O Cloridrato de Ioimbina é um alcaloide da casca da árvore africana Corynanthe yohimbe, e é encontrado também na Rauwolfia Serpentina (L) Benth.

O Cloridrato de Ioimbina bloqueia receptores alfa-2 adrenérgicos pré-sinápticos; tendo ação vasodilatadora ( dilatação de vasos)

O efeito do Cloridrato de Ioimbina sobre o sistema nervoso autônomo periférico é o aumento da atividade parassimpática (colinérgica) e a diminuição da atividade simpática (adrenérgica).

No desempenho sexual masculino, a ereção está ligada à :

1- atividade colinérgica

2- bloqueio alfa-2 adrenérgico

Tais ações podem resultar em aumento do tônus peniano, diminuição do esvaziamento do fluxo sanguíneo no pênis ou ambos, provocando a estimulação erétil sem aumentar o desejo sexual.

A eficácia deste medicamento no tratamento da disfunção erétil depende da capacidade funcional do paciente

O Cloridrato de Ioimbina exerce ação estimulante sobre o humor e pode aumentar a ansiedade. Ambas as ações não foram adequadamente estudadas ou relacionadas com a dosagem, entretanto aparentam estar associadas a altas doses da droga.

Ioimbina e emagrecimento

Como os receptores alfa 2 tem o papel de inibir a queima de gordura (lipólise) no tecido gorduroso branco e a termogênese no tecido marrom, a ioimbina favorecer o emagrecimento através a utilização de gordura como fonte de energia.

Os principais efeitos colaterais do cloridrato de ioimbina incluem aumento da pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos, irritabilidade, vertigens, náuseas, vômitos, dores de cabeça, transpiração excessiva, urticária, vermelhidão na pele ou tremores.

A iombina atua promovendo um aumento da atividade do sistema nervoso simpático (SNS), com uma mobilização de gordura mais eficaz e sem efeitos significativos sobre o sistema cardiovascular. A principal função dos receptores adrenérgicos do adipócito ( células de gordura) é controlar a atividade da lipase hormônio-sensível e regular o processo de lipólise (queima de gordura) .

A ativação do receptor a2 adrenérgico leva à inibição da adenilciclase e da produção de AMP cíclico pela ativação de uma proteína G inibitória (G1). O nível intracelular de AMP cíclico controla a ativação da proteína – cinase A que regula a fosforilação e ativação da lipase lipase hormônio-sensível , que por sua vez promove a lipólise.

O ioimbina é vendida em farmácias como o nome de Yomax e também pode ser manipulada para tanto ser usada pela via oral como injetável.

Na minha prática com o uso da ioimbina injetável , o uso é bem tolerado mas a presença de médico no local é importantíssima.

Dose recomendada pela via oral : 5 mg 3 vezes ao dia por no máximo 10 semanas

Se ocorrerem reações como náusea, tontura ou nervosismo, a dosagem pode ser reduzida para 1/2 comprimido, três vezes ao dia. Posteriormente, a dose deve ser aumentada gradualmente para 1 comprimido três vezes ao dia.

Siga a orientação de seu médico, respeitando os horários, as doses e a duração do tratamento. Pacientes recebendo ioimbina devem estar sob supervisão de especialistas habituados ao seu uso.

Deve ser usado com cautela em pacientes com história de úlcera gastroduodenal.

Recomenda-se a monitorização periódica da pressão arterial e da frequência cardíaca.

REFERÊNCIAS

21. Kucio C, Jonderko K, Píiskorka D. Does yohimbine act as a slimming drug? Isr J Med Sci 1991;27(10):550-6.

Eficácia e Tolerabilidade das Substâncias Calorigênicas: Ioimbina, Triiodotironina, Aminofilina Combinada a Efedrina e Fenilpropanolamina no Tratamento da Obesidade a Curto Prazo Rascovski A

Bula do Yomax

.

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

[social_share]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ARTIGOS RELACIONADOS

Mais lidAs

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Posts recentes

Me siga

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp