O Fim da Demonização das Gorduras.

Um novo estudo comparando os efeitos terapêuticos de diferentes dietas foi publicado no periódico científico IJC Metabolic & Endocrine com o título (traduzido para o português)Dieta de baixo carboidrato/alta proteína melhora a função cardíaca diastólica e a síndrome metabólica em pacientes diabéticos tipo 2, obesos ou com sobrepeso”. Trata-se de um estudo com 32 voluntários, sendo um experimento prospectivo, com implicações médico-científicas reais.

Os resultados obtidos pelo Dr. von Bibra e colaboradores, da Klinikum Bogenhausen-München da Alemanha, indicam que uma dieta com baixo consumo de carboidratos, mas não uma dieta com baixo consumo de gordura (e alto consumo de carboidratos), modula a função cardíaca em pacientes diabéticos obesos ou com sobrepeso, melhora a resistência à insulina e pode prevenir ou retardar o início da miocardiopatia e da síndrome metabólica”.

1

 

O estudo demonstrou que uma dieta com baixo consumo de carboidratos melhora não apenas a resistência à insulina e a síndrome metabólica, mas melhora também a função cardíaca em pacientes obesos/com sobrepeso diabéticos. Em contrapartida, o estudo também demonstrou que a dieta com baixo consumo de gorduras não melhorou nenhum destes parâmetros.

Ao ler este estudo, podemos observar que a dieta de baixo consumo de gordura tinha como imposição a restrição calórica. Ou seja, a única forma de fazer com que as pessoas percam peso comendo uma dieta com alto consumo de carboidratos é deixando-as com fome. Já o grupo com a dieta de baixo consumo de carboidratos podia comer à vontade. Quarenta e cinco por cento das calorias deste grupo eram na forma de gorduras.

No grupo do baixo consumo de gorduras foi aplicada a dieta recomendada pela Associação Europeia para o Estudo do Diabetes. Uma dieta com cerca de 55% de carboidratos para uma doença que é caracterizada pela intolerância a carboidratos!!!

Sua introdução (pelo departamento de agricultura dos EUA) desencadeou o maior desastre de saúde pública de que temos notícia – a epidemia de obesidade, síndrome metabólica e diabetes (veja aqui).

2

A dieta de baixa gordura e o aumento da obesidade entre 1971 e 2006.

Mas este estudo não é o único a comprovar estes achados médicos!

Outro estudo semelhante (multicêntrico, com duração de dois anos), foi publicado no The New England Journal of Medicine e intitulado em portugês como “Perda de peso com a Dieta de Baixo Carboidrato, Mediterrânea ou de Baixa Gordura”.

Este grande estudo multicêntrico foi realizado pela Dra. Iris Shai e colaboradores, do Centro para Saúde e Nutrição da Universidade de Negev-Beer-Sheva, do Centro de Pesquisas Nucleares Negev-Dimona, do Departamento de Cardiologia, Centro Médico da Universidade de Soroka-Beer-Sheva — todos em Israel; do Hospital Universitário de Leipzig e do Departamento de Medicina da Universidade de Leipzig, na Alemanha; do Laboratório Channing, da Escola Médica de Harvard e Escola de Saúde Pública de Harvard — todas em Boston, EUA.

3

Neste estudo de dois anos, foram avaliados 322 indivíduos moderadamente obesos (idade média, 52 anos; Média do Índice de Massa Corporal, 31; 86% do sexo masculino) designados aleatoriamente para uma das 3 dietas: baixo consumo de gordura com restrição calórica; Mediterrânea com restrição calórica; ou baixo consumo de carboidratos sem restrição calórica.

 

Os resultados obtidos indicaram que a média da perda de peso foi de 2,9 kg para o grupo de baixo consumo de gordura, 4,4 kg para o grupo da dieta do Mediterrâneo e 4,7 para o grupo de baixo consumo de carboidratos. Portanto, o grupo que pôde comer gordura, proteínas e colesterol à vontade, sem restrição calórica, apenas comendo menos carboidratos, conseguiu a maior redução de peso!

4

Shai et al., 2008

 

Os autores concluem que um baixo consumo de carboidratos parece ser uma alternativa mais eficaz do que a dieta de baixo consumo de gorduras.

Veja os estudos no blog do Dr José Carlos Souto

Estudo 1,

Estudo 2,

Estudo 3,

Estudo 4,

Estudo 5,

Estudo 6,

Estudo 7.

 

Referências:

Low-carbohydrate/high-protein diet improves diastolic cardiac function and the metabolic syndrome in overweight-obese patients with type 2 diabetes.

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2214762413000078

Weight Loss with a Low-Carbohydrate, Mediterranean, or Low-Fat Diet.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=N+Engl+J+Med+359%3B3%2C+229-41.

Dietary fat intake and prevention of cardiovascular disease: systematic review.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=BMJ+2001%3B+322(7289)%3A757-63

Prevention of heart failure: a scientific statement from the American Heart Association Councils on Epidemiology and Prevention, Clinical Cardiology, Cardiovascular Nursing, and High Blood Pressure Research; Quality of Care and Outcomes Research Interdisciplinary Working Group; and Functional Genomics and Translational Biology Interdisciplinary Working Group.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=Circulation%2C+117+(2008)%2C+pp.+2544%E2%80%932565

Low-carb diet gets more support from new analysis

http://usatoday30.usatoday.com/news/health/story/2012-08-30/low-carb-diet/57444292/1

Colesterol I

http://www.lowcarb-paleo.com.br/2012/06/colesterol-i.html

Vídeo LEGENDADO sobre low carb, colesterol e doença cardíaca

http://www.lowcarb-paleo.com.br/2012/03/video-explica-dieta-de-baixo.html

 

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ARTIGOS RELACIONADOS

Mais lidAs