Nutrientes para o cérebro encontrados em carnes, peixes, frangos e ovos.

O cérebro humano é o objeto mais complexo do universo. É também o órgão que consome, de longe, a maior parte da energia do corpo, em comparação com o seu peso. O cérebro tem apenas cerca de 2% do peso corporal, mas utiliza 20% da energia do metabolismo.

Este órgão notável tem evoluído ao longo de milhões de anos. Durante este tempo, os seres humanos têm sido onívoros. Nós comemos alimentos de origem vegetal e animal. Há muitos nutrientes nesses alimentos que são absolutamente essenciais para o bom funcionamento desse órgão muito delicado.

A não ser que cuidados apropriados sejam tomados para suplementação nutricional, os Veganos (pessoas que por razões éticas, relacionadas ao respeito aos direitos animais, prescindem do uso de qualquer produto de origem animal na sua vida cotidiana) e aqueles que evitam alimentos de origem animal podem ser levados à uma deficiência em algumas dessas importantes substâncias. Abaixo estão relacionados cinco nutrientes que são muito importantes para o cérebro e só encontrados em alimentos de origem animal.

1. Vitamina B12

Você sabia que nem uma única população na história do mundo já adotou voluntariamente uma dieta vegana?

Isso porque antes da era dos suplementos, tal mudança na dieta, teria começado a matar pessoas dentro de poucos anos. A vitamina mais conhecida que o corpo não pode produzir e só pode ser obtida a partir de alimentos de origem animal, é a vitamina B12.

A vitamina B12 é uma vitamina solúvel em água que está envolvida nas funções de todas as células do corpo. Ela está fortemente envolvida na formação do sangue e nas funções do cérebro. Sua deficiência geralmente resulta em anemia, funções do cérebro prejudicadas, sintomas de distúrbios mentais e um cérebro menor (1 , 2 , 3).

Existem também evidências ligando a deficiência de vitamina B12 à doença de Alzheimer, que é a causa mais comum de demência nos países Ocidentais (4 , 5). As únicas boas fontes alimentares de vitamina B12 são os alimentos de origem animal como carnes, peixes e ovos.

A deficiência é generalizada entre os veganos e vegetarianos, que evitam esses alimentos. Em um estudo realizado na Universidade de Wisconsin, nos EUA, uma alarmante porcentagem de 92% dos veganos e 47% dos lacto-ovo-vegetarianos se mostraram deficientes neste nutriente essencial ao cérebro (6).

A deficiência em vitamina B12 pode causar danos irreversíveis ao cérebro. Se os seus níveis forem apenas ligeiramente menores do que deveriam ser, podem surgir sintomas como falta de memória, depressão e fadiga (7). Se você optar por evitar alimentos de origem animal, certifique-se de completar sua dieta com vitamina B12 ou comer alimentos que foram enriquecidos com ela.

As algas são uma fonte potencial de vitamina B12 de plantas, mas se elas podem ser eficazes para corrigir a deficiência de B12 em seres humanos ainda não se sabe (8 , 9 ).

Em suma: A vitamina B12 é crítica para a saúde do cérebro e do sistema nervoso e é encontrada principalmente nos alimentos de origem animal. A deficiência pode causar todos os tipos de efeitos adversos sobre a função cerebral.

 

2. Creatina

Quem é atleta, ginasta ou faz musculação conhece a creatina. É o suplemento de construção muscular mais popular do mundo, por uma boa razão. Estudos científicos mostram consistentemente que a suplementação de creatina pode aumentar a massa e força muscular (10). A maneira como a creatina funciona é que ela constitui uma reserva de energia, que é capaz de reciclar mais rapidamente o ATP nas nossas células.

ATP é a “moeda energética” das células, formada a partir da energia dos alimentos e da gordura corporal. Durante os treinos, que consomem muita energia em um curto espaço de tempo, a creatina nos dá mais força por mais tempo (11).

Creatina não é realmente um nutriente essencial, porque o fígado pode produzi-la a partir de outros aminoácidos. No entanto, este processo de conversão parece ser pouco eficiente. Cerca de 95% da creatina do organismo é armazenada no músculo esquelético. No entanto, a creatina também está concentrada no cérebro. Da mesma forma que os nossos músculos precisam de energia para fazer o trabalho, o nosso cérebro precisa de energia para fazer várias coisas … como pensar, por exemplo.

Os vegetarianos que tomam suplementos de creatina vêm melhorias no desempenho cognitivo, especialmente em tarefas mais complexas, enquanto que não há diferença entre os não-vegetarianos (12 , 13).

Isto implica que os vegetarianos têm uma deficiência de creatina que está afetando negativamente a sua função cerebral. Os vegetarianos também têm uma menor quantidade de creatina no músculo esquelético. Suplementos de creatina são particularmente eficazes para melhorar o desempenho atlético neste grupo (14).

Se você precisa evitar a carne , considere a suplementação com Monoidrato de Creatina. Ele vai certamente fazer você mais forte e pode até fazer você mais inteligente também.

Em suma: A creatina é um nutriente importante no músculo e cérebro, que ajuda a fornecer energia. Estudos mostram que os vegetarianos têm uma deficiência de creatina que leva a efeitos adversos sobre a função muscular e cerebral.

3. Carnosina

A carnosina é um nutriente muito importante que você pode nunca ter ouvido falar antes. O prefixo Carno é o termo em latim para a carne, como Carní-voro (comedor de carne). É estritamente encontrada em tecidos animais, o que significa que veganos e vegetarianos não a obtém suficientemente , a partir da dieta.

A carnosina é um dipeptídeo formado a partir de dois aminoácidos (beta-alanina e histidina) e é altamente concentrado tanto em tecido muscular quanto cerebral. Esta substância é altamente protetora contra vários processos degenerativos no corpo. É um antioxidante potente, inibe a glicação causada pela concentração elevada de açúcar no sangue e pode impedir a reticulação de proteínas (23 , 24 , 25). Por esta razão, a Carnosina tornou-se muito popular como um suplemento anti-envelhecimento.

Os níveis de carnosina são significativamente menores nos pacientes com várias desordens do cérebro, incluindo mal de Parkinson e Alzheimer – as duas doenças neurodegenerativas mais comuns (26 , 27 , 28).

Muitos pesquisadores têm especulado que os alimentos de origem animal podem proteger o cérebro e o corpo contra o envelhecimento, devido à sua grande quantidade de carnosina (29 , 30).

Em suma: A carnosina é encontrada estritamente nos tecidos animais. Este nutriente pode reduzir danos causados ​​pelo aumento da glicemia e pode ter fortes efeitos anti-envelhecimento.

4. Ácido docosahexaenóico (DHA)

Todos que se preocupam com a nutrição, sabem que os ácidos graxos Ômega-3 são extremamente importantes. O corpo humano não pode sintetizá-los, por isso deve obtê-los a partir da dieta. É por isso que ômega-3 (e ômega-6) são chamados de ácidos graxos “essenciais” – se não comê-los, ficamos doentes. Há duas formas ativas de ômega-3 no corpo, EPA e DHA.

DHA é o ácido graxo ômega-3 mais abundante no cérebro e é crítico para o seu desenvolvimento normal (31). O baixo consumo de DHA pode afetar vários aspectos da função cognitiva e a saúde mental, especialmente em crianças (32 , 33). É também muito importante para as mulheres em idade fértil, porque o status de ômega-3 em uma mulher pode ter profundos efeitos sobre o cérebro da prole (34).

Muitas pessoas evitam produtos de origem animal, em vez disso, suplementam com óleo de semente de linho o que é uma grande fonte de ALA … uma forma de ômega-3 de plantas. No entanto, o ALA tem de ser convertido em DHA para que ele funcione. Estudos mostram que o processo de conversão é notoriamente ineficaz em seres humanos (35).

Por esta razão, veganos e vegetarianos são muito propensos a serem deficientes neste ácido graxo muito importante (36 , 37).

A melhor fonte de DHA é peixe gordo. Outras boas fontes incluem produtos de origem animal alimentados com capim. Existem também algumas algas que podem produzir EPA e DHA.

Em suma: O ácido graxo Ômega-3 DHA é essencial para o bom funcionamento do cérebro. Ele é encontrado principalmente em alimentos de origem animal como peixes gordos. Estudos mostram que os veganos e vegetarianos muitas vezes são deficientes neste nutriente.

Coma apenas alguns animais

Os seres humanos evoluíram comendo animais e plantas. No entanto, pode-se funcionar em alguns casos, sem um ou outro. Os Inuits (membros da nação indígena esquimó que habitam as regiões árticas do Canadá, Alasca e Groenlândia), por exemplo, sobreviveram principalmente sem plantas, mas eles tiveram que compensar comendo carne dos órgãos de animais.

Neste século 21, as pessoas podem sobreviver e funcionar sem alimentos de origem animal, se elas não se esquecerem de complementar a dieta com nutrientes essenciais. Antes da era da suplementação, a remoção completa de alimentos de origem animal teria levado a uma morte lenta e dolorosa, devido à deficiência de vitamina B12.

Mas, apesar de ser possível o funcionamento do corpo, sem alimentos vegetais ou animais… não é o ideal!

Da mesma forma que uma dieta a base de carne é mais saudável associada com um pouco de vegetais, uma dieta baseada em vegetais é mais saudável se associada com um pouco de carne.

Eu recomendo que as pessoas que optam por evitar a carne por razões éticas os comam, no mínimo, alguns ovos e peixes gordos. Mas, para aqueles que realmente decidirem remover todos os alimentos de origem animal da sua dieta… Certifiquem-se de serem muito prudentes sobre sua alimentação e suplementos, ou poderão acabar doentes e com cérebro com mal funcionamento.

Fonte:

http://authoritynutrition.com/5-brain-nutrients-in-meat-fish-eggs/

Am J Clin Nutr. 2016 Jan;103(1):218-30. doi: 10.3945/ajcn.115.119461. Epub 2015 Dec 9.
Mortality in vegetarians and comparable nonvegetarians in the United Kingdom.
Appleby PN1, Crowe FL1, Bradbury KE1, Travis RC1, Key TJ2.

Am J Clin Nutr. 2014 Jul;100 Suppl 1:378S-85S. doi: 10.3945/ajcn.113.071266. Epub 2014 Jun 4.
Cancer in British vegetarians: updated analyses of 4998 incident cancers in a cohort of 32,491 meat eaters, 8612 fish eaters, 18,298 vegetarians, and 2246 vegans.
Key TJ1, Appleby PN1, Crowe FL1, Bradbury KE1, Schmidt JA1, Travis RC1.

 

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

[social_share]

12 respostas

  1. Achei ótima matéria, explicativa, clara e objetiva. Gostaria de saber quais os peixes gordos que são indicados para uma melhora na performance cerebral.

    Obrigada

  2. É preciso rever tais conceitos e “estudos”, pois muito antes deles serem publicadas, o vegetarianos que não comem nada de origem animal vêm vivendo de maneira mais saudável do que os que escolhem comer carne. Mais de mil anos antes do Cristianismo e as religiões ocidentais que até hoje são presentes nascerem, os textos védicos e as escrituras do Oriente já anunciavam o vegetarianismo como forma de limpeza do corpo e da alma. É claro que são referências religiosas, porém são textos que também dizem respeito à saúde física. Vegetarianos vivem mais, segundo pesquisas de Universidades Americanas e européias, onde a mente das pessoas é mais aberta ao assunto, e abaixo, nesse comentário, disponibilizo os links dos sites de certas fontes de jornalismo anunciando isso em português.
    Ou seja, o vegetarianismo restrito é muito mais antigo do que os suplementos nutricionais na era atual, como cita erroneamente esse texto. Além disso, é muito mais antigo do que a Indústria da Carne, que financia estudos e textos com informações deturpadas e distorcidas com esse. É claro que há muito interesse e capital envolvido com o consumo da carne, isso propicia a aura de mistério e medo que a mídia popular normalmente coloca sobre o Vegetarismo.
    O Vegetarianismo é mais saudável, segundo estudos, obviamente é mais respeitoso aos animais e, ainda por cima, evita o desmatamento, passando ao largo de mais da metade da destruição do meio ambiente. Várias pesquisas e documentários, de organizações famosas, incluindo o Greenpeace, revelam isso. Não possuo o link de tais fontes agora, mas basta um pouco de pesquisa no Google e pode-se ter os dados em mãos.
    Inclusive, se houvesse mortes “dolorosas e lentas” de vegetarianos, a própria mídia se encarregaria de nos bombardear com essa “notícia” que beneficiaria todos os latifundiários e produres da indústria da carne, elite nacional e mundial.
    A produção industrial de carne como objeto de consumo, a carne de animais “coisificada” em produto lucrativo, é cruel e agressiva também ao meio ambiente.
    Esse comentário foi apenas para reinvindicar a verdade sobre tais mitos gerados acerca do vegetarianismo e militar um pouco para que cada um escolha o que fazer com seus hábitos alimentares sem que haja influências de tais informações impropriamente amedrontadoras acerca do consumo de carne, que a própria História milenar das religiões da Índia, Tibete e a maior parte do Sul da Ásia desmente com sua tradição.
    Eu próprio (claro que só citaria tudo isso se tivesse experiência própria no assunto) não me alimento de nenhuma carne, ovos ou leite, há anos. Fui reduzindo esses alimentos gradualmente ao longo de 2 anos e, desde então, há 5 anos não como tais alimentos, os considero repletos de gorduras (óleos saturados, a gordura ruim), o que é fato bem conhecido. Os vegetais, as castanhas e os cereais, por outro lado, só possuem óleos insaturados, a chamada gordura boa, benéfica, além de serem repletos de vitaminas. Mas enfim, quem quiser ler mais, é bom saber meio de fontes de informação com marcas mais confiaveis.
    Abaixo, os links das notícias sobre as estatísticas modernas e notícias sobre o vegetarianismo no Ocidente:

    http://noticias.terra.com.br/ciencia/conheca-7-razoes-pelas-quais-os-vegetarianos-vivem-mais,f5b20be23bf64410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

    http://veja.abril.com.br/noticia/saude/vegetarianos-vivem-mais-diz-pesquisa

    http://en.wikipedia.org/wiki/Vegetarianism_and_religion

    http://veja.abril.com.br/noticia/saude/vegetarianos-tem-coracao-mais-saudavel-confirma-estudo

    http://www.ecycle.com.br/component/content/article/35-atitude/1579-pesquisas-apontam-beneficios-da-dieta-vegetariana-para-a-saude.html

    http://maisequilibrio.com.br/saude/vegetarianismo-5-1-4-474.html

    http://www.ecycle.com.br/component/content/article/35-atitude/1579-pesquisas-apontam-beneficios-da-dieta-vegetariana-para-a-saude.html

    http://maisequilibrio.com.br/saude/vegetarianismo-5-1-4-474.html

  3. José Otávio, usar Terra, Veja, Wikipedia, Mais Equilibrio (????) e afins como base de argumentação chega a ser ofensivo. Procure por estudos sérios, de preferencia os estudos prospectivos randomizados, que certamente você vai reconsiderar alguns dos seus argumentos.

    Adoro o vegetarianismo e compartilho de vários argumentos. Mas carne NÃO faz mal, e isso já ta mais do que provado. Foquem em argumentos sustentáveis e afins que vocês tem muito mais a ganhar, pois os mesmos fazem muito mais sentido.

    1. Jonathas Peschiera, você está enganado, pois a carne faz mal sim. Não temos a fisiologia humana como a de um carnívoro, estamos mais próximos dos onívoros porem não tão próximo quanto aos dos herbívoros. Aqui está o comparativo por Dr Nilton, tem vídeo também – http://whale.to/a/comp.html

      Esse texto eu não posso afirmar nada, porém acho desatualizado tais informações, pois será que muitos vegetarianos com exemplo de saúde a muitos e muitos anos são exceções, seria muita coincidência. Eu sou ciclista e faço musculação e nunca tive maior crescimento muscular e desempenho do que antes quando comia carne. Vou te mandar um link do Dr Eric Nutrólogo. Depois o site dele:

      http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/vigilante-da-causa-magra/cinco-mitos-sobre-a-dieta-vegana/

      Ele tem o site – Alimentação sem carne. Vai lá confira.

  4. PALAVRAS CHAVES: INFORMAÇÃO DE QUALIDADE; EVOLUÇÃO. Caríssimo Dr. Roberto e Jonathas Peschiera (que pediu fontes confiáveis), vale ressaltar e informar-lhes que a prestigiada Associação Dietética Americana (ADA), que em 2012 passou a chamar-se Academia de Nutrição e Dietética (AND) já emitiu inúmeros pareceres e documentos oficiais apoiando dietas vegetarianas, incluindo as restritas, dietas veganas, bem planejadas e reforçou seu posicionamento recentemente. A associação continua afirmando que uma alimentação livre de carnes e de qualquer outro produto de origem animal pode ser forte aliada na prevenção de doenças crônicas. O mito de que vegetarianos consomem pouca proteína foi mais uma vez derrubado pela associação norte americana, que foi enfática ao dizer que a preocupação com as proteínas chega a ser sem fundamento. “A preocupação sobre os vegetarianos – especialmente os veganos e os atletas veganos – não consumirem proteína em quantidade e qualidade suficientes é sem fundamento. As dietas vegetarianas que incluem uma variedade de produtos vegetais fornecem a mesma qualidade da proteína que as dietas que incluem carne.” – diz a associação. “É a posição da Academia de Nutrição e Dietética (AND) que as dietas vegetarianas podem fornecer benefícios na prevenção e tratamento de certas condições de saúde, incluindo aterosclerose, diabetes tipo 2, hipertensão e obesidade. Bem planejadas, dietas vegetarianas, que podem ou não incluir alimentos fortificados ou suplementos, atendem as recomendações atuais e são apropriados para todos as fases do ciclo de vida, incluindo a gravidez, lactação, primeira infância, infância e adolescência. Os vegetarianos devem ter cuidado
    especial para assegurar uma ingestão adequada de vitamina B12.” – conclui o texto. Além da AND mencionada acima, outra importantíssima associação médica americana que ressalta a mudança imediata para uma dieta livre de produtos de origem animal é o “Comitê de Médicos para uma Medicina Responsável”, uma organização sem fins lucrativos, sediada em Washington, DC, que promove a dieta estritamente vegetariana, o uso constante da medicina preventiva, o fim das pesquisas científicas com animais, e o uso dos mais elevados padrões de ética e eficácia na investigação. Foi fundada em 1985 pelo psiquiatra Neal D. Barnard da Georgetown University School of Medicine. Hoje são mais de 100 mil médicos associados à ONG e à causa.
    O próprio Ministério da Saúde, embasado em inúmeros documentos e pesquisas avalizados pela FAO/ONU em dezenas das principais universidades do planeta, emitiu novo parecer em 2014 em seu Guia Alimentar para a População Brasileira avalizando as dietas vegetarianas, incluindo a restrita, como extremamente saudável e recomendada. Recentes pesquisas da Universidade Autônoma de Barcelona, University College of London e Universidade de Sydney sugere que desenvolvimento de nossa capacidade de obter açúcares de amidos sustentou acelerado crescimento do cérebro – e contradiz defensores da dieta das cavernas.
    Abaixo os links, acho que já dá, no mínimo, pra pensar 2 vezes antes de bater o “martelo carnista”:
    http://vista-se.com.br/wp-content/uploads/2015/06/and-posicionamento-vegetarianismo.pdf
    http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira.pdf
    http://www.pcrm.org/solr/no%20meat%20diet
    http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2015/08/dieta-rica-em-carboidratos-foi-chave-para-inteligencia-humana-diz-estudo.html

  5. É mais que comprovado que é possível sim viver perfeitamente bem e saudável em uma dieta vegetariana. Dentro de uma dieta bem pensada, vegetarianos e veganos vivem muito mais que onívoros e carnistas e são muito mais saudáveis. Ainda por cima deixamos de fazer parte de todos os malefícios que a indústria da carne causa. Se o mundo todo fosse vegetariano, dificilmente haveria fome no planeta, pois o rebanho consome sozinho cerca de um terço dos grãos produzidos no mundo (não é o caso do rebanho brasileiro, que se alimenta de capim, porém exportamos boa parte da nossa soja para servir de alimento ao gado estrangeiro).. Para produzir um quilo de carne, gastam-se 43.000 litros de água! E aí reclamam da fome na África, aí mandam a gente fechar a torneira na hora de escovar os dentes pra “economizar água”, aí vem o outro fazer textão no facebook reclamando o absurdo que é comer carne de cachorro na China ¬¬… AH, que gentinha mais hipócrita, vão tomar banho e olhar pra si próprios antes de criticar os outros! Aí quando assistem um vídeo de como funciona um abatedouro, choram e fazem um escândalo: “Como eles têm coragem de tirar o couro do boi ainda vivo? Como eles têm coragem de triturar os pintinhos assim? Como eles têm coragem de serrar os bicos das galinhas sem nenhuma anestesia?” Mas amanhã já esquecem do sofrimento e voltam a matar indiretamente pra satisfazer o próprio paladar. Com certeza nós vegetarianos e veganos estamos fazendo muito mais pelo mundo nesse quesito do que vocês carnistas, então não venham encher o saco e criticar alguém que se alimenta provavelmente muito melhor que vocês e tem a consciência muito mais limpa em relação ao mundo. É bem como diz o texto do Gregório Duvivier mesmo: “O problema é exatamente esse: alguém fazendo alguma coisa lembra a gente de que a gente não está fazendo nada. Quando o vizinho separa o lixo, você se sente mal por não separar. A solução? Xingar o vizinho, esse hipócrita que separa o lixo, mas fuma cigarro. Assim é fácil, vizinho. Quem não faz nada pra mudar o mundo está sempre muito empenhado em provar que a pessoa que faz alguma coisa está errada —melhor seria se usasse essa energia para tentar mudar, de fato, alguma coisa. Como diria minha avó: não quer ajudar, não atrapalha.”

  6. Lembro que a vitamina B12 é na verdade produzida por bactérias,o homem faz muito tempo que vive longe de tudo que é natural,essas bactérias eram comum no ambiente sem intervenções do homem,hoje nossa água é clorada,plantas envenenadas,alimentação idustrializada,cozida.alterada com química,isto tudo também diminui muito a reciclagem da vitamina b12,sim a b12 é reciclada no organismo,você sabia? Mesmo pessoas que comem carne tem deficiência da vitamina b12,você sabia? Você é médico de verdade,ou este é só um site que vc usa p ganhar dinheiro com propaganda?Por favor,vá se atualizar!!!!

  7. Bom exemplo de livre arbitrio.
    Podemos escolher o que quisermos, porem seremos refens das nossas escolhas.
    kkkkkk.
    Melhor rir do que chorar.
    Desculpem, mas não sabemos a verdade absolura…
    Gostei imensamente de tudo que foi escrito.
    Vcs me ajudaram mto.
    Obrigado!!

  8. Mano os caras que estão dizendo que quem come só vegetais vive mais está eternamente enganado , temos nutrientes em que apenas carnes apresentam , parem de desculpinha para não comer carne , comendo os dois carnes e vegetais teremos uma dieta saudável e extremamente ricas as pessoas que vivem mais são as que comem ambos os alimentos e não as que separam um dos outros , as que fazem isso que estão propensos a viver bem menos do que quem come os dois juntos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ARTIGOS RELACIONADOS

Mais lidAs

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Posts recentes

Me siga

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp