Acetilcisteína e Glutationa – os velhos novos aliados da saúde.

acetilcisteína

ACETILCISTEÍNA E GLUTATIONA: SAIBA MAIS SOBRE ESTES IMPORTANTES  ANTI OXIDANTES.

O que são os antioxidantes | GaúchaZH

Os anti oxidantes são usados no combate aos radicais livres gerados por:

  • poluição
  • obesidade
  • fígado gorduroso
  • tabagismo
  • exercícios extenuantes
  • tóxico ambientais
  • uso excessivo de bebidas alcoólicas
  • intoxicação hepática por medicamentos.
  • uso de drogas
  • envelhecimento

Praticamente todas doenças crônicas do envelhecimento como doenças do coração, câncer, diabetes, mal de Alzheimer, Parkinson e doenças psiquiátricas tem  o estresse oxidativo como uma das causas principais e quanto mais nos mantermos , “anti oxidados” mais saúde teremos.

O estresse oxidativo tem sido implicado na patogênese de diversos estados de doença e pode ser um mecanismo patogênico comum subjacente a muitos distúrbios psiquiátricos importantes, pois o cérebro apresenta uma vulnerabilidade comparativamente maior ao dano oxidativo.

Foi realizada uma pesquisa bibliográfica usando os bancos de dados Medline, Pubmed, PsycINFO, CINAHL PLUS, BIOSIS Preview e Cochrane, com um prazo que se estende até setembro de 2007.

Em conclusão, dados multidimensionais apoiam o papel do estresse oxidativo em diversos distúrbios psiquiátricos.

 

Estresse oxidativo

Acetilcisteína, também conhecida como N-acetilcisteína (NAC), é uma medicação  tradicionalmente usada para o tratamento da overdose de paracetamol (acetaminofeno) o qual assim como outros medicamentos que sobrecarregam o fígado, esgotam a glutationa.

Também é muito usado  para soltar o muco em indivíduos com infecções respiratórias (virais ou bacterianas) bem como portadores de doenças mais graves como fibrose cística ou doença pulmonar obstrutiva crônica ( DPOC)

O uso de acetilcisteína fornece cisteína necessária para a geração de glutationa, que impede seu esgotamento na intoxicação por paracetamol e evitando as lesões no fígado por radicais livre .

A N-acetilcisteína forma no organismo:

  • L-cisteína
  • cistina
  • L-metionina
  • glutationa
  • dissulfetos mistos;

Pode ser tomado por via intravenosa, pela boca, ou inalado, como uma névoa.


N- acetilcisteína e transtornos psiquiátricos

A justificativa para a administração de N-acetilcisteína  em condições psiquiátricas baseia-se em seu papel como precursor da glutationa antioxidante e em sua ação como agente modulador das vias:

  • glutamatérgica
  • dopaminérgica
  • neurotrópica
  • inflamatória.

Resultados promissores foram encontrados em ensaios testando o uso de N-acetilcisteína, principalmente como um tratamento complementar, no transtorno do uso de cannabis em jovens, depressão no transtorno bipolar, sintomas negativos na esquizofrenia e distúrbio de escoriação (escolha de pele).

Apesar do otimismo inicial, descobertas recentes sobre a eficácia da NAC no autismo foram decepcionantes.

Enquanto os mecanismos da NAC estão apenas começando a ser entendidos, é provável que a NAC esteja exercendo benefícios além de precursora das vias antioxidante, mas também como moduladora das vias glutamatérgica, neurotrópica e inflamatória.

A NAC combates a oxidação , a inflamação e modula neurotransmissores.

acetilcisteína

BDNF = fator neurotrófico derivado do cérebro; IL = interleucina; NADP = fosfato de nicotinamida adenina dinucleotídeo; NADPH = forma reduzida de NADP; TNF = fator de necrose tumoral.


ACETILCISTEÍNA NÃO MOSTROU DIMINUIR CHANCE DIÁLISE EM PACIENTES SUBMETIDOS E ANGIOGRAFIA E ALTO ÍNDICE DE COMPLICAÇÕES RENAIS:

Entre os pacientes com alto risco de complicações renais submetidas à angiografia, não houve benefício do bicarbonato de sódio intravenoso sobre o cloreto de sódio intravenoso ou da acetilcisteína oral sobre o placebo na prevenção da morte, necessidade de diálise ou declínio persistente da função renal aos 90 dias ou para a prevenção de lesão renal aguda associada ao contraste.  NCT01467466. abre em uma nova guia.)


N ACETIL CISTEÍNA E REDUÇÃO DE HOMOCISTEÍNA:

Um artigo que apareceu on-line em outubro de 2015 no American Journal of Clinical Nutrition revela uma redução da homocisteína total plasmática em homens que foram suplementados com N-acetilcisteína (NAC), um derivado antioxidante do aminoácido L-cisteína.

A homocisteína tem sido associada a um maior risco de doença cardiovascular, demência e outras condições adversas.

A suplementação com NAC foi associada com um aumento médio de 28% de cisteína plasmática e uma redução de aproximadamente 12%  de homocisteína, em comparação com os grupos placebos, independentemente do status lipídico ou tabácico dos indivíduos.


ACETILCISTEÍNA E DECLÍNIO  COGNITIVO NO ENVELHECIMENTO: ALZHEIMER E DEMÊNCIAS:

O aumento do estresse oxidativo associado ao envelhecimento está fortemente implicado no desenvolvimento  da doença de Alzheimer.

Estudos mostraram que os níveis da glutationa antioxidante  declinam em um estágio inicial da doença de Alzheimer, com níveis diminuídos correlacionados com piores funções cognitivas ( intelecto)

Nesta revisão, avaliamos a literatura existente e o potencial da N-acetilcisteína na promoção da saúde cognitiva e no alívio do declínio cognitivo associado à demência.

Com base na literatura disponível, uma formulação nutracêutica contendo N-acetilcisteína entre outros compostos mostrou alguns benefícios pró-cognitivos em pacientes com Alzheimer e adultos mais velhos, mas a evidência para a N-acetilcisteína sozinha é menos robusta.


ACETILCISTEÍNA E DOENÇAS PULMONARES OBSTRUTIVAS CRÔNICAS (DPOC):

A N-acetilcisteína (NAC) está demonstrando nos últimos anos uma grande eficácia no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Novos dados mostram que, em doses altas, a ação mucolítica e antioxidante deste fármaco pode ser uma estratégia terapêutica muito eficaz frente ao aumento do estresse oxidativo causado pela inflamação crônica, que são características predominantes do desenvolvimento da doença.


 

glutationa roberto franco do amaral

 

 

Glutation (ou glutationa)  é um potente antioxidante primário no corpo composto por 3 aminoácidos : glicina, ácido glutâmico, e cisteina

Devido a sua importância no organismo o uso da glutationa  pode ser  desde o combate aos radicais, e como coadjuvantes no tratamento de doenças crônicas como Parkinson, ELA, Alzheimer, doenças hepáticas, intoxicação por xenobióticos e metais pesados, degeneração macular, síndrome da fadiga crônica, esclerose múltipla, diabetes,  DPOC, e outras doenças neurodegenerativas

glutationa

 

 

 

 

 

 

A glutationa desempenha papéis importantes na defesa antioxidante, metabolismo de nutrientes e regulação de eventos celulares (incluindo expressão gênica, síntese de DNA e proteínas, proliferação e apoptose celular, transdução de sinal, produção de citocinas e resposta imune e glutationilação de proteínas).

A deficiência de glutationa contribui para o estresse oxidativo, que desempenha um papel fundamental no envelhecimento e na patogênese de muitas doenças incluindo:

  • Convulsão
  • Alzheimer
  • Mal deParkinson
  • Doença hepática
  • Fibrose cística
  • Anemia falciforme
  • HIV
  • AIDS
  • Câncer
  • Ataque cardíaco
  • Acidente vascular cerebral
  • Diabetes

A glutationa  pode ser suplementada por via endovenoso nas doses de 100-1500 mg e quando optada pela suplementação oral , o ideal é utilizar a cisteína para aumentar a produção endógena do mesmo devido a sua dificuldade de absorção via gastrointestinal


Você também pode gostar :

Ácido Lipóico (ALA) e suas Inúmeras Funções


PERGUNTAS E RESPOSTAS:


REFERÊNCIAS:

N-acetylcysteine in the Treatment of Psychiatric Disorders: Current Status and Future Prospects
Alessandro Minarini

Oxidative Stress in Psychiatric Disorders: Evidence Base and Therapeutic Implications
Felicity Ng

Glutathione Metabolism and Its Implications for Health
Guoyao Wu

Oral N-acetylcysteine reduces plasma homocysteine concentrations regardless of lipid or smoking status
Wulf Hildebrandt,

https://pt.wikipedia.org/wiki/Acetilciste%C3%ADna

Evaluation of the Neuroprotective Potential of N-Acetylcysteine for Prevention and Treatment of Cognitive Aging and Dementia
Y Hara

Multifaceted Activity of N-acetyl-l-cysteine in Chronic Obstructive Pulmonary Disease
Luigino Calzetta

http://www.ortomoleculardrhigashi.med.br/noticia/35/ortomolecular-glutation-uma-substancia-essencial-para-nossa-defesa-celular.html

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhe

23 respostas

  1. Encontrei aqui, todas informações necessarias que em outros só encontrava a metade!
    Dinâmica e de fácil compreensão pra leigos como eu.
    Compartilhar…
    Suplementar NAC seria interessante como um meio de prevenção (ou até tratamento) do covid19?

  2. Amei o artigo ! Estou fazendo ozonioterapia aí com vcs , será que essa suplementação me ajudaria ? Sei que não posso tomar antioxidantes perto do dia da aplicação , mas nos outros dias potencializariam os efeitos antioxidantes e pro aging do ozônio ?

  3. Existe uma forma, a A L-Glutationa Reduzida Setria da Healthy Origins é uma substância de ocorrência natural, a reduzida é produzida exclusivamente no Japão através de um processo registrado de fermentação. Dessa forma,por via oral, ela é absorvida ?

  4. Boa noite, tenho homocisteina de 22 micromol/l.
    Posso usar L-metilfolato(5- MTFH) pra tentar reduzir a homo? Qual a dose?
    Posso associar também com a NAC de 600mg
    Se eu tomar glutamina vai formar glutationa? Ou não tem a ver?
    Muito Obrigada Dr.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ARTIGOS RELACIONADOS

Mais lidAs

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Posts recentes

Me siga

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp