas explicações.

  38. claudete disse:

    Parabéns

    amei a materia
    as perguntas e respostas esclareceram minhas duvidas.
    tomei activelle agora estou tomando ultragestam de 8 em 8 horas

  39. Ana Lúcia Benitez disse:

    Obrigada pelas informações. Tenho 47 anos e iniciarei a reposição hormonal com estreva gel e minha médica mencionou a possibilidade do uso do diu mirena para proteger o útero. O que o Sr. acha sobre o uso do diu?

  40. Alciane disse:

    Faço uso de modulação hormonal com hormonios bioidenticos de testosterona, progesterona, estrogênios (géis) e pregnenolona (capsulas) e agora desejo parar pois pretendo tentar engravidar, posso fazer a interrupção do tratamento bruscamente ou preciso fazer um esquema de desmame ? Caso precise qual seria o melhor protocolo para o desmame ?

  41. Luciana disse:

    Boa tarde, Dr. Roberto. Gostaria da indicação de algum médico com quem eu possa fazer a modulação com hormônios bioidênticos aqui no Recife.
    Obrigada!

  42. Simone Barros disse:

    Em primeiro lugar Parabéns pela publicação! Bom dia! Tenho 49 anos e tinha a menstruação normal até fevereiro deste ano quando precisei retirar os 2 ovários ( teratomas). Faço uso do Estreva gel 2 aplicações e agora vou iniciar o ultrogestan 100, pois ainda tenho útero. Segundo o resultado dos meus exames estou fora do grupo de risco mas é claro que vou monitorar isso de 6 em 6 meses. Minhas perguntas são: estes medicamentos são bioidênticos e podem ser administrados juntos? Quantos dias no mês o ultrogestan deve ser administrado ? Ultrogestan cápsulas ou vaginal? Existe progesterona em gel como o estreva? Obrigada!

    • Obrigado
      estes medicamentos são bioidênticos? SIM
      podem ser administrados juntos? SIM
      Quantos dias no mês o ultrogestan deve ser administrado ? DEPENDE DA CLINICA E DO MÉDICO – EU PREFIRO DIÁRIO
      Ultrogestan cápsulas ou vaginal? PARA REPOSIÇÃO NA MENOPAUSA,CAPSULAS
      Existe progesterona em gel como o estreva? SIM

  43. Ana Lúcia Benitez disse:

    Bom dia Dr. Roberto. Tenho 47 anos e estou fazendo reposição hormonal, qual sua opinião para uso de estreva gel (2 pumps) e a cada três meses durante 15 dias o uso de duphaston 10mg? O Sr. poderia indicar um médico em Ribeirão Preto/SP que trabalhe com modulação hormonal? Desde já, muito obrigada pela sua atenção.

  44. olá Dr Roberto, faço reposição ha 22 anos faz 3 meses que estou usando estreva gel e utrogestan 200, tenho 45 anos. a dosagem da progesterona está boa?

  45. Geane Azevedo disse:

    Amei essa matéria!!! Dr tô c 46 anos, minha menstruação vem um único dia, muito pouquinho e acaba no outro dia.
    Minha qualidade de vida tá ruim, não tenho ânimo p nada. Falta total de libido, falta de concentração, e outras coisas , além de depressão. Já fui em vários ginecologista e já fiz todos exames hormonais. Deu diminuição do estrogênio e progesterona. Porem, ninguém me passa nada. Dizem q não preciso de reposição. Sendo q sinto as coisas q sei q não tá nada certo comigo. Por favor, pode me indicar um médico que faz tratamento c modulação hormonal.Viver como tô vivendo, é melhor morrer. Obrigada dr Roberto.
    Minha cidade é Campos dos Goytacazes RJ.

  46. Ivete disse:

    Boa noite, Dr Roberto!

    A reposição com hormônios bioidênticos no climatério ou menopausa, se bem dosados, teriam menor interferência sobre o problemas de varizes? Imagino ser a dúvida de muitas mulheres.

    P.s: Com apenas três semanas de uso de Estradiol 3,2 mg e acetato de noretisterona 11,2 mg (Adesivos transdérmicos) tive que descontinuar por sentir dores fortes em varizes que eu nem lembrava mais que eu tinha.

    Muito grata

  47. Dulce Machado disse:

    Ola´Dr. Roberto. Tenho 49 anos e fiz somente retirada do utero. Faço reposicao com 100mg de progesterona , 2mg estriol e testosterona 5mg. Gostaria de saber se com essa reposicao minha pele e meu cabelo, sono vao melhorar? Obrigada.

  48. Aline disse:

    Olá doutor tenho 31 anos ,fui diagnosticada com menopausa precoce ,sinto muito fogaxos, stresses ,muitas dores nas pernas e costas .passei no médico hoje é ele me receitou estreva 2 puff e provera para usar 14 dias .o que o senhor acha do provera e bom ? Vou fazer uma cirurgia vascular será que vou poder continuar usando ? Desde já agradeço .obg

  49. PAULA disse:

    OLL BOA TARDE DR .ESTOU NA MENOPAUSA DESDE OS 40 ANOS ,HOJE ESTOU VOM 48 ANOS . E JA FIZ USO DE TIBOLONA E ISOFLAVONA . COMO ENGRDEI MUITO POR CAUSA DELES PAREI .
    MAS EU TENHO AIDA ESSES CALOROES E TBM BAIXA LIBIDO .
    POSSO USAR ESSE GEL DE PROGESTERONA . E QUANTO POSSO USAR .E AQUI ONDE EU MORO É DIFICIL ESSES MEDICOS COMO O SR .
    MORO NO INTERIOR CIDADE PEQUENA . SINTO MUITO DESANIMO E DORES .
    DESDE JA AGRADEÇO PELA SUA ATENÇÃO. OBR.

  50. Estela disse:

    Estou na menopausa há 9 anos. Não fazia reposição, mas ultimamente a secura vaginal começou a me incomodar. Meu ginecologista me receitou utrogestan e estreva. Depois disso, meu sono melhorou muitíssimo, a secura tb melhorou, mas minhas mamas estão inchadas e doloridas. Como alternativa, o médico me indicou a tibolona, q, segundo ele, ainda melhora a libido, embora não tenha efeito sobre o sono. Já tentei tomar a tibolona anos atrás, mas me deu dor nas pernas (tenho problema de circulação de retorno). Na época, um vascular me receitou outro medicamento para combater esse sintoma, mas eu não cheguei a tomar e acabei desistindo da RH. Fiquei curiosa em saber por que o sr não gosta da tibolona. Grata pela atenção.

    • Não tem nem comparação com estreva e utrogestan ! Estes são bioidenticos e o estradiol( estreva) é trandermico que é foram ideal de uso – tibolona foi uma invençao da indústria quando se tinha receio de TRH . Ao meu ver deveria sair do mercado mas muitos ainda prescrevem!

  51. Alessandra Dias Badajós disse:

    Gostei muito das informações. Tenho 44 anos, e entrei na menopausa cirúrgica faz 1 ano. Fiz histerectomia total. Agora eu iniciei TRH com estreva gel 1 pump e Antrofi tópico 3 vezes por semana . Esta dose de Estreva está apropriada para mim ? Seria necessário usar outros medicamentos bio ? Devo fazer modulação com um médico que faça ? Muito obrigada desde já. E por favor me indique um médico que faça modulação no Rio de Janeiro (município). Obrigada mais uma vez Dr. Roberto.

    Alessandra.

  52. Iranilma Maria Medeiros disse:

    Bom dia Dr. Roberto!
    Informações excelentes! Mesmo sendo leiga quanto ao assunto, dá pra entender a importância de uma modulação hormonal bioidêntica feita por um profissional que entende do assunto. Parabéns Doutor!

  53. Elisangela disse:

    Dr Roberto, tenho 40 anos e ainda não entrei na menopausa. Sou mto esportiva, corro prático musculação. E algum tempo sofro muito com a insônia e tpm. Fui a uma ortomolecular e me prescreveu progestetona e estradiol estriol transdermica. Amnos uso contínuo. Eu q sempre tive o ciclo certinho disrregulou ela mandou suspender a progesterona e esperar a menstruação descer. Mas continuar com estradiol e estriol. Mandou aguardar 10 dias mais tô com receio de desregular tudo eu acaba engordando , perder massa magra. Estamos superando bastante. O meu exame salivar deu um desnível no cortisol q tava baixo demais na madrugada e período da manhã que tb me passou hidrocortisona base pela manhã. O que vc acha disso tudo, posso me preocupar ou tá no caminho certo?

  54. Edna maria lima silva disse:

    Boa tarde Dr Roberto! Estou com todos os sintomas da menopausa mas quero tratar com médicos que faça reposição com hormonio bioidenticos, poderia me ajudar indicando um profissional perto onde more? Estou em Jacareí interior De Sp. Minha gratidão. 🙌

  55. Ade disse:

    Boa noite parabéns e obrigada pela matéria muito esclarecedora, poderia me dizer se o creme Biovea progesterona natural pode ser usado para reposição hormonal na menopausa? E se é bioidêntico?
    E também existe progesterona bioidêntica em gel ou creme industrializado? Obrigada!

  56. Maria celia Thomaz disse:

    Bom dia Dr, tomo suprelle como reposição hormonal, mas não sinto melhoras. Gostaria de usar o creme transdérmico mas não sei a composição. E é feito em farmacia manipulada??

  57. Maria Flor disse:

    Bom dia Dr! Excelente texto! Parabéns!!!
    Entrei na menopausa, um ano sem menstruar, fui ao ginecologista e fiz todos exames de imagens:(Mamografia e Eco mamária(Bi hads 1), Eco abdominal(tudo ok),Ultra vaginal, (1 mioma intramural do tamanho de uma azeitona) e Tireóide com 2 cistos colóides Também fiz exames de sangue, onde hormônios da tireóide normais e Hormônios femininos abaixo do normal. A minha ginecologista receitou: Promin creme vaginal e e outra medicação manipulada(Isoflavona, amora Black Cohosh Excipiente q.s.p1 cápsula.)
    Enquanto, o Endocrinologista suspendeu toda a medicação da Ginecologista e receitou: Estreva Gel e Utrogestan 100mg via oral.
    Qual dessas medicações corro menos riscos de um câncer de mama ou colo de útero? Por favor, desculpe o incômodo, e desculpe a pergunta! Caso possa responder ficarei grata, pois tenho enorme dúvida quanto as medicações!
    Procuro o Dr. no Instagram!!! Abraço!

  58. Irene disse:

    Boa noite, faço uso de estreva gel 2 X , progesterona 20 mg e testosterona 2 mg, os calores sumiram e estou dormindo melhor, mas me sinto muito inchada, seios e barriga. É assim mesmo? Adorei sua postagem!

  59. Solange disse:

    Dr.Roberto, sou de Porto Alegre RS. Gostaria que me indicasse um médico aqui de minha cidade.

  60. Liza disse:

    Olá, Dr. Roberto!
    Gostaria que me indicasse um médico na minha cidade que faz modulação hormonal , moro em Anápolis Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *