Açafrão da terra, cúrcuma e seus inúmeros poderes.

O açafrão-da-terra (Curcuma longa), conhecido também como cúrcumaturméricoraiz-de-sol, açafrão-da-índiaaçafroa e gengibre amarelo, é uma planta herbácea da família do gengibre (Zingiberaceae), originária da Ásia (Índia e Indonésia) mas é largamente cultivada em países tropicais, como o Brasil.

A cúrcuma é uma especiaria milenar mundialmente utilizada principalmente como tempero e corante natural.

Limitava-se à somente essas utilidades porque pouco se conhecia acerca de suas propriedades funcionais sobre doenças, mas nas últimas décadas vem despertando interesse e curiosidade exatamente por seus fatores funcionais, antioxidantes e antidepressivos (TILAK et al., 2004; BABU et al; 2007).

A curcumina é um pigmento que ocorre naturalmente e que faz parte de um componente ativo do açafrão-da-Índia (Curcuma longa).

Tem a coloração amarelo-marcante e sabor forte, o que explica seu vasto consumo como especiaria há centenas de anos (VILELA; ARTUR, 2008; SILVA FILHO et al.,2009).

A imagem abaixo mostra a coloração amarelo-laranja da Curcuma Longa 

CURCUMINA, ALZHEIMEIR, MEMÓRIA E HUMOR:

Um dos novos tratamentos mais promissores para a doença de Alzheimer pode já estar na sua cozinha.

“A curcumina demonstrou capacidade de entrar no cérebro, ligar e destruir as placas beta-amilóides presentes na doença de Alzheimer com toxicidade reduzida”, disse Wellington Pham, Ph.D., professor assistente de Radiologia e Ciências Radiológicas e Engenharia Biomédica em Vanderbilt e autor sênior do estudo, publicado recentemente no Journal of Alzheimer’s Disease .

Outra pesquisa, publicada no American Journal of Geriatric Psychiatry , examinou os efeitos de um suplemento de curcumina facilmente absorvido no desempenho da memória em pessoas sem demência.

O estudo duplo-cego controlado por placebo envolveu 40 adultos com idades entre 50 e 90 anos que tinham queixas leves de memória e tomaram 180 mg a de curcumina ao dia por 18 meses, controlados por placebo.

As pessoas que tomaram curcumina experimentaram melhorias significativas em suas habilidades de memória ( 28% melhor)  e atenção, enquanto os indivíduos que receberam placebo, não.

Aqueles que tomaram curcumina também tiveram melhora moderada no humor, e seus exames de PET do cérebro mostraram significativamente menos sinais de placas amilóides e tau na amígdala e hipotálamo do que aqueles que tomaram placebos.

A amígdala e o hipotálamo são regiões do cérebro que controlam várias funções emocionais e de memória.


Universidade Federal de Alagoas - UFAL. Instituto de Química e Biotecnologia- IQB. Programa de Pós-Graduação em Química e Biotecnologia PPGQB - PDF Download grátis


CURCUMINA PODE PROTEGER PULMÕES DE BEBÊS PREMATUROS
Estudo, publicado online pelo American Journal of Physiology, Lung Cellular and Molecular Physiology , descobriu que a curcumina fornece proteção contra displasia broncopulmonar (BDP), uma condição caracterizada por cicatrizes e inflamação, e contra hiperóxia, na qual muito oxigênio entra no corpo por meio os pulmões, por até 21 dias após o nascimento.
Um estudo anterior da LA BioMed descobriu que a curcumina fornecia proteção por até sete dias após o nascimento.

CÚRCUMA E OSTEOARTRITE:
Adultos com osteoartrite do joelho experimentaram uma redução significativa na gravidade da dor e função quando administrados 500 mg duas vezes ao dia de extrato de rizoma de Curcuma . longa (12,6% p / p de polissacarídeos) em um estudo comparativo randomizado, cego, controlado por placebo (n = 120). Uma diminuição no uso de analgésico de resgate (acetaminofeno) também foi significativa no grupo tratado.

CURCUMINA E ARTRITE REUMATÓIDE:
Um estudo piloto randomizado, simples-cego foi conduzido em 45 adultos com artrite reumatóide que foram aleatoriamente designados para curcumina 500 mg, diclofenaco 50 mg ou a combinação dos 2 agentes duas vezes ao dia por 8 semanas.
Todos os 3 grupos experimentaram melhorias significativas desde a linha de base nos escores de atividade da doença (DAS) e escores conjuntos do American College of Rheumatology (ACR).
As melhorias do grupo da curcumina nas pontuações DAS e ACR foram significativamente melhores do que as pontuações do grupo diclofenaco.

CÚRCUMA E PROTEÇÃO HEPÁTICA:
O benefício da cúrcuma em 48 pacientes adultos com níveis séricos elevados de ALT foi investigado em um ensaio clínico randomizado controlado com placebo de 12 semanas.
Os pacientes receberam 2 cápsulas de cúrcuma em pó fermentado de 500 mg ou um placebo correspondente 3 vezes ao dia. Reduções significativas na semana 12 em comparação com o placebo foram observadas com açafrão em pó fermentado para ALT e AST( marcadores de agressão hepática)

CURCUMINA E CÂNCER:
A curcumina e seus análogos exibem atividade supressora de crescimento contra uma ampla gama de tumores, incluindo pele, estômago anterior, duodenal, vesícula biliar e cólon em vários estágios de desenvolvimento, incluindo iniciação, promoção e metástase.
 Vários mecanismos de ação são propostos para a atividade anticâncer da curcumina, incluindo a inibição da expressão de genes promotores de crescimento e metástases; regulação de alvos moleculares que controlam a adesão celular, apoptose e invasão; e regulação de enzimas que controlam o crescimento do tumor.
Estudos também indicaram que a curcumina tem um efeito radiossensibilizador em culturas de células cancerosas.
Fonte: Mullaicharam, A. R., & Maheswaran, A. (2012). Pharmacological effects of curcumin Mullaicharam A R, Maheswaran A - Int J Nutr Pharmacol Neurol Dis., 2(2): 92-99.
Fonte: Mullaicharam, A. R., & Maheswaran, A. (2012). Pharmacological effects of curcumin Mullaicharam A R, Maheswaran A – Int J Nutr Pharmacol Neurol Dis., 2(2): 92-99.

EFEITO CARDIOVASCULAR DA CUCUMINA:
1.  Entre os voluntários saudáveis, a curcumina 500 mg / dia por 7 dias diminuiu os níveis de colesterol sérico e peróxido de lipídio e aumentou a lipoproteína de alta densidade (HDL).   Outro estudo documentou resultados semelhantes em pacientes com síndrome coronariana aguda.

2. Uma dose de curcumina de 300 mg por via oral duas vezes ao dia durante 8 semanas reduziu as citocinas inflamatórias e os marcadores de estresse oxidativo na disfunção endotelial comparável à atorvastatina em pacientes com diabetes tipo 2.

3. Outro ensaio clínico randomizado duplo-cego em pacientes tailandeses com diabetes tipo 2 (n = 240), observou melhora significativa no risco aterogênico durante 6 meses de suplementação com curcuminóide 750 mg / dia (250 mg 3 vezes ao dia), seguido de 3- meses iniciais de dieta e educação sobre estilo de vida. A atividade antiaterogênica, medida pela velocidade da onda de pulso, adiponectina, leptina, resistência à insulina, triglicerídeos, ácido úrico e gordura corporal total foram todos significativamente melhorados em 6 meses ( P <0,001), assim como a gordura visceral ( P<0,05).

4. Uma meta-análise de 7 tratamentos em 6 estudos que incluíram 172 indivíduos encontrou uma redução significativa no biomarcador de inflamação sistêmica, proteína C reativa, com preparações curcuminóides padronizadas que foram tomadas por pelo menos 4 semanas. As doses variaram de 200 a 6.000 mg / dia com biodisponibilidade variável.

Mais da metade dos estudos (4/6) foram classificados como de alta qualidade, enquanto os outros 2 foram de baixa qualidade; a heterogeneidade geral era alta.

Outra meta-análise de 7 ensaios clínicos randomizados e controlados (N = 649) em pacientes com fatores de risco cardiovascular (por exemplo, diabetes tipo 2, síndrome metabólica) identificou um efeito positivo geral significativo para produtos de cúrcuma e / ou curcumina no colesterol LDL ( P <0,0001) e triglicerídeos ( P= 0,007) sem heterogeneidade significativa.

A análise de subgrupo revelou melhora significativa em pacientes com síndrome metabólica (N = 136; P <0,0001), mas não naqueles com hiperglicemia.


METABOLISMO DO FERRO E CÚRCUMA:

A administração de uma dose única de 6 g de curcuma contendo curcuminóides mistos (120 mg de curcumina) a voluntários saudáveis ​​do sexo masculino resultou em diminuição significativa dos níveis de hepcidina em 3 pontos temporais ao longo de 48 horas após a ingestão.

Os níveis de ferritina sérica também diminuíram significativamente em comparação com o placebo ( P = 0,015); entretanto, o ferro sérico, a transferrina, a saturação da transferrina e os níveis de glicose não foram afetados significativamente.

Sintomas gastr intestinais  transitórios ocorreram em 2 participantes; Não foram relatados eventos adversos graves.

Os resultados deste estudo de prova de conceito duplo-cego, randomizado e cruzado controlado (n = 18) confirmaram os resultados anteriores demonstrados in vitro.


CURCUMINA E DEPRESSÃO:

A revisão minuciosa da literatura científica permite constatar que a cúrcuma, através da curcumina (o principal componente do rizoma da Curcuma Longa L.) tem considerável efeito neuroprotetor e antidepressivo no hipocampo.

Estudos pré-clínicos para avaliação de antidepressivos utilizam amplamente animais em estresse crônico moderado e imprevisível (ECMI) em pesquisas, como modelo preditivo.

Logo, algumas citações são decorrentes dessa metodologia de trabalho e corroboram com a teoria de que a cúrcuma tem efeito antidepressivo sobre o cérebro de animais submetidos à depressão.

Outros comprovam que a curcumina aumenta consideravelmente os níveis de BDNF, um gen importante de crescimento e manutenção de neurônios específicos relacionados com a depressão.

Um outro ensaio clínico randomizado e controlado comparou a segurança e eficácia da curcumina com a da fluoxetina em 60 pacientes com transtorno depressivo maior (sem ideação suicida).

Após 6 semanas, a curcumina 1.000 mg / dia foi considerada equivalente a fluoxetina 20 mg / dia na proporção de respondentes com base nos escores da escala de depressão de Hamilton; no entanto, os pacientes em terapia combinada mostraram uma resposta melhor do que qualquer um dos regimes de monoterapia.


EFEITO ANTI INFLAMATÓRIO DA CURCUMINA :

Foi demonstrado que a curcumina interfere na via dos eicosanóides, envolvendo as enzimas ciclooxigenase e lipoxigenase, refletindo o uso tradicional de açafrão em sistemas médicos ayurvédicos e chineses para inflamação.

Ensaios clínicos mais antigos foram conduzidos comparando a curcumina com a fenilbutazona.  O efeito terapêutico da curcumina foi comparável ao da hidrocortisona no tratamento da fibrose pulmonar experimental.

O tratamento da dor inflamatória aguda subsequente à remoção dos molares impactados foi explorado em um estudo randomizado e controlado (n = 90).

Tanto o controle ativo (ácido mefenâmico) quanto a curcumina (400 mg 3 vezes ao dia × 24 horas) foram eficazes na redução da dor inflamatória pós-operatória com pacientes no grupo da curcumina relatando reduções significativamente maiores na dor em cada momento ( P = 0,0001 cada).

Além disso, mais pacientes no grupo de curcumina relataram reduções de pontuação de dor mais altas de 6 ou 7 do que o grupo de controle (57% vs 24%, respectivamente, para tratamento vs controle), enquanto as reduções de pontuação no grupo de controle foram principalmente de 4 ou 5 ( 55,6%).


EFEITO SOBRE O CORTISOL NO  TECIDO ADIPOSO:

A 11-Beta hidroxiesteróide desidrogenase tipo 1 (11-beta-HSD1) é uma enzima presente no tecido adiposo ( células de gordura) e outras células que convertem cortisona inativa em cortisol ativo.

Isto é importante, porque significa que o tecido adiposo pode produzir o seu próprio cortisol e favorecer o aumento da massa de gordura independente do nível de cortisol no sangue

Por causa da ação da 11-beta HSD-1 , os indivíduos podem estar sofrendo os efeitos de níveis elevados de cortisol em áreas locais, tendo perfis hormonais normais de cortisol.

Embora os níveis plasmáticos de  corticóides não estejam elevados na obesidade, observa-se desregulação do 11beta-HSD1 com atividade diminuída no fígado e atividade aumentada no tecido adiposo.

A inibição dessa enzima parece ser uma opção atraente para o tratamento de doenças metabólicas. Inibidores seletivos 11beta-HSD1 em roedores causam perda de peso, melhoram a sensibilidade à insulina e retardam a progressão de doenças cardiovasculares.

curcumina é um potente inibidor de HSD-1 em modelos animais, e é usada na clínica de efeito metabólico, em obesidade e gordura da barriga clinicamente resistente


EFEITO  GASROINTESTINAL DA CURCUMINA:

Foi descoberto que a cúrcuma e a curcumina causam mudanças nas espécies na microbiota intestinal de adultos saudáveis, sendo a curcumina o principal responsável pelas mudanças.

Em contraste com o placebo, as respostas da microbiota intestinal ao açafrão e à curcumina foram altamente personalizadas e não uniformes, mas não aleatórias.

Os respondentes exibiram aumentos uniformes nas espécies Clostridium, espécies Bacteroides, espécies Citrobacter, espécies Cronobacter, espécies Enterobacter, espécies Enterococcus, espécies Klebsiella, espécies Parabacteroides e espécies Pseudomonas, bem como diminuições nas espécies Blautia e Ruminococcus. 122 , 122

Um estudo piloto investigou o uso de extrato de raiz de cúrcuma padronizado 1.800 ou 3.600 mg / dia em 207 pacientes com síndrome do intestino irritável.

Melhoria nos escores de qualidade de vida foi relatada por ambos os grupos.

Um estudo piloto semelhante conduzido em pacientes com doença de Crohn encontrou resultados favoráveis.

Um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo de 6 meses em 89 pacientes que receberam curcumina como terapia de manutenção para colite ulcerosa mostrou diferenças na taxa de recaída em comparação com placebo .A dose de curcumina usada foi de 1 g duas vezes ao dia em combinação com a terapia de manutenção padrão de mesalamina ou sulfassalazina.

Resultados de estudos com animais  e ensaios não controlados  sugerem um papel para a cúrcuma no tratamento de úlcera duodenal ou gástrica.

Um ensaio duplo-cego, randomizado e controlado por placebo de 2016 investigou o uso adjuvante de curcumina em 68 adultos iranianos com dor gástrica, sintomas de dispepsia e úlceras gástricas ou duodenais confirmadas na presença de H. pylori.

Além da terapia tripla padrão com H. pylori, os pacientes receberam 500 mg de curcumina mais 5 mg de piperina por dia como terapia adjuvante.

O mesmo número de pacientes em ambos os grupos teve erradicação da infecção documentada (73,3%) e melhora significativa em todos os sintomas de dispepsia, exceto vômitos, com os escores de gravidade total também melhoraram ( P <0,001). N

No entanto, o uso adjuvante de curcumina levou a melhorias significativamente maiores no arroto  dor surda abdominal superior, dor de estômago antes das refeições  e escores de gravidade dispéptica total .

Mais pacientes no grupo da curcumina alcançaram uma pontuação total não dispéptica ao final do estudo do que aqueles no grupo do placebo (27,6% vs 6,7%, respectivamente; P <0,001) e significativamente mais tiveram resolução da dispepsia com a curcumina também ( P = 0,042). O tratamento foi bem tolerado, sem eventos adversos graves relatados.


PODER ANTIOXIDANTE DA CÚRCUMA SOBRE A DEPRESSÃO - Brasil Escola


GRAVIDEZ E LACTAÇÃO:

Evite o uso durante a gravidez e a lactação porque foram documentados potenciais efeitos  abortivos.  Os efeitos estrogênicos e antiandrogênicos são documentados em modelos animais.  Um extrato de C. longa teve um efeito contraceptivo em ratos machos.

Uma redução na motilidade espermática foi observada em ratos que receberam cúrcuma 500 mg / kg / dia como um extrato aquoso ou alcoólico.


>


REFERÊNCIAS :

Memory and Brain Amyloid and Tau Effects of a Bioavailable Form of Curcumin in Non-Demented Adults: A Double-Blind, Placebo-Controlled 18-Month Trial

Madhu K, Chanda K, Saji MJ. Safety and efficacy of Curcuma longa extract in the treatment of painful knee osteoarthritis: a randomized placebo-controlled trial. Inflammopharmacology. 2013;21(2):129-136.23242572

Kim SW, Ha KC, Choi EK, et al. The effectiveness of fermented turmeric powder in subjects with elevated alanine transaminase levels: a randomised controlled study. BMC Complement Altern Med. 20138;13:58-65.23497020

Pari L, Tewas D, Eckel J. Role of curcumin in health and disease. Arch Physiol Biochem. 2008;114(2):127-149.18484280

Strimpakos AS, Sharma RA. Curcumin: preventive and therapeutic properties in laboratory studies and clinical trials. Antioxid Redox Signal. 2008;10(3):511-545.18370854

Surh YJ, Chun KS. Cancer chemopreventive effects of curcumin. Adv Exp Med Biol. 2007;595:149-172.17569209

Bhandarkar SS, Arbiser JL. Curcumin as an inhibitor of angiogenesis. Adv Exp Med Biol. 2007;595:185-195.17569211

Kuttan G, Kumar KB, Guruvayoorappan C, Kuttan R. Antitumor, anti-invasion, and antimetastatic effects of curcumin. Adv Exp Med Biol. 2007;595:173-184.17569210

Pari L, Tewas D, Eckel J. Role of curcumin in health and disease. Arch Physiol Biochem. 2008;114(2):127-149.18484280

Usharani P, Mateen AA, Naidu MU, Raju YS, Chandra N. Effect of NCB-02, atorvastatin and placebo on endothelial function, oxidative stress and inflammatory markers in patients with type 2 diabetes mellitus: a randomized, parallel-group, placebo-controlled, 8-week study. Drugs R D. 2008;9(4):243-250.18588355

Sahebkar A. Are curcuminoids effective C-reactive protein-lowering agents in clinical practice? Evidence from a meta-analysis. Phytother Res. 2014;28(5):633-642.23922235

Chuengsamarn S, Rattanamongkolgul S, Phonrat B, Tungtrongchitr R, Jirawatnotai S. Reduction of atherogenic risk in patients with type 2 diabetes by curcuminoid extract: a randomized controlled trial. J Nutr Biochem. 2014;25(2):144-150.24445038

Qin S, Huang L, Gong J, Shen S, Huang J, Ren H, Hu H. Efficacy and safety of turmeric and curcumin in lowering blood lipid levels in patients with cardiovascular risk factors: a meta-analysis of randomized controlled trials. Nutr J. 2017;16(1):68.29020971

Laine F, Laviolle B, Bardou-Jacquet E, et al. Curcuma decreases serum hepcidin levels in healthy volunteers: a placebo-controlled, randomized, double-blind, cross-over study. Fundam Clin Pharmacol. 2017;31(5):567-573.28370178

https://monografias.brasilescola.uol.com.br/saude/poder-antioxidante-curcuma-sobre-depressao.htm

Sanmukhani J, Satodia V, Trivedi J, et al. Efficacy and safety of curcumin in major depressive disorder: a randomized controlled trial. Phytother Res. 2014;28:579-585.23832433

Rao CV. Regulation of COX and LOX by curcumin. Adv Exp Med Biol. 2007;595:213-226.17569213

Xu M, Deng B, Chow YL, Zhao ZZ, Hu B. Effects of curcumin in treatment of experimental pulmonary fibrosis: a comparison with hydrocortisone. J Ethnopharmacol. 2007;112(2):292-299.17434272

Mauilina T, Diana H, Cahyanto A, Amaliya A. The efficacy of curcumin in managing acute inflammation pain on the post-surgical removal of impacted third molars patients: a randomised controlled trial. J Oral Rehabil. 2018;45(9):677-683.29908031

Curcumin as a Potent and Selective Inhibitor of 11β-Hydroxysteroid Dehydrogenase 1: Improving Lipid Profiles in High-Fat-Diet-Treated Rats
Guo-Xin Hu,# 1 Han Lin,# 2 Qing-Quan Lian, 2 Shu-Hua Zhou, 1 Jingjing Guo, 2 Hong-Yu Zhou, 1 Yanhui Chu, 3 and Ren-Shan Ge 2 , 4 ,
Induction of human breast cell carcinogenesis by triclocarban and intervention by curcumin Shilpa Sood 1, Shambhunath Choudhary, Hwa-Chain Robert Wang

Rotblatt M, Ziment I. Evidence-Based Herbal Medicine. Philadelphia, PA: Hanley & Belfus; 2002.

Brinker FJ. Herb Contraindications and Drug Interactions: With Appendices Addressing Specific Conditions and Medicines. 2nd ed. Sandy, OR: Eclectic Medical Publications; 1998.
Ernst E. Herbal medicinal products during pregnancy: are they safe? BJOG. 2002;109(3):227-235.11950176
Peterson CT, Vaughn AR, Sharma V, et al. Effects of turmeric and curcumin dietary supplementation on human gut microbiota: a double-blind, randomized placebo-controlled pilot study. J Evid Based Integr Med.
Bundy R, Walker AF, Middleton RW, Booth J. Turmeric extract may improve irritable bowel syndrome symptomology in otherwise healthy adults: a pilot study. J Altern Complement Med. 2004;10(6):1015-1018.15673996
Holt PR, Katz S, Kirshoff R. Curcumin therapy in inflammatory bowel disease: a pilot study. Dig Dis Sci. 2005;50(11):2191-2193.16240238

Hanai H, Iida T, Takeuchi K, et al. Curcumin maintenance therapy for ulcerative colitis: randomized, multicenter, double-blind, placebo-controlled trial. Clin Gastroenterol Hepatol. 2006;4(12):1502-1506.17101300

Kitsupa N, Kiatying-Angsulee N, Nuttakul W. In vivo antioxidation of turmeric oil and its role for pepetic ulcer protection [abstract]. Clin Exp Pharmacol Physiol. 2004;31(suppl 1):A164.

Van Dau N, Ngoc Ham N, Huy Khac D, et al. The effects of a traditional drug turmeric (Curcuma longa), and placebo on the healing of duodenal ulcer. Phytomedicine. 1998;5(1):29-34.

Prucksunand C, Indrasukhsri B, Leethochawalit M, Hungspreugs K. Phase II clinical trial on effect of the long turmeric (Curcuma longa Linn) on healing of peptic ulcer. Southeast Asian J Trop Med Public Health. 2001;32(1):208-215.11485087

Khonche A, Biglarian O, Panahi Y, et al. Adjunctive therapy with curcumin for peptic ulcer: a randomized controlled trial. Drug Res (Stuttg). 2016;66(8):444-448.27351245
Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ARTIGOS RELACIONADOS

Mais lidAs

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Posts recentes

Me siga

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp