Disbiose intestinal e Síndrome do Intestino Permeável ( Leaky Gut). Saiba tudo sobre o assunto.

 O QUE É DISBIOSE INTESTINAL E SÍNDROME DO INTESTINO PERMEÁVEL?

É um termo  usado  para alterações na  composição  bacteriana da flora  intestinal onde há proliferação de microorganismos maléficos em detrimento dos benéficos  causando sintomas como:

  • dor abdominal
  • flatulência
  • distensão abdominal
  • constipação intestinal ( intestino preso) ou intestino solto
  • alteração do hábito de ir ao banheiro evacuar .
  • diarréia

Alterações na  permeabilidade intestinal ou  Síndrome do Intestino Permeável  também é uma característica de disbiose , é a   chamada Leaky Gut ou intestino  vazado podendo causar problemas crônicos de saúde como verão mais abaixo

O incremento da permeabilidade intestinal supõe um aumento da passagem de substâncias não desejadas ao fluxo sanguíneo, podendo originar alterações inflamatórias e imunológicas crônicas, tanto a nível local como sistêmico.

Esta alteração é conhecida como síndrome do “intestino furado” (ou leaky gut em inglês) e costuma ser consequência principalmente de alterações das uniões estreitas e da absorção paracelular.

É de vital importância que sejam pesquisadas  doenças do trato intestinal antes de chegar ao diagnóstico de disbiose como Retocolite Ulcerativa, doença de Chron, Sindrome do intestino irritável, Insuficiência Pancreática  e gastrite por exemplo as quais podem  existir  de forma concomitante com a disbiose e se retroalimentando.

Na minha prática, já presenciei pacientes achando que tinham apenas disbiose e na verdade tinham, também,  doenças  de base como as citadas acima as quais mereciam tratamento específico para a melhora dos sintomas


A alimentação pode ser considerada como um dos fatores comportamentais que mais influencia a qualidade de vida das pessoas.

Nossa conduta adequada diante da alimentação fez-se necessária, pois os hábitos alimentares e o estilo de vida, nos últimos 40 anos, passaram por diversas modificações, sobrecarregando os diferentes sistemas do organismo.

A ingestão do alimento não garante que seus nutrientes estarão biodisponíveis para serem utilizados pelas células.

Neste contexto, o intestino é um orgão de  vital importância funcionando como filtros, capazes de permitir ou barrar a entrada de nutrientes necessários ao organismo e de substâncias prejudiciais para a nossa saúde.

É preciso nutrir o organismo adequadamente, isto é, ter uma ingestão adequada de alimentos, em quantidade e qualidade, afim de que nosso organismo receba todos os nutrientes essenciais ao seu bom funcionamento e ainda garantir que estes alimentos sejam bem digeridos, absorvidos e utilizados. Este processo é fundamental para determinar o melhor estado físico, mental e emocional.

O trato gastrintestinal (TGI) abriga um superorganismo chamado microbiota intestinal (flora intestinal), que é conhecida por desempenhar um papel crucial na digestão e também no desenvolvimento de diversas doenças.

O trato gastrintestinal humano contém mais de 10 trilhões de bactérias, abrangendo mais de 500 espécies diferentes. Uma das principais funções da mucosa intestinal é sua atividade de barreira, que impede as moléculas ou microrganismos antigênicos ou patógenos de entrarem na circulação sistêmica.

O intestino humano representa o maior órgão linfoide ( produz células do sistema imune) do corpo, desta forma ele é responsável por diversas reações imunológicas, devido a presença de anticorpos, como a imunoglobulina A secretora


Entre as possíveis causas da disbiose estão:

  • Uso indiscriminado de antibióticos, que matam tanto as bactérias boas assim como as nocivas
  • Uso indiscriminado de antiinflamatórios hormonais e não-hormonais
  • Abuso de laxantes
  • Consumo excessivo de alimentos processados em detrimento de alimentos naturais
  • Envelhecimento
  • Estresse
  • pH intestinal
  • Estado imunitário do hospedeiro.
  • Alérgenos alimentares
  • Uso crônico de inibidores da bomba de prótons – alteram o pH do estomago o qual tem que ser ácido. Exemplo: omeprazol
  • Açúcares, frutose em excesso principalmente a industrializada na forma HFCS  ( HIGH FRUCTOSE CORN SYRUP) em excesso e farinha de trigo
  • Uso excessivo de adoçantes artificiais  como sucralose, sacarina e acessulfame

Pode ainda estar associada a outros fatores alimentares, dieta com excesso de proteína, gordura ou carboidrato (uma grande ingestão de carboidrato leva a maior fermentação pelas bactérias no intestino grosso), ou com baixo teor de fibras ou ainda carência de vitaminas.

bacs


QUAIS SÃO SINTOMAS  E CONSEQUÊNCIAS  DA DISBIOSE  E SÍNDROME DO INTESTINO PERMEÁVEL?

  1. Inflamação e dores crônicas como  dor de cabeça
  2. Dor nas articulações e/ou dor muscular
  3. Fadiga Crônica
  4. Distúrbios inflamatórios da pele
  5. Erupções cutâneas, alergias
  6. Sensibilidades alimentares

DOENÇAS EM ESTUSO QUE PODEM ESTAR ASSOCIADAS A DISBIOSE  COMO CONSEQUÊNCIA DA LEAKY GUT:

De acordo com o estudo publicado em uma revista médica norueguesa, este processo “está implicado no aparecimento da doença e inclui várias condições pediátricas agudas e crônicas que provavelmente terão sua origem durante a infância”, sendo associado a:

  • Alergias
  • Asma
  • Autismo
  • Doenças autoimunes
  • Eczema e psoríase
  • Doença inflamatória intestinal
  • Artrite reumatoide
  • Síndrome de resposta inflamatória sistêmica
  • Diabetes tipo 1.
  • Resistência a insulina
  • Obesidade
  •  

disbiose


  •  

Os alimentos processados podem parecer uma solução barata e fácil, especialmente quando você está sem tempo.

Mas pesquisas recentes mostram alguns dos aditivos mais comuns, que muitas vezes ignoramos, nas listas de ingredientes que podem desencadear dificuldades digestivas. 

Como resultado, esses aditivos alimentares afetam os intestinos de forma a promover o desenvolvimento de sintomas de doenças autoimunes.

Então, se você está lidando com doenças inflamatórias, problemas de pele, e doenças autoimunes, é hora de eliminar da sua dieta ingredientes processados, como parte do seu plano de ação.

No trabalho publicado no periódico Autoimmunity Reviews, os pesquisadores descobriram evidências de que os alimentos processados ​​enfraquecem a resistência do intestino a bactérias, toxinas e outros elementos nutricionais e não nutricionais hostis aumentando o risco de doenças autoimunes.

 


Tratamento da disbiose:

O tratamento da disbiose abrange duas linhas, uma dietética, por meio da ingestão de alimentos funcionais, que beneficiam a constituição da microbiota intestinal, e outra usando suplementos a base  de prebióticos  e probióticos .

Os alimentos funcionais que estão relacionados à melhora e à manutenção da microbiota são ricos em  probióticos, os prebióticos e os simbióticos.

Evidências têm demonstrado que os alimentos probióticos e prebióticos modulam positivamente a composição e a atividade da microbiota intestinal, com consequentes efeitos benéficos sobre a saúde, como o restabelecimento do equilíbrio destes microrganismos, estímulo ao sistema imune, com fortes indícios de que inibam, ainda, atividade carcinogênica.


PROBIÓTICOS:

Os probióticos são bactérias benéficas que vivem no intestino e melhoram a saúde geral do organismo, trazendo benefícios como facilitar a digestão e a absorção de nutrientes, e fortalecer o sistema imunológico

Esses microrganismos geralmente são provenientes de mono ou múltiplas culturas, representadas principalmente POR :

  • Lactobacillus ( atuam  no íleo  terminal do intestino)
  • Bifidobacterium ( atuam no cólon)
  • Enterococcus
  • Streptococcus.

Bactérias pertencentes aos gêneros Lactobacillus e Bifidobacterium e, em menor escala, Enterococcus faecium, são mais freqüentemente empregadas como suplementos probióticos para alimentos, uma vez que elas têm sido isoladas de todas as porções do trato gastrintestinal do humano saudável.

Dentre as bactérias pertencentes ao gênero Bifidobacterium, destacam-se 

  • bifidum, 
  • breve, 
  • infantis, 
  • lactis,
  • animalis,
  • longum 
  • thermophilum.

Dentre as bactérias láticas pertencentes ao gênero Lactobacillus, destacam-se

  • acidophilus,
  • helveticus,
  • casei – 
  • paracasei,
  • fermentum,
  • reuteri,
  •  johnsonii,
  • plantarum,
  • rhamnosus
  •  salivarius

 

Os probióticos atuam no organismo principalmente ao inibir a colonização ( crescimento) intestinal por bactérias patogênicas ( ruins) o que favorece nossa  saúde global

Ao citar os mecanismos de ação das bactérias probióticas, pode-se destacar também, o estímulo ao sistema imune, que ocorre por meio do aumento dos níveis de anticorpos e ativação dos macrófagos, proliferação de células T e produção de interferon.

Os produtos com probióticos, que resistem ao processo de digestão e chegam intactos ao intestino, onde atuam de maneira positiva podem ajudar a reduzir:

  • gases
  • intestino preso ( constipação)
  • diarreia.

 

DISBIOSE

 

Consumidos com regularidade e em doses adequadas, aumentam a absorção do cálcio, reduzem o colesterol ruim .protegem o estômago, ajudam no emagrecimento, favorecem a diminuição da gordura no fígado e melhororam a tolerância a lactose

Estudos indicam que eles ainda podem  aliviar dores musculares, problemas de estômago, doenças crônicas, entre outros.

Especialistas ainda recomendam seu consumo para auxiliar o processo de absorção de nutrientes.

Alguns alimentos são ricos em probióticos naturais.  Exemplo desses alimentos incluem:

  • Iogurte natural: são a principal e mais fácil fonte de probióticos no mercado, mas também existem versões de iogurtes com sabor que mantém as bactérias benéficas vivas; Prefire sempre os naturais integrais sem adição de açúcares. 
  • Kefir: é um produto fermentado com levedura e bactérias que fica semelhante ao iogurte, mas possui um teor mais elevado de probióticos. 
  • Leite fermentado: são produtos especiais que geralmente contêm Lactobacillus adicionados pela indústria, sendo o Yakult o mais famoso.Porém, este produto contém apenas o Lactobacilos acidófilos e para ser eficiente, a suplementação tem que contar com pelo menos 5 cepas de bactérias mesclando entre lactobacilos e bifidobactérium
  • Kombucha: uma bebida fermentada feita principalmente a partir do chá preto;
  • Produtos orientais à base de soja, legumes e verduras, como Miso, Natto, Kimchi, que podem ser comprados em lojas especializadas.

É interessante que você converse com seu médico sobre o uso de probióticos ao usar algum antibiótico.

Os antibióticos, além de matarem as bactérias que estão causando infecções no seu corpo, acabam também matando as bactérias benéficas que vivem no seu intestino, deixando o seu corpo mais susceptível a ataques de organismos como o fungo da Candida, que pode crescer nos intestinos, boca, vagina, pulmões, ou debaixo das unhas.

Um bom suplemento de probióticos nesse caso ajudará com a recuperação da flora intestinal.


Diferença entre Prebiótico e Probiótico:

Enquanto os probióticos são bactérias saudáveis que povoam o intestino, os prebióticos são fibras que servem de alimentos para os probióticos e que favorecem a sua sobrevivência e proliferação no intestino.

DISBIOSE

Os Prebióticos

São produzidos pela fermentação bacteriana carboidratos resistentes às ações das enzimas salivares e intestinais, não sendo digeridos e absorvidos no trato gastrintestinal e são fermentados por certas bactérias do cólon.

O amido resistente é a fonte mais importante e é encontrado na banana verde, em batatas não cozidas e vários vegetais 

Como são resistentes  enzimas intestinais, não eleva o açúcar no sangue

Os prebióticos são metabolizados por bactérias da flora intestinal e transformados em ácido graxos de cadeia curta:

São eles:

  • ácido butírico (butirato ) 
  • acético
  • propiônico

O butirato é o mais atuante no metabolismo energético e foi demonstrado que melhora sensibilidade a insulina, favorecendo emagrecimento e elevando o gasto de  energia ( aumento do metabolismo)

O butirato eleva

  • a oxidação dos ácido graxos (  quebra da gordura para gerar energia)
  • eleva a termogênese ao elevar no músculo o PGC 1 alfa e a fosforilação do AMPK

Uma  dieta rica em pre e probiótico é uma boa  fonte de butirato

DISBIOSE

Em consequência, estimulam o crescimento de bifidobactérias e lactobacilos, modificando favoravelmente a composição da microbiota intestinal e/ou estimulando a atividade metabólica destas bactérias.

Os prebióticos alteram o trânsito intestinal, reduzindo metabólitos tóxicos, e previnem a diarreia e a obstipação intestinal.

Os principais prebióticos são:

  • frutooligossacarídeos (FOS)
  • inulina.
  • Pectina

A eficácia clínica dos FOS vem sendo demonstrada em vários estudos.

Os FOS estimulam seletivamente o crescimento de bactérias benéficas, inclusive Lactobacillus e Bifidobacterium, reduzindo as bactérias patogênicas, tais como Salmonella e Clostridium no trato gastrintestinal.

A inulina, ao alcançar o cólon, mostra um efeito estimulante preferencial nos números de bifidobactérias.


SIMBIÓTICOS =  PROBIÓTOCOS + PREBIÓTICOS

A combinação dos prebióticos com os probióticos forma os simbióticos, constituindo assim um fator multiplicativo no qual a ação é realizada com maior eficiência

Na medida em que os simbióticos melhoram o bolo fecal, há diminuição da absorção de glicose ( açúcar) e aumento da eliminação de colesterol, ajudando a evitar doenças coronarianas.

Os simbióticos também regeneram a mucosa intestinal, o que pode evitar a formação do câncer, e diminuir a incidência de infecções sistêmicas.


BENEFÍCIOS DA SUPLEMENTAÇÃO DE PRE E PROBIÓTICOS:

  • controle da microbiota intestinal
  • estabilização da microbiota intestinal após o uso de antibióticos;
  • promoção da resistência gastrintestinal à colonização por patógenos;
  • diminuição da população de patógenos através da produção de ácidos acético e lático, de bacteriocinas e de outros compostos antimicrobianos;
  • promoção da digestão da lactose em indivíduos intolerantes à lactose; estimulação do sistema imune
  • alívio da constipação
  • aumento da absorção de minerais e produção de vitaminas.

Embora ainda não comprovados, outros efeitos atribuídos a essas culturas são :

  • diminuição do risco de câncer de cólon e de doença cardiovascular
  • diminuição das concentrações plasmáticas de colesterol
  • efeitos anti-hipertensivos
  • redução da atividade ulcerativa de Helicobacter pylori
  •  controle da colite induzida por rotavirus e por Clostridium difficile, prevenção de infecções urogenitais,
  • efeitos inibitórios sobre a mutagenicidade (Shah, Lankaputhra, 1997; Charteris et al., 1998; Jelen, Lutz, 1998; Klaenhammer, 2001; Kaur, Chopra, Saini, 2002; Tuohy et al., 2003).

EXAMES QUE PODEM SER REALIZADOS PARA AVALIAR DISBIOSE: 

 

Disbiose / Desequilíbrio Intestinal -

 


Disbiose e imunidade

A presença destas bactérias é essencial para o metabolismo, a proteção contra agentes patogênicos e de maturação do sistema imunológico. Em contrapartida, o sistema imune determina a composição da microbiota. Composição microbiana alterada pela disbiose tem sido correlacionada com numerosas doenças em seres humanos, devido à redução da imunidade de acordo com artigo publicado no American Jourmal of Transplantation, por pesquisadores do Departamento de Medicina, da Universidade de Chicago.

Outro grupo de pesquisadores, da Escola de Medicina da Universidade de Keio em Tókio, relataram que as composição da microbiota intestinal desregulada ou disbiose, pode ser associada com as causas fundamentais da Doença Inflamatória do Intestino (DII) e que a depressão no sistema imunitário intrínseco é um efeito, não uma causa, da DII.

Se as paredes intestinais estiverem prejudicadas pode ocorrer um desequilíbrio entre as bactérias protetoras e agressoras do intestino, originando a disbiose intestinal, um distúrbio que pode acarretar , desconforto abdominal , inchaço abdominal , sobrepeso, desnutrição e até o surgimento de outras doenças mais graves, devido a alterações do sistema imunológico, como:

  • câncer
  • esofagite
  • infecções urinárias
  • doenças auto imunes com Tireoidite de Hashimoto, Lupus, artrite reumatoide,
  • depressão, ansiedade, síndrome do Pânico e outros transtornos psíquicos tendo em vista que 90% da serotonina e 50% da dopamina do organismo são produzidas pelo intestino e se comunica com o cérebro pelo sistema nervoso entérico.

Microbiota intestinal na Esclerose Múltipla 

Um estudo piloto exploratório realizado por Cantarel do Instituto Baylor para Pesquisa em Imunologia em Dallas, Texas, além de colaboradores de outras Universidades estadunidenses, comparou bactérias intestinais em mulheres brancas saudáveis com ou sem esclerose múltipla recorrente-remitente que eram insuficientes para a vitamina D e avaliou a influência do acetato de glatirâmero (um imunomodulador indicado para redução de recaídas em esclerose múltipla) e do tratamento com vitamina D, sobre a microbiota.

Os indivíduos recolheram fezes na linha de base e após 90 dias de suplementação de vitamina D 3 (5000 UI/d).

Embora houvesse sobreposição de comunidades bacterianas intestinais, a abundância de algumas unidades taxonômicas operacionais, incluindo Faecalibacterium, foi menor nos pacientes com esclerose múltipla.

Pacientes com esclerose múltipla tratados com acetato de glatirâmero mostraram diferenças na composição da comunidade em comparação com indivíduos não tratados, incluindo Bacteroidaceae, Faecalibacterium , Ruminococcus , Lactobacillaceae, Clostridium e outros Clostridiales. Comparado com os outros grupos, os pacientes não tratados com esclerose múltipla tiveram um aumento nos gêneros Akkermansia, Faecalibacterium e Coprococcus após suplementação com vitamina D.

Embora as comunidades bacterianas totais fossem semelhantes, unidades taxonômicas operacionais específicas diferiram entre controles saudáveis e pacientes com esclerose múltipla.

A suplementação de acetato de glatirâmero e vitamina D foi associada a diferenças ou alterações na microbiota. Este estudo foi exploratório, e estudos maiores são necessários para confirmar esses resultados preliminares.


Alterações da microbiota intestinal em pacientes com Tireoidite de Hashimoto 
A Tireoidite de Hashimoto (HT) é uma doença autoimune órgão-específica na qual tanto predisposição genética quanto fatores ambientais atuam como desencadeantes da doença.

Muitos estudos indicaram que alterações na microbiota intestinal são importantes fatores ambientais no desenvolvimento de doenças inflamatórias e autoimunes.

Para comprovar esta relação, cientistas chineses realizaram uma análise comparativa  sistemática da microbiota intestinal em pacientes com Tireoidite de Hashimoto e controles saudáveis.

Níveis semelhantes de riqueza e diversidade bacteriana foram encontrados na microbiota intestinal de pacientes com Tireoidite de Hashimoto e controles saudáveis.

A caracterização da microbiota intestinal em pacientes com Tireoidite de Hashimoto confirmou que os pacientes com Tireoidite de Hashimoto têm microbiota intestinal alterada e que a microbiota intestinal está correlacionada com os parâmetros clínicos, sugerindo que os dados da composição do microbioma poderiam ser usados ​​para o diagnóstico da doença. Mais investigações são necessárias para entender melhor o papel da microbiota intestinal na patogênese da Tireoidite de Hashimoto.


 
Disbiose fúngica
Fungos e mamíferos compartilham uma longa história coevolutiva e estão envolvidos em uma complexa rede de interações.

Estudos focados em bactérias comensais sugerem que as mudanças patológicas na microbiota, historicamente conhecidas como disbiose, estão na raiz de muitas doenças inflamatórias de origem não infecciosa.

No entanto, a importância da disbiose na comunidade de fungos – a microbiota – foi recentemente reconhecida como tendo um papel nas patologias, uma vez que novos achados sugerem que o rompimento da micobiota pode ter efeitos prejudiciais sobre a imunidade do hospedeiro.

A disbiose fúngica e a homeostase são processos dinâmicos que são provavelmente mais comuns do que infecções fúngicas reais e, portanto, formata constantemente a resposta imune.

Em um artigo de revisão publicado em junho de 2017 na revista Nature Reviews Immunology, os pesquisadores da Weill Cornell Medicine da Cornell University em Nova Yorque, resumiram os padrões específicos da microbiota associados à disbiose fúngica, e discutiram como a imunidade mucosa evoluiu para distinguir as infecções fúngicas da disbiose e como ela responde a essas diferentes condições.

Os pesquisadores propuseram que a disbiose da microbiota intestinal é uma característica coletiva de interações complexas entre as comunidades microbianas procarióticas e eucarióticas que podem afetar a imunidade e que podem influenciar o organismo tanto na saúde quanto na doença.



Intestino – Nosso segundo cérebro
Sabemos o básico para manter um cérebro jovem e saudável: se alimentar corretamente, exercícios e ter uma boa noite de sono. Porém, a saúde do cerebral também é influenciada por uma fonte inesperada – o nosso segundo cérebro ou melhor, nosso intestino.

Dentro das muralhas do nosso sistema digestivo temos bactérias que podem ajudar a moldar a nossa estrutura cerebral e influenciar nosso humor, comportamento e saúde mental, tais como a probabilidade de desenvolver doenças antes consideradas de origem cerebral.

O intestino é capaz de comunicar com o cérebro através do nervo vago.

Conhecido como o eixo intestino-cérebro, noventa por cento das fibras do Vago transportam informações do intestino para o cérebro.

Esta comunicação acontece através de moléculas que são produzidas por bactérias do intestino que caso fiquem em desequilíbrio, isto é predomínio de más bactérias em relação as boas ou melhor, disbiose, aumentam a chance de distúrbios psiquiátricos e neurológicos, tais como o autismo, a ansiedade, depressão, Alzheimer e doença de Parkinson.

Fiquem de olho, se atentem mais no que estão colocando no seu intestino.



O relacionamento mente-intestino vai nos dois sentidos
Nós já sabemos que o sentimento de ansiedade afeta nossas entranhas.

A ansiedade nos fazer correr para o banheiro, nos deixa enjoados, e geralmente faz com que nossas “tripas dê um nó”.

Da mesma forma, quando você está deprimido, tudo para em seus trajetos, resultando em constipação.

 Mas enquanto é intuitivo que ansiedade e depressão afetam o intestino, mostra que o intestino também podem causar ansiedade e depressão.

Em um estudo de pesquisadores da UCLA, um grupo de mulheres saudáveis comeram iogurte fortificado com probióticos duas vezes por dia durante quatro semanas.

Um segundo grupo comeu um produto de leite não-probiótico, e um terceiro grupo comeu sua dieta regular.

Após as quatro semanas, todas foram submetidas a um “scanner” de cérebro para medir a resposta de cerebral.

O grupo probiótico mostrou um funcionamento cerebral significativamente diferente, tanto em repouso quanto em resposta a uma tarefa de reconhecimento emocional.



Seu intestino pode afetar sua personalidade
Em outro estudo, um grupo na Universidade de McMaster usou dois grupos de camundongos experimentais, cada grupo criado para determinadas características comportamentais.

Uma cepa era mais tímida e assustada – você poderia até mesmo dizer que os camundongos eram introvertidos. A outra era mais sociável e ousada – você poderia chamá-los de extrovertidos.

Mas não por muito. Os pesquisadores eliminaram todas as bactérias intestinais de ambas as cepas de camundongos com antibióticos e, em seguida, alimentaram cada grupo com as bactérias intestinais da linhagem de rato oposta. O que aconteceu? Comportamentalmente, trocaram de personalidades. Os camundongos tímidos tornaram-se extrovertidos, os camundongos extrovertidos tornaram-se tímidos.


Ingestão de  Lactobacillus rhamnosus regula o comportamento emocional:

  • Há cada vez mais, mas em grande parte indiretas, provas que apontam para um efeito da microbiota intestinal sobre o sistema nervoso central (SNC).
  • No entanto, não se sabe se bactérias anaeróbias, tais como Lactobacillus rhamnosus poderiam ter um efeito direto sobre receptores de neurotransmissores no sistema nervoso central em animais saudáveis. O GABA é o principal neurotransmissor inibidor do SNC e está significativamente envolvido na regulação de muitos processos fisiológicos e psicológicos.
  • Alterações na expressão do receptor GABA central estão implicadas na patogênese da ansiedade e da depressão, que são altamente comórbidas com perturbações intestinais funcionais.
  • Neste trabalho, os pesquisadores demonstraram que o tratamento crônico com L. rhamnosus induziu alterações dependentes da região no cérebro, em comparação com camundongos alimentados com controle.
  • Além disso, L. rhamnosus reduziu  a corticosterona induzida pelo estresse e ansiedade, relacionada à depressão comportamental.
  • Além disso, os efeitos comportamentais neuroquímicos não foram encontrados em camundongos vagotomizados, identificando o nervo vago como o principal constituinte modulador da via de comunicação entre as bactérias presentes no intestino e cérebro.
  • Juntos, estes resultados destacam o papel importante das bactérias na comunicação bidirecional do eixo intestino-cérebro e sugerem que certos organismos podem vir a ser adjuntos terapêuticos úteis em transtornos relacionados ao estresse, como ansiedade e depressão.

Seu intestino está deixando você deprimido ou ansioso?
As bactérias intestinais podem afetar como nos sentimos. Quem saberia que a próxima fronteira no bem-estar mental nos levaria direto ao banheiro? Acontece que “sentimento intestinal” é mais do que apenas um nome fantasia para a intuição. Nosso intestino delgado e grosso, e os trilhões de bactérias que o chamam de lar, são mais importantes do que nunca imaginamos para influenciar nosso humor, nossa ansiedade, nossas escolhas e até mesmo nossas personalidades.


O intestino pode conduzir nossas escolhas alimentares.

Há uma teoria de que seus desejos alimentares podem realmente ser causados por suas bactérias intestinais.

Aparentemente, há uma multidão de trilhões lá que realmente gosta de cupcakes de chocolate, bacon, queijo, ou o que quer que seja sua bactéria específica goste.

A teoria é a seguinte: quando comemos os alimentos que nossas bactérias querem, eles produzem partículas que são pequenas o suficiente para atravessar a barreira hematoencefálica, como a tirosina ou o triptofano, que se convertem em dopamina e serotonina no cérebro e que ambas impactam o humor e reforçam as escolhas alimentares.

Bem, nós sabemos que é difícil mudar seu coquetel de microbiota intestinal. Mas o que pode ser mudado são os metabólitos das bactérias – os produtos produzidos pelas bactérias intestinais.

E para fazer isso, você muda o que você está usando para alimentá-las. Como fazer isso?

  • Coma uma dieta rica em plantas.
  • Evite alimentos processados e aditivos alimentares, como emulsificantes que interrompem o seu revestimento intestinal, edulcorantes artificiais e que alteram o seu metabolismo.
  • Reduza o estresse, o que afeta tanto a composição quanto a atividade de suas bactérias intestinais.
  • Incluir alimentos fermentados como kimchi, missô, kombucha, kefir e o velho e bom iogurte, para manter a diversidade de sua flora intestinal.

Autismo e diminuição dos Lactobacilos Reuteri:

Camundongos com uma mutação em um dos principais genes do autismo, chamado SHANK3,têm níveis de certas bactérias intestinais alterados, mostrou um novo estudo.

Por outro lado, quando alimentados com Lactobacillus reuteri, um microrganismo encontrado no iogurte e em probióticos, alguns dos problemas destes camundongos apresentam melhora.

Evidências preliminares indicam que pessoas com autismo também têm um microbioma intestinal (o conjunto de bactérias no seu intestino) alterado.

Um pequeno estudo publicado em 2017 sugeriu que o uso de transplantes de bactérias em crianças com autismo pode aliviar seus problemas digestivos e até mesmo seus problemas sociais.

As novas descobertas oferecem novas evidências para apoiar essa ideia. Elas também revelam uma conexão entre os genes ligados ao autismo e a flora intestinal

Os pesquisadores também investigaram como as bactérias podem afetar o comportamento.

Um estudo de 2011 relatou que alimentar camundongos com outra espécie de Lactobacillus altera a expressão no cérebro de receptores de GABA.

As bactérias secretam moléculas de gordura com uma estrutura química semelhante à do GABA, e isso pode alterar a expressão de seus receptores, diz Elliott.

A equipe de Elliott explorou ainda mais a conexão com o GABA, medindo os níveis de L. reuteri e a expressão dos receptores de GABA no cérebro dos mutantes.

Eles descobriram que os níveis das bactérias intestinais acompanham os de três tipos de receptores GABA no cérebro. Alimentar os camundongos com L. reuteri aumenta a expressão de todos os três tipos de receptores.

Fonte: http://www.progene.ib.usp.br/mutacao-relacionada-ao-autismo-altera-o-equilibrio-das-bacterias-do-intestino-em-camundongos/


Microbiota infantil pode influenciar a ocorrência de diabetes tipo 1

Os fatores ambientais que comprometem a saúde da microbiota intestinal, tais como o uso generalizado de antibióticos, podem constituir a base de algumas das marcantes diferenças na prevalência de diabetes tipo 1 observadas entre populações vizinhas, dizem pesquisadores finlandeses. Crianças finlandesas têm um índice muito mais alto de diabetes tipo 1 do que crianças russas na Carélia, região fronteiriça da Finlândia, e uma série de estudos realizados no âmbito de doutorado, pelo Dr. Tommi Vatanen e colaboradores, indica que esta variação pode ser, ao menos em parte, causada por diferenças na microbiota intestinal.

O Dr. Vatanen, do Departamento de Ciência da Computação, Aalto University, Helsinki (Finlândia) e outros estudaram as alterações do microbioma pouco antes do aparecimento do diabetes tipo 1, e também investigaram o impacto do tratamento antimicrobiano na flora intestinal. 

A composição da microflora no intestino das crianças foi extremamente diferente entre os recém-nascidos russos e finlandeses, os participantes finlandeses começaram a produzir os autoanticorpos do diabetes tipo 1, ou seja, os primeiros sinais da doença.

As crianças russas não produziram autoanticorpos”. Para o Dr. Vatanen, os achados destacam a importância do microbioma nos primeiros anos de desenvolvimento do sistema imunológico. Ele disse: “De certa forma, os micróbios intestinais ensinam o sistema imunológico. Se algo der errado tão cedo, as doenças autoimunes podem se tornar mais comuns”.


Estudo feito na Unicamp permite traçar o roteiro da obesidade

Ao investigarem, na última década, os fatores associados à crescente epidemia global de obesidade, cientistas da UNICAMP identificaram dois eventos que contribuem fortemente para o ganho de peso.

Um deles é a alteração no perfil de bactérias que compõem a flora intestinal.

Estudos publicados entre 2005 e 2007 mostraram que pessoas obesas geralmente apresentam um conjunto de microrganismos que favorece a absorção dos nutrientes da dieta. Ou seja, uma maçã pode ser mais calórica para uma pessoa obesa do que para uma pessoa magra.

Mas se isso é causa ou consequência do sobrepeso ainda não se sabia ao certo.

Nesse contexto, explicou o Dr. Velloso, um dos autores do estudo, surge a alteração da microbiota intestinal que, por sua vez, contribui tanto para o agravamento da obesidade como das doenças a ela associadas. Segundo Velloso, estudos de outros grupos mostraram que uma dieta rica em carboidratos simples, como os presentes no açúcar e na farinha branca, também podem elevar os níveis de lipídeos no sangue.


Suplementação com probióticos pode trazer benefícios cardiometabólicos no diabetes tipo 2

De acordo com os resultados de um estudo publicado recentemente na revista Clinical Nutrition, adultos com diabetes tipo 2 recém diagnosticados distribuídos aleatoriamente em terapia de suplementação com probióticos de múltiplas cepas  ( oito  cepas diferentes)  da marca Winclove Probiotics por seis meses apresentaram melhora na resistência à insulina e na inflamação induzida por endotoxinas, quando comparados com o grupo que utilizou placebo durante o mesmo período.

Os pesquisadores observaram diferenças percentuais de mudança no HOMA-IR ( resistência a insulina ) favorecendo o grupo que utilizou os probióticos em três meses (0% vs. -60,4%) e em seis meses (20,5% vs. -64,2%).

Não houve diferenças entre os grupos observadas para marcadores lipídicos, mas os pesquisadores observaram melhora nos níveis de triglicerídios, colesterol total e colesterol HDL no grupo que utilizou os probióticos.

Neste mesmo grupo, os pesquisadores observaram uma melhora nos níveis de endotoxinas (redução média aos seis meses, -69,6%) e nos níveis de adiponectina (aumento médio aos seis meses, 71,8%).


LEAKY GUT E  EXERCÍCIOS  EXTENUANTES :

  • Os pesquisadores revisaram oito estudos feitos anteriormente que analisaram esse problema.
  • Após duas horas de exercício como  corrida e ciclismo, atingindo 60% do nível máximo de intensidade de um indivíduo, podem ocorrer danos ao intestino.
  • Ele disse que o estresse térmico parece ser um fator exacerbador.
  • Pessoas com predisposição para doenças ou distúrbios intestinais podem ser mais suscetíveis a esses problemas de saúde relacionados ao exercício
  • O fluxo sanguíneo normal para o intestino mantém as células oxigenadas e saudáveis ​​para garantir o metabolismo e a função adequados .
  • Se o intestino perder um suprimento significativo de sangue durante o exercício, pode causar inflamação que danifica o revestimento protetor do intestino.
  • Com um sistema imunológico gastrointestinal (GI) enfraquecido, as toxinas no intestino podem vazar para a circulação sistêmica – o chamado fenômeno do “vazamento intestinal”,
  • Para evitar problemas intestinais relacionados ao exercício, manter a hidratação durante toda a atividade física e possivelmente consumir pequenas quantidades de carboidratos e proteínas antes e durante o exercício.

PRÓBIÓTICOS E DEPRESSÃO:
 
Probióticos, tomados sozinhos ou quando combinados com prebióticos, podem ajudar a aliviar a depressão, sugere uma revisão das evidências disponíveis, publicada no BMJ Nutrition Prevention & Health .
 
No total, 12 cepas probióticas foram destacadas nos estudos selecionados, principalmente
-Lactobacillus acidophilus
-Lactobacillus casei
-Bifidobacterium bifidium.
Referência: Food & mood: a review of supplementary prebiotic and probiotic interventions in the treatment of anxiety and depression in adults

 


Indicações de livros:

=

 

“>

 

 


 

 

 

REFERÊNCIAS

1- Shifts in microbiota species and fermentation products in a dietary model enriched in fat and sucrose.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25213025

2- Nutritional iron turned inside out: intestinal stress from a gut microbial perspective.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25205464

3- Environmental Risk Factors for Inflammatory Bowel Diseases: A Review.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25204669

4- Disbiose intestinal.

http://www.marcellabarradas.com.br/wp-content/uploads/ 2012/03/disbiose-intestinal.pdf

5- Uso de probiótcos na recuperação da flora intestinal.

http://www.nutricritical. com/core/files/figuras/file/TCC%20Carol.pdf

6- Benefícios dos probióticos à saúde humana.

http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/bitstream/handle/123456789/527/Benef%C3%ADcios%20dos%20probi%C3%B3ticos%20%C3%A0%20sa%C3%BAde%20humana.Acad%C3%AAmica%20Laise%20Rocha.pdf?sequence=1

7- Probiotics normalize the gut-brain-microbiota axis in immunodeficient mice.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25190473

8- High-fat-diet-mediated dysbiosis promotes intestinal carcinogenesis independently of obesity.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25174708

9- Effect of commensals and probiotics on visceral sensitivity and pain in irritable bowel syndrome.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25184834

10- Probióticos e prebióticos: o estado da arte.

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-93322006000100002

11- The Microbiota, the Immune System and the Allograft

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24840316

12- Diet, microbiota, and inflammatory bowel disease: lessons from Japanese foods.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25045286

13- The gastrointestinal tract microbiome, probiotics, and mood.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25266952

14 – Food For Thought: Gut Bacteria May Influence How The Mind Works, Affecting Mood And Behavior.

http://www.medicaldaily.com/food-thought-gut-bacteria-mood-behavior-379915

15 – Consumption of fermented milk product with probiotic modulates brain activity.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23474283

17 – Is Your Gut Making You Depressed or Anxious?

http://www.quickanddirtytips.com/health-fitness/mental-health/is-your-gut-making-you-depressed-or-anxious?utm_source=sciam&utm_campaign=sciam

18- Consumption of fermented milk product with probiotic modulates brain activity.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23474283

19- Hypothesis: Bacteria Control Host Appetites.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3554020/

20- Ingestion of Lactobacillus strain regulates emotional behavior and central GABA receptor expression in a mouse via the vagus nerve.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21876150

21- Training the Gut for Athletes

https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs40279-017-0690-6

22- Metagenomic analyses of the human gut microbiome reveal connections to the immune system

https://aaltodoc.aalto.fi/bitstream/handle/123456789/24763/isbn9789526073132.pdf?sequence=1&isAllowed=y

23- Microbioma infantil pode influenciar a ocorrência de diabetes tipo 1

http://portugues.medscape.com/verartigo/6501164

24- Brain blood vessel lesions tied to intestinal bacteria

https://www.sciencedaily.com/releases/2017/05/170518140232.htm

25- Fungal dysbiosis: immunity and interactions at mucosal barriers

https://www.nature.com/nri/journal/vaop/ncurrent/full/nri.2017.55.html#affil-auth

26- Diet choice, reproduction of fruit flies affected by gut bactéria

https://www.sciencedaily.com/releases/2017/07/170727141457.htm

27- Gut Microbiota Modifies Olfactory-Guided Microbial Preferences and Foraging Decisions in Drosophila

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0960982217308801

28- 7 Food Additives that Trigger Leaky Gut

https://draxe.com/7-food-additives-that-trigger-leaky-gut/?rs_oid_rd=98865852761799&utm_ source=promotional&utm_medium=email&utm_campaign=20170826_newsletter_monthlyrecap

29- Estudo feito na Unicamp permite traçar o roteiro da obesidade

http://agencia.fapesp.br/estudo_feito_na_unicamp_permite_tracar_o_roteiro_da_obesidade/26184/

30- Alterations of the Gut Microbiota in Hashimoto’s Thyroiditis Patients.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29320965

31- Probiotic supplementation in sports and physical exercise: Does it present any ergogenic effect?

http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/0260106017721000

32 – Sabico S, Al-Mashharawi A, Al-Daghri N et al. Effects of a 6-month multi-strain probiotics supplementation in endotoxemic, inflammatory and cardiometabolic status of T2DM patients: A randomized, double-blind, placebo-controlled trial. Clinical Nutrition. 2018. doi:10.1016/j.clnu.2018.08.009

33- Probiotics and prebiotics: the state of the artSusana Marta Isay Saad*Departamento de Tecnologia Bioquímico-Farmacêutica, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade de São Paulo

 

 

 

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhe

228 respostas

  1. Gostei muito, uma pergunta?
    esse tratamento tbem serve para quem tem sindrome do colon irritavel?
    na verdade, ja fiz de tudo mais continuo sofrendo muito com esse problema.

    obrigado!

    1. Oi dr a um ano e meio fui diagnosticada com sem fiz vários exames e passaei, por vários médicos q dizem ser a síndrome do intestino irritado , mais no ano passado passei, muito mau com uma infecção intestinal tomei antibióticos e propioticos junto minhas vezes voltaram a ser normais com cor e formato,só q agora voltaram a ficarem amarelas mais não estou tendo diarreias mais gases e dores, dos lados e pélvica sei que é disbiose uso probióticos , devo usar prebióticos também , não vejo a hora d ficar boa e ter minha vida d voltar já emagreci 6 kl tudo q como fermenta o senhor , poder me indicar um médico funcional q atende no rio d janeiro, obrigado!

        1. Sofro a 8 meses, emagreci muito e não sei
          Mais o que fazer, psicologicamente estou bem desestabilizada.
          Tem algum médico que possa me indicar em Orlando FL ?
          Grata

  2. Dr,
    A Biomassa de banana verde, feita em casa, pode ser consumida diariamente e em caso positivo, ela pode ser uma alternativa para cuidarmos do intestino?

  3. Vou contar o que me está a acontecer. Sou intolerante à lactose, e não tem sido fácil pôr de lado todos os alimentos que contêm leite. Além disso também tenho outros problemas de pele, um deles é a comichão, borbulhas e vermelhidão 20 a 30 min. após ingerir lactose. Mas o leite faz falta, certo? Errado, a quem é intolerante, o leite estava a fazer com que o meu organismo, não absorvesse os nutrientes. Em 2 meses descobri que os probioticos ajudam nos meus problemas de pele, má absorção dos nutrientes e sistema imunitário, como as alergias, são ainda bons contra os fungos e em mim, provocam descargas dos intestinos que contêm elementos nocivos e automaticamente a pele melhora e desincha. 2 meses após, as minhas unhas que durante 20 anos têm sido quebradiças, hoje estão fortes, crescem super rápido, e deixei de ter as manchinhas brancas. Existem probioticos em comprimidos naturais, à venda. Além disso descobri comprimidos de lactase naturais e além disto, descobri que a levedura de cerveja também protege a minha pele, pois tem vitamina B, óptima também contra os fungos. O leite estava também a provocar-me bolinhas de gordura alojadas nos pescoço. Ganhei uma dermatite seborreica devido aos fungod presentes neste sebo. O meu organismo ganhou uma alergia ao fungo do óleo produzido, já que o fígado começou a espelir desta forma o que já não aguentava por ele mesmo. Os probioticos são um salva vidas. Os medicamentos sobrecarregam muito o fígado, a cortisona e os anti histamínicos não resolvem nada, pelo contrário. Probioticos, vitamina d3, levedura de cerveja, equinacia, própolis e para o caso de ingerirem leite, comprimidos de lactase, para dar cabo da lactose. Muito chá de malvas. O problema de pele não passou completamente, pois também é emocional, mas está mais bonita, as unhas fantasticas, não tenho tido tanta rinite e os intestinos funcionam melhor . Ando preocupada com a farinha de trigo, pois tenho a impressão que não me faz bem. Só compartilhei, se puder ajudar.

  4. Dr., tomei Flagyl durante dez dias devido a uma infecção gastrointestinal por entamoeba cystolitica. Após o tratamento, sinto algum incómodo no intestino grosso e as fezes ainda estranhas. Segundo o meu médico, é normal pois o Flagyl mata tb as bactérias boas. Posso estar com uma disbiose intestinal?

  5. Dr. Roberto, ultimamente minha mãe tem sentido dores, inchaço e incomodo abdominal, o tempo inteiro. Já fomos ao gastroenterologista algumas vezes e ele passou o exame de intolerância a lactose, e alguns remédios, entre eles, o lonium. Acontece que não está adiantando, o desconforto continua e tbm tem gases. Desde o início pensei em disbiose, já que ela usa muitos medicamentos, pois é diabética e hipertesa. O que o sr. acha, pode ser? Que exame o médico deve passar? Vou pedir… Desde já, obrigada!

  6. Olá. Estou com candidíase de repetição, provavelmente por estresse que causou a disbiose intestinal. Mas alguns médicos dizem que não pode consumir glúten, lactose e açúcar. Outro médico me receitou Actimel e Probiatop todos os dias, contém açúcar e lactose no leite fermentado. Fico meio perdida nas informações e também fiz o uso por 2 meses, não obtive uma grande melhora. O período foi curto? Obrigada.

    1. O Probiatop é bom suplemento mas pode ser potencializado.Também pode ser fazer de uso de óvulos intra vaginais com lactbacilos. Além disso, eliminar glúten,lácteos, açucares,frutose em excesso, adoçantes artificias e industrializados é de primordial importância para que se tenha seucesso

  7. Roberto, passei as ferias comendo de uma forma e agora que voltei as aulas continuo comendo as mesmas coisas e de repente comecei a ter “dpr de barriga” quase q todo dia e principalmente no periodo da manhã. Chego a ir ao banheiro 4-6 vezes em 5 hrs. Mas minha alimentaçao continua regular. Possa ser q esteja com disbiose ?

  8. Doutor boa tarde,tenho constipação cronica desde criança.
    Estou com tantos gases no estomago que estou de cama.
    Tive gastrite e esta sob controle,fiz varios exames e deram negativos para alguns tipos de enfermidade.
    Já fui a tres gastro diferentes e o ultimo disse que meu problema é funcional,ele me prescreveu um exame de fezes que preciso comer carne vermelha ,pão,banana,sopa de macarrão com cenoura e café com leite por tres dias e no quarto devo colher as fezes todas que sairam pro laboratorio.
    Só que ele não me falou o que ele suspeita que tenho.
    Será que sofro com disbiose?,pois tudo que como parece que fermenta e causa gases
    Estou até com medo de comer,não como pão,bolo ,biscoito e macarrão.
    Mas de uns tempos pra cá até pera e maçã me fazem mal.
    Me ajude não sei mais o que fazer.
    Obrigado.

  9. Dr. Amaral, estou fazendo uma busca sobre o vitiligo. Li em um site que a disbiose intestinal está relacionada. Fazer a suplementação somente com iogurte, melhora a disbiose? Obrigado.

  10. Sinto um desconforto abdominal somente do lado esquerdo, que as vezes o incômodo desce pras pernas, concomitante, sinto diarreia ou constipação e muitos gases. Já fiz inclusive colonoscopia. Pode ser disbiose?

  11. Minha filha de 3 anos precisou tomar clavulin bd por conta de uma sinusite, mas no 3º dia começou a ter diarreia e a vomitar logo após as refeições. Percebemos logo que o antibiótico arrasou com ela, como posso recompor a flora dela? A dieta dela está super restrita e ela não gosta desses iogurtes com lactobacilos. Tem algum medicamento que possa ajudá-la?

  12. Olá, DR. Roberto,
    Há uns 2 anos descobri que sou intolerante à lactose, sempre tive muitos problemas com gases e inchaço. Desde então cortei os lacteos do dia a dia. Mas mesmo que eu não ingira leite ou derivados, me sinto mal, todo dia no final do dia meu estomago incha e tenho muitos gases. Tem dia que eu como uma fruta e parece que comi uma pedra de tão pesado. E essa semana eu descobri que estou com candidiase, nunca tive isso e fiquei preocupada. Já tem um ano que tomo todo dia de manhã probiótico em comprimido, omega 3 e vitamina C (Me foi prescrito pelo médico pois estava com herpes de repetição nos lábios – o que melhorou muito). Também faço uso de 2 tipos de ansioliticos diariamente. Será que tenho disbiose? O que poderia fazer pra melhorar? Agradeço desde já

  13. Dr. Amaral, eu venho exalando um cheiro que sai pela minha respiração, segundo as pessoas parece ser de lixo ou esgoto, e parece o mesmo cheiro das minhas fezes, já fui a vários médicos, fiz todos os exames possíveis e imagináveis, todos deram que eu não tenho nada até tomografias eu fiz, eu acredito que o mau cheiro, venha do meu intestino, posso estar com o intestino permeável, isso está ocorrendo a 3 anos, começou logo após eu ter tratado a garganta com antibiótico. Não tenho mais esperança de cura.

  14. Prezado Dr.
    Bem explicativo o texto , gostei.
    Tenho colite ulcerativa, transplantado a três anos do fígado devido a uma colangite esclerossante….o órgão esta todo 10..mas a colite atualmente ativou moderadamente…a medica imunologista de receitou probiatop..mas qdo li sua matéria ..achei interessante sobre a associação com os prebioticos….pergunta eh…no meu caso de colite pode ser recomendável o uso do probiatopo e dos prebioticos?…
    obrigado

  15. Os remédios contra verminoses também podem ser prejudiciais à microbiota? Em caso afirmativo, será que a dieta também auxiliaria no tratamento contra oxiúros? Tenho problemas constantes com eles e diagnóstico de SII.

  16. Dr. Meu namorado tomou um antibiotico por 7 dias depois de pegar uma gripe, depois desse periodo ele teve um desconforto intestinal e alteração nas fezes como se fosse dor de barriga, ja fez varios exames e os médicos dizem que ele perdeu toda a flora intestinal,ja fazem 5 meses e mesmo depois de tomar remedios e fazer dietas ele ainda tem esse desconforto com menos frequência. Sera que ele tem disbiose?

  17. Olá, Doutor! Tenho 20 anos e há mais ou menos 3 anos comecei com sintomas gastrointestinais, eu associo o ínicio dos sintomas após utilizar muito antibiótico para tratar sinusite/rinite e tbm para um problema que me acompanha antes mesmo dos sintomas gástricos, que é a cândida vaginal. utilizei diversos antifúngicos sem melhora alguma para os corrimentos.
    Meus sintomas são de muitos gases, alteração entre diaréia e constipação, borborigmo intenso ( que me impedem de estar em lugares silenciosos, pois são bastante audíveis) sinto como se os alimentos não fossem bem digeridos, tudo fermenta demais na minha barriga, causando borbulhas e gases, principalmente os carboidratos, sinto gases desde o esôfago até o reto, uma sensação de que há um “bola de gás” no estômago, refluxo, além do cansaço extremo, sinusite, rinite, acne, pele oleosa, hirsutismo, vontade frequente de urinar com sensação de bexiga sem esvaziar.
    Desculpe estar incomodando, mas já apelei pra diversos tratamentos, atualmente estou tratando na medicina funcional, porém por incrível que pareça ainda não tive resultados. Uso vit A, vit D altas doses, magnésio, zinco, lugol, CO enzima q10, progesterona bioidêntica, hidrocortisona utilizei por 15 dias, probiótico 25 bilhões, betaína 900 mg duas vezes ao dia. Estou fazendo Ozonioterapia, já realizei três sessões, fiz algumas sessões de hidrocolonterapia.
    Puro achismo meu, mas eu associo meus sintomas gastrointestinais ( que são os que mais me causam incômodo e limitam muito minha vida) a presença de Cândida Intestinal. Uma pessoa conhecida que tinha sintomas bem semelhantes consultou com Dr Gustavo Vilela e ele lhe receitou anfotericina b, uva ursi e olive life, e então os sintomas intestinais de cândida cessaram. Seria uma possibilidade utilizar um antifúngico potente mesmo sem a possibilidade de diagnosticar a Cândida Intestinal? Tenho muita esperança com o Ozonio e o tratamento que estou fazendo, porém não noto melhora alguma.

    1. Boa noite! Sofro com todos esse sintomas tem anos Maria é terrivel. Muito dificil eliminar as bacterias do intestino delgado, tambem ja fiz alguns protocolos mas ta dificil. Eu estou pra fazer o tratamento com ozonio mas fiquei ate desanimado em saber que voce ainda não obteve melhora. Você fez insuflação retal? quantas sessoẽs? Se puder me manda um email pra gente conversar melhor.

  18. Também tenho feito há muito tempo dia isenta de glúten/soja/leite/açucar/industrializados. E Nos últimos dias cortei os carboidratos.

  19. Olá, Doutor! Parabéns pelo site e pelo excelente texto.
    Sou nutricionista e trato a disbiose aplicando os 6R’s. O Sr acredita que a utilização dos simbióticos comercializados é tão eficaz quanto a administração de lactobacillus manipulados casados com a ingestão de alimentos prebióticos?
    Outra pergunta, é possível tratar a disbiose sem utilizar enzimas?
    desde já, agradeço a atenção.

    1. Muito obrigado, os industrializados “quebram galho!” mas com manipulação vc consegue personalizar, aumentar número e quantidade de cepas. Quanto as enzimas,na minha rotina prescrevo quando há queixas digestivas altas.

  20. Olá e obrigada pela “luz” ! Gostaria de saber se a disbiose pode provocar alergia/intolerância a frutas, legumes, verduras, tubérculos, oleaginosas, e as mais comuns, tenho todas atualmente, (como caldo de feijão, arroz e músculo, e pão praticamente). Quando tento algum outro alimento…Enfim, tendo como principal sintoma queda generalizada de cabelo mas antes da queda, uma coceira absurda no couro cabeludo, como se, fossem gavetinhas que se abrissem a cada tipo de alimento e dela saísse um formigueiro! Tomara seja só isso!!! Quase dois anos indo a todas as especialidades e nada de solução!

  21. Olá Doutor Roberto, parabéns pelo site! Pois bem, mês passado fiz uma cirurgia por conta de uma apendicite supurada. Deu tudo certo, porém fui obrigado a tomar Flagyl e mais dois antibióticos na veia durante uma semana. Quando saí, tomei Cefalexina mais uma semana. Depois de um tempo comecei a ir no banheiro com frequência e a ter fezes pastosas. Creio que o culpado disso tudo seja a quantidade de antibióticos que tomei, certo? Logo fui no clínico e ele disse que a minha flora estava ruim, ele me passou um suplemento probiótico chamado Provance, mas eu esqueci de perguntar as coisas mais importantes pra ele, por isso gostaria que o senhor me ajudasse. Além do Provance, posso tomar outro alimento probiótico junto? Yakult por exemplo…….. e além disso, quais alimentos devo ingerir e quais devo evitar durante o tratamento? estou totalmente perdido na dieta. Desde já agradeço a resposta. Tenha um bom dia Doutor!

  22. Dr. Roberto, há algum exame para descobrir quais lactobacilos estão deficientes, para que eu possa saber qual o probiótico adequado? Tenho tomado o PróLive, mas não sei se é o certo. Também gostaria de saber por quanto tempo se deve consumir os probióticos. Desde já agradeço.

      1. Temos no Brasil o Probiome, exame por microbiologia digital que detecta todas as espécies bacterianas presentes nas fezes e quantifica, agrupando em filos. O laboratório que trabalho colhe as fezes e envia para a Neoprospecta. Também temos parceria com o Great Plains. Paabéns pelas excelentes informações.

  23. Dr. Roberto, independente do exame específico para lactobacilos, posso tomar qualquer probiótico e por quanto tempo? Qual seria o Probiótico mais recomendado?

  24. Doutor Roberto, parabéns pelo artigo. Faço academia e rocurei um médico pois mesmo fazendo uma dieta com excedente calóricos, o meu peso não subia na balança. Fui diagnosticado com intolerância à lactose (leve, mas suficientes para causar desconfortos abdominais). Estou tomando leite 0% lactose, e percebi que venho aumentando o peso gradativamente conforme o excedente calórico. A minha dúvida é se essa iintolerância pode ser realmente a causa da disbiose? Obrigado desde já.

  25. Dr a anos sofro com refluxo, fezes pastosas, gases, abdômen inchado, candidíase de repetição.
    A anos atrás era sempre diagnosticada com sinusite e os médicos me receitavam antibióticos.
    Acabei tendo alergia a alguns antibióticos, passei a ter mais problemas alérgicos como rinite etc
    Fiz vários tratamentos e não obtive sucesso.
    Hoje faço uso de probióticos pb8, comecei a usar kefir , tomo lugol , betaína HCL, magnésio vit d e complexo b.
    Será que a longo prazo terei melhoras?
    Me ajuda dr não aguento mais isso!

  26. Olá Dr. Roberto, queria saber o seguinte : sempre que faço dieta rica em proteína tenho muita diarreia, mas também tenho o intestino irritado, isso pode ser disbiose?

  27. Sempre sofri com instestino preso e ganho de peso… já fiz dezenas de tratamentos com gastros diferentes e ninguém descobriu o que eu tinha…. Durante uma depressão eu acabei engordando além da conta e ao, novamente, procurar um gastro, pois a constipação e os gazes aumentaram muito, ele me recomendou uma cirurgia bariatria!!!! Pois é, se não tivesse a cabeça boa e não trabalhasse na área da saúde, talvez eu tivesse gastado todo o meu dinheiro numa cirurgia totalmente invasiva e que deveria ser o ultimo recurso para a obesidade. Finalmente encontrei um excelente nutricionista que soube diagnosticar a minha disbiose e desde que iniciei o tratamento, á apenas 1 mês, já tenho visto grandes melhoras: emagreci 3 kgs, eliminei lácteos, gluten, doces, frituras e gorduras…. tratamento somente com produtos in natura e o mais naturais possíveis… sim é possível viver sem pão, bolo, macarrão, lanches, pizza!!! Claro que comer isso uma vez ou outra não vai matar, mas sempre junto com uma reeducação alimentar. Hoje sou aluna de nutrição e vejo muitas pessoas perdidas com isso ainda. Falta de conhecimento e informação, ajudariam muitas pessoas desde cedo a tratarem seus problemas ou ate a evitarem tais problemas… Excelente post Dr. Roberto. Os probióticos são os meus salvadores! não vivo sem!

  28. Ola dr..tenho intestino preso…tudo o que eu como estufa fiquei assim depois que fiz cirurgia de refluxo..meu estomago parece que parou de trabalhar junto com intestino. Estou tomando domperix mas não esta adiantando..pode ser que meu organismo regeitou essa cirurgia?? ta pra desfazer??

  29. Ola Dr Roberto, tenho refluxo gastroesofágico (uso omeprazol há anos), tenho sobrepeso, muito desconforto abdominal, inchaço abdominal, gases, fezes pastosas, ás vezes tenho eructação com cheiro de ovo choco. Além de sofrer com fibromialgia e ansiedade. Dr esses sintomas podem ser disbiose intestinal?

      1. Mas dentro dessa doenca de fibromialgia seria interessante fazer um tratamento com o Dr. Para melhor resultado tanto da fibro quanto do aparelho digestivo,já que nossa produção de serotonina é no intestino é a fibromialgia tem relação com esses neurotransmissores?

        1. Tendo em vista que 90% da serotonina endógena é produzida pelo intestino, o tratamento da disbiose é de suma importancia na fibromialgia já que a deficiência de serotonina diminui a tolerância a dor. E por este motivo que umas das formas convencionais de tratamento é usar inibidores da recaptação de serotonina – mais conhecidos como anti depressivos

          1. Bom dia Dr: em primeiro venho lhe parabenizar pela atenção com todos, fiz uma cirurgia retosigmoidectomia mas continuo com diverticulos em pontos do intestino, todo alimento que ingiro me da diarreia, é por causa dos diverticulos isso . Obrigado

  30. Boa tarde Dr.
    Do nada, de um dia para o outro comecei a ter diarréia e apresentei intolerância a lactose. fiz colonoscopia e na biopsia apareceu q tenho colite. quando fico ansioso o quadro se agrava, mas antes do dia 14 de dezembro de 2015 nada disso acontecia, não tinha nenhum sintoma, tomei o antibiótico KLARICID UD para uma gripe em novembro, será q isso pode ter causado? não sei mais o q fazer, perdi minha vida social. 🙁

  31. Ótimo artigo! Há anos sofro com sintomas que causam muito desconforto, como gases, cólicas, refluxo e, recentemente, depressão. Procurei um gastro e fiz diversos exames. Um deles (PHmetria) apresentou resultados bastante fora dos padrões normais. Fui orientado a tomar Proliv e rifaximina. O problema é que o antibiótico não está disponível no Brasil. Há substituto possível sem prejuízo da eficácia?

  32. Dr, eu fiz uma videolaroscopia a quase 2 meses para retirar focos de endometriose, antes da vídeo eu fui diagnosticada com Sii, depois da cirurgia os sintomas Sii pioraram , fezes em sílabas,prisao de ventre,uma dor do lado esquerdo da barriga que irradia até a perna,acne , dores articulares e queda de cabelo, será disbiose?

  33. Dr, parabéns pelo seu artigo…
    Tenho um encomodo do lado esquerdo da barriga
    Muito exessos de gases colicas devido os gases
    Pode ser disbiose???

  34. Ótima reportagem dr.
    Tenho SII, mas sem diarréia. Meu problema são as cólicas e gases que incomodam muito. Faço uso de Probiatop e comecei a dieta Low Fodmap. Melhorou mas não resolveu. O que mais eu poderia fazer ? E o uso do Kefir pode ajudar ?

  35. Dr. Gostaria de saber quais os exames que podem comprovar se o intestino está apresentando alguma permeabilidade.
    Minha filha tem alergia alimentar múltipla. Nunca sofreu qualquer problema APARENTE com o sistema digestivo, no entanto, nos últimos meses, vem apresentando constipação, gases, flatulências, fezes ressecadas e insuficientes. Desconfio de disbiose intestinal pelas reações apresentadas.
    O senhor poderia informar qual é o melhor probiótico para combater a disbiose intestinal e fortalecer o sistema imune?
    Obrigada.

  36. Dr. Roberto, tomei conhecimento da Disbiose pelo Facebook e pesquisando cheguei ao seu site. Estou muito satisfeito com a matéria, queria deixar registrado meus parabéns, pois em um pais onde o acesso a saúde é tão restrito o Sr. tem ajudado muitas pessoas.
    Tenho 49 anos e sempre fui uma pessoa “regulada” ou seja, ia ao banheiro pelo ao menos uma vez por dia, normalmente pela manhã.
    Porém desde 07/2015 tenho tido diarreia constante, tipo 5 a 6 vezes no banheiro e com as fezes escuras, cheiro forte e muitas vezes com a aparência de areia, ficando a sensação de que o intestino não tinha esvaziado.
    Em 09/2015 retirei a vesícula um mês antes da cirurgia tive uma melhorar substancial porém logo após dois dias começou tudo novamente. Em 12/2015 fiz uma colonoscopia onde foi verificado a existência de divertículo, que segundo o médico não seria a causa da diarreia.
    Fiz exame de tolerância a lactose e deu negativo, já fiquei um bom período sem consumir gluten, mas também não resolveu.
    Pelo fato de ser muito ansioso e no passado em algumas situações, causava uma diarreia momentânea ele acredita que e o motivo é emocional, sugeriu um tratamento com psicologo.
    As vezes sinto enjoo acompanhado das diarreia.
    Pode ser Disbiose Instestinal

  37. Dr Roberto, parabéns pelas informações que em muito me ajudaram a descobrir meu problema. Agora conheço o porquê da minha mudança repentina de humor. A qualidade das fezes foi o primeiro sinal. Tenho disbiose causada por um tratamento com antibióticos há 11 meses, no intento de debelar uma sinusite crônica e que persiste. Eu ignorava tudo que está escrito no seu artigo. Divulgarei suas informações. Muito obrigada.

  38. Olá dr! Tive que tomar amoxilina por causa de uma infecção no dente, depois que acabei de tomar comecei a ter diarréia e muita dor abdominal, já estou assim há 8 dias. Depois que como vem a dor e solta o intestino. Gostaria de saber o que pode se fazer para controlar as colicas fortes, pois nem buscopan resolve?? Muito obrigada!!

  39. Boa tarde Dr.,
    Tenho constantemente dores na barriga que são ocasionadas aparentemente por gases, o que me parece que tem relação com uma má digestão.
    Foi identificado problema de verminose. Fiz o tratamento conforme orientação médica (antibiótico + vermifugo), contudo, 6 meses depois as dores voltaram. Voltei ao médico e novamente foi constatado o problema com verminose, fiz novamente o tratamento, mas dessa vez não adiantou nada.
    Também estava até algum tempo atrás com candidíase peniana recorrente (os urologistas me recomendavam alguns fungicidas), mas por uns 2 anos sempre voltava… mas por hora foi embora.
    Me parece que quando durmo bem e me alimento certinho, as dores na barriga passam e a cândida para de dar problema, mas em fases corridas e de muito estresse a dor volta a me incomodar e a cândida dá as caras.
    PERGUNTO… Tem alguma relação as dores na barriga e a cândida peniana?
    Já procurei vários especialistas da área médica, mas nunca nem foi mencionado o nome DISBIOSE (nem sabia que existia até então). Há alguma probabilidade alta de ser disbiose?
    Agradeço a enorme ajuda Dr.

    Obs: Fiz exames de intolerância a lactose e aparentemente não é isso.
    Fiz diversas análises de imagem (ultrassom, ressonância) e também não deu em nada.

  40. Obrigada Dr. Por dividir conosco essa informação. Apor maia médicos assim.
    Dr. A 1 ano sofro de candidiase de repetição, a uns 5 meses descobri que sou CElíaca e IL,que fiz tratamento para H.Pylori com Esogastro. Depois que tirei o glúten da minha dieta melhorei um pouco, sobre o leite eu tomo sem lactose, acredito que eu tenha essa Disbiose,pois não estou 100%,Parece que tudo que eu como fementa minha barriga,e as vezes mesmo comendo certinho o que tá minha dieta sinto borburinhos,gases,até mesmo diarréia ou as vezes fico com intestino preso. Ouvi falar muito sobre os probiotico e prebioticos, esses medicamentos com quem posso solicitar? Pois já passei em 2 gastro e 2 nutricionista e nada disso me falaram. Gostaria de saber se o uso do leite mesmo sendo sem lactose pode está me prejudicando também. Sobre as candidiase todo mês tenho crises e são tratadas com fluconazol e cremes vaginais mais sempre volta e as vezes tenho dias a 3 crises por mes.
    Desde já agradeço DR. Muito obrigada.

  41. Oi !Dr eu a 1 ano e meio que sofro , comecei com uma gastroenterite, por várias vezes no ano fiz vários , exames sangue andoscopia , colonoscopia, até d intolerância a lactose ,a IgG não sou intolerante ao glúten , mais tenho uma leve intolerância a lactose, passei por diversos médico que falavem q era síndrome do intestino irritado, faço uso d probióticos e vivo na dieta , no meio do ano comecei a ter um infecção intestinal , tomei antibióticos e anti fungos mais sempre com probióticos agora eu estou vivendo com , gases e dores d baixo ventre , e as minhas fezes estão amarelas só não estou tendo diarreias , estava usando um probiótico , q eu acho q leva leite só poder à estou usando, lonium e trimebitina sinto muita fome dr isso é disbiose? Obrigado! se me puder me responder devo tomar um prebióticos .

  42. Dr Roberto
    Uma criança de 2 anos pode fazer uso de Kefir?

    Também lhe pergunto se insônia tem a ver com Disbiose?… já tive síndrome do pânico, já tive SII, estou na menopausa e tenho ansiedade, diante de tudo que li aqui percebo que tudo ter a ver com a minha insônia?
    Coalhada ou kefir e probióticos tomados antes de dormir poderiam ajudar?

  43. DR. GOSTARIA DE SABER SOBRE O EXAME DE URINA ESPECIFICO PARA DIAGNOSTICAR A DISBIOSE. DESDE O ANO PASSADO VENHO FAZENDO DIVERSOS EXAMES E TENHO A VITAMINA B BAIXA, NA MINHA COLONOSCOPIA ACUSOU UMA COLITE ALERGICA, MAS ESTOU PENSANDO QUE PODE SER DISBIOSE, POIS TUDO QUE EU COMO ME DA GASES. pOR FAVOR ME DÁ UMA LUZ

  44. Muito interessante, gostaria de saber muito mais. Existem algum livro ou vídeo que eu possa adquirir? Tenho mais de setenta e dois anos de idade e minha esposa mais de setenta, quarenta e quatro anos de casados e vários problemas de saúde, principalmente diabetes tipo II, reumatismo, tireoidismo, artrite artrose e outros, além de alimentarmos sem nenhum controle. GOSTARIA DE ADQUIRIR LIVROS E/OU VÍDEOS NOS ENSINANDO A ALIMENTAR. AQUI ONDE RESIDO É COMPLICADO. QUEM DESCOBRIU QUE EU TENHO DIABETES E PROBLEMAS DE TIREOIDE FOI UM CARDIOLOGISTA. QUEM DESCOBRIU QUE MINHA ESPOSA TINHA REUMATISMO E ARTRITE E OUTRAS DOENÇAS FOI EU MESMO. GOSTO MUITO DE ESTUDAR SOBRE ALIMENTAÇÃO PARA MELHORIA DE QUALIDADE DE VIDA E DE SAÚDE MINHA, DE MINHA ESPOSA E DE MINHAS FILHAS E NETAS QUE ADOECEM MUITO, GASTAMOS UMA NOTA PRETA COM MÉDICOS E REMÉDIOS E UMA SEMANA DEPOIS ESTAMOS TODOS DOENTES DE NOVO. SE TIVER REFERIDO LIVRO OU VÍDEO OU OS DOIS, DOUTOR POR FAVOR ME INFORMA POR E-MAIL, URGENTE. DEUS TE ABENÇOE. AGUARDO RESPOSTA URGENTE, POR FAVOR.

  45. Boa tarde Dr Roberto!
    A disbiose pode ter relação com a endometriose? Tenho endometriose e meu instestino nunca mais foi o mesmo, sofro horrores! Obrigada pelo texto!

  46. Bom dia, Dr Roberto. Gostei muito do seu artigo a respeito da disbiose intestinal. Sou intolerante à lactose e desconfio que tenha a Síndrome do Intestino Irritável, com frequência, ao longo da vida, tive episódios de diarreia. Contudo, esse ano peguei uma infecção intestinal, antes de uma viagem de um mês que fiz ao sudeste asiático. Lá no hospital na tailândia me indicaram Cloridrato de Ciprofloxacino e Flagyl. Desde então a minha barriga nunca mais voltou a ser como antes. Já consultei um gastro e uma nutricionista na minha cidade, fiz exames de sangue e nada apareceu. Agora tenho uma endoscopia marcada semana que vem pra continuar a investigação. Estou muito aflita com isso, pois nada tem resolvido e pelo menos uma vez na semana me dá diarreia, vou ao banheiro todos os dias pela manhã, 1 ou 2 vezes no geral, mas nunca é consistente e inteiro. Isso me deixa arrasada, já tenho medo de comer. Noto que a diarreia aparece geralmente com a ingestão de fibras na noite anterior, já apareceu quando comi espinafre, pipoca, uvas, vinho, aveia…. O que posso ter desenvolvido após a infecção? Gostaria de consultar contigo, mas moro em Porto Alegre. Tens algum profissional bom para me indicar, já fui em 2 e até agora ninguém descobriu.

  47. Minha mae foi diagnosticada com disbiose e seu medico indicou mudança alimentar, prebioticos e ozonioterapia? o que seria essa ozonioterapia, ela esta indicada para doença?

  48. Dr. Roberto,
    Encontrá-lo por aqui foi uma surpresa e tanto. Não somente pelo conteúdo do artigo – muito esclarecedor – mas, sobretudo, pela sua presteza em responder às indagações. Comemos de forma totalmente equivocada, não é verdade? Muita comida e pouco nutriente. O organismo pede socorro de muitos modos. Precisamos aprender a ouvir as mensagens que o nosso corpo nos envia. Infelizmente, mesmo na linha do dito “funcional” e “natural”, muitos profissionais estão mais voltados para a prescrição de medicamentos do que para a importância de fazer uma reeducação alimentar de qualidade, com o uso regular de produtos o mais natural possível. Percebi nas entrelinhas, que possivelmente essa última é a sua forma de conduta, pois destacou os benefícios do Kefir como sendo superiores aos dos pro, pré ou simbióticos caríssimos vendidos e prescritos de montão. Qual a sua especialidade e linha de conduta? qual o seu ponto de vista sobre o vegetarianismo restrito na saúde dos intestinos? Agradeceria muitíssimo se me respondesse. Obrigadíssima pelo artigo esclarecedor e oportuno. Parabéns. Dependente da sua área de atuação e respostas gostaria de contatá-lo para uma marcação de consulta/avaliação.

  49. Boa tarde Dr Roberto!
    Se comer queijo Parmesão, ou outro queijo duro, o meu intestino funciona melhor….se comer só um bocadinho ao almoço e ao jantar, vou várias vezes á casa de banho durante o dia 🙂 …….pode ser considerado uma intolerância á caseína, provocar cólica e expulsão de fezes?Sinto tb desconforto a nível digestivo e normalmente, tenho k comer uma maçã a seguir ao queijo para ajudar na digestão…..dizem os estudos, que os queijos com mais anos de maturação (duros), têm pouca lactose…..comer iogurtes por ex. fazem ficar com enjoo. penso ser devido á lactose….os queijos tolero muito mais…..fazia muita flatulência e deixando o leite de vaca, os iogurtes e o gluten, desapareceu a flatulência….agora só a questão de intestino preso para resolver….tomo probióticos todos os dias…o queijo duro ajuda nesse sentido, mas tenho receio que esteja a prejudicar a absorção de vitaminas, pork tenho deficiência de vit. e tenho que tomar suplementos todos os dias….
    gradeço sugestões 🙂 Obgada!
    Rosa Silva

  50. Que bom encontrar este texto, gostei muito! Doutor, existe alguma dieta dessas em voga (DICE, FODMAPS, PALEO etc) que corrija a disbiose e/ou seja a mais correta para uma flora intestinal ótima? Qual o sr Recomendaria?

    1. Feliz em ajudar ! não gosto de nomear dieta mas ao meu ver dieta deve ser com o mínimo industrializados, comida de verdade, natural, se possível orgânica, macronutrientes variando conforme tipo físico, muitas fibras, frutas in natura variando a quantidade de frutose conforme tipo físico e perfil metabólico e hormonal, não vejo restrições aos derivados lácteos sem aditivos pois são fermentados, prefiro iogurtes e coalhadas naturais, queijos maturados, nao vejo necessidade em consumir leite in natura, se for consumir que seja tipo A ou orgânico, sem adoçantes artificiais, mínimo de açúcar possível… acho que é isso , se lembrar de mais coisa, coloco aqui!

  51. Parabéns Dr. Roberto, achei o texto fascinante e de altíssima qualidade. Espero que homens como o Senhor e o Dr. Lair Ribeiro tenha sucesso nessa nova construção de conceitos de medicina para nós brasileiros. Qual a diferença entre o Kefir e a Combucha?

  52. Dr. Roberto, se uma pessoa faz suplementação de vitamina tipo D, K, B7, e B12, magnésio e cálcio, e mesmo assim no exame de sangue mostra deficiência dos mesmos é um sinal de dibiose? e quem controla a população desses micro-organismos simbióticos? os sinais de grande população são os mesmos da dibiose?

  53. Dr. Roberto, parabéns pelo excelente texto. Geralmente dizem pra gente beber cerca de 1,5 litros de água por dia e que água ozonizada é bom pra saúde, beber água ozonizada causa disbiose? por que? quantos copos são indicados por dia?

    1. Não conhecia mas pesquisei e vi que é uma formula patenteada – tb nao sei muito a cerca dos compostos na verdade. BIOintestil® é formulado através de um processo tecnológico patenteado (Patente
      Européia, Application nº 16171535.4-1466) constituído por dois componentes: o óleo
      essencial extraído da Cymbopogon martinii (Roxb.) Wats, padronizado em geraniol, e a
      fibra em pó obtida do rizoma de Zingiber officinale Roscoe, padronizado em 6-gingerol,

  54. excelente estudo sobre o intestino, parabéns, eu faço uso diário de kefir de água, sinto uma melhora enorme no meu intestino. Tenho intolerância à lactose , sensibilidade ao glúten, não como açúcar, como muitos orgânicos, raramente enlatados….. só tenho uma dúvida : quem tem sensibilidade ao glúten (come muito pouco), mesmo assim , o glúten pode acabar com o intestino, tireóide e cérebro? ??
    Agradeço sua atenção!

  55. Parabéns Dr.Roberto , e muito obrigada por todas as informações! Desde 10/2017 que tenho feito tratamentos na med funcional + ortobiomolecular(tudo muito novo para mim) e o seu texto só fortaleceu a minha certeza de que estou no caminho certo e devo perseverar. Mudar hábitos!!

  56. Doutor, completando o comentário: Eu vi rapidamente alguns sintomas do Rafael , creio que posso citar minha descoberta a ele.
    Fiquei muito tempo com intolerância a lactose e início de 2018 farei testes para glúten.
    Obrigada!

  57. Boa noite. Qual especialidade médica consegue identificar, associar e tratar a disbiose? Tenho candidíase de repetição há vários anos. Agradeço a atenção.

  58. Boa Noite Dro. ROBERTO
    Fiz uma.colonocospia e o resultado foi colite .. e retiraram dois polipos ..
    Já apresente alguns quadros como urticária febre dor de cabeça fortíssima e logo após tive sangramento nas vezes ..
    Estou com problema na visao .. como.si tivesse uma conjuntivite fraca .. tenho perdido parte de minha visão mto rapiada … fui em um proctologista e depois um gastro!!
    Nao obtive bons resultados !!
    Gostaria de um método mais natural ..pois lê as vilas dos.mesmos e fiquei assustada .. tenho melhorado minha alimentação.. meu Pai faleceu com Câncer de intestino, participei de tudo ao seu lado e hoje começo com problemas igual ao dele !!

    O Sro. Poderia me indicar um médico que cuide colite e disbiose intestinal aqui em São Paulo??
    Serei eternamente Agradecida

  59. Olá Dr Roberto! Excelente matéria! Parabéns! Bom, há anos , talvez desde que nasci, tenho Psoríase, e com o passar do tempo , lá pelos 22 anos , começaram as dores articulares e afins . Qndo vou na reumato, ela quer fz o tratamento convencional. Mas eu falei que a dor que tenho está no intestino. Fiz 3 colonoscopias nos últimos 3 anos, até que um resolveu pedir biópsia, pelo menos do intestino grosso. E deu melanosis coli. Eu acredito ser disbiose , ou estou enganada? Bom. Isso tudo claro, tem me levado a depressao, infecções urinárias e acredito que verme é o que não deve faltar dentro do corpo . Pode ser alguma bactéria intestinal super poderosa? Enfim, tenho dores horríveis, que me impedem de tudo, inclusive de pensar. Minhas ideias estão bem distorcidas. Agradeço desde já a atenção.

  60. Dr Roberto muito grata pela matéria. Não existe tanto esclarecimento completo e de forma fácil como este.
    Tenho tentado tratar a disbiose com probioticos como Lactofit que tomo em jejum pela manhã junto com glutamina, recentemente comecei a tomar 100ml de kefir de água também em jejum e fiz 20 sessoes de ozonioterapia retal, junto a 4 sessões de enema de café.
    Estou com muita esperança em ficar boa após esse tratamento que terminei hoje, pois sofro com constantes estufamentos e dor abdominal por gases causados por ingesta de carboidratos, leite, recente intolerância a ovo, verduras cruas, refluxo, candidíase de repetição, intestino lento… Tenho melhorado porém não encontrei ainda aqui em São Luís – MA um médico especialista para me ajudar, fico pulando de galho em galho atras de quem possa me ajudar e lendo na internet. Você teria algum colega residente em São Luís para me indicar na ajuda com a disbiose?
    Gostaria de saber também sobre qual seria a quantidade de kefir ideal diária para ajudar na disbiose e o melhor horario para tomar.
    Grata.

    Clara

  61. Boa noite!

    A um ano mais ou menos, após o uso de um fitoterápico que se dizia reduzir gorduras e a diminuir a fome desenvolvi uma desordem gastrointestinal na qual não tenho conseguido sucesso com quase nenhum tratamento. Meu corpo não consegue metabolizar nada. Dieta super restrita( sem glúten, lactose, alimentos gordurosos ou temperados, açucar…) Estou com deficiência de vit D, B12, colesterol bom baixíssimo. Já tentei suplementar vit D via sublingual, em comprimidos e quase morri rs, pressão sobre, enxaquecas fortíssimas, fraqueza muscular severa. Tentei suplementar glutamina, me deu agonia aguda, pressão 16/9 subiu, falta de ar terrível ( tentei mais de 3 x mesmos sintomas) . Tentai tomar sopa de ossos mas me fez mal por ser gorduroso, enjoo, tontura e diarreia, pois não estou digerindo bem coisas gordurosas. Exercício físicos não consigo mais praticar, tenho sentido palpitações ao me exercitar (aeróbicos, surfar) além de fraqueza(tremores musculares) e nó na garganta. Fezes em bom estado porém verde florescente e as vezes amarelada mais clara. Tomo probióticos por isso diarreia não tive mais. Esporadicamente sinto minhas forças indo embora, tontura do nada. Micção de 2 a 3 x na noite. Falta de concentração excessiva. Não consigo tomar nenhum tipo de medicação pois todos me dão, enjoo, taquicardia, agonia, gases e alteração nas fezes. Tentei antiespasmódicos e todos me dão a mesma reação. Assim como alguns chás. Preciso de Ajuda, sou do Rio de Janeiro e não acho especialistas na área por aqui. Teria indicação? ou faz tratamento a distância?

  62. Desenvolvi a intolerância a lactose aos 23 anos e desde uma operação de remoção de ciso com uso de antibióticos fortes tenho tido episódios de crises de ansiedade. Faço uso da setralina, que trouxe grande melhora, mas sempre percebi que as crises ocorriam principalmente quando meu “estômago” não estava bem. Me deparei por acaso com esse artigo e me identifiquei bastante. O gastro que me acompanha nunca levantou essa possibilidade, mas lendo seu artigo creio que irei investigar melhor com outro médico. A intolerância a lactose seria uma causa da disbiose e as crises de ansiedade poderiam ser uma consequência? Como sou intolerante a lactose não posso fazer uso de iogurte natural ou coalhada, o que poderia me sugerir? E por último, teria indicação de profissional em Belo Horizonte?

  63. dr. leio todas suas matérias. estou usando keffir psiluin 1 colher de sopa, biomassa de banana verde, 3 ameixa diarias,mamão linhaça e pb8.
    é muita fibra para um só dia? tenho muito estufamento e gases e desconforto mas meu intestino só funciona de 3 em 3 dias. é muita fibra?

  64. Dr venho sofrendo de intolerancias alimentares ha anos e atualmente já não posso mais ingerir frutose. Tenho gases muito doloridos. Poderia ser disbiose? tenho apenas 16 anos e já não posso comer quase nada!

  65. Boa tarde Dr. Roberto!

    Gostaria de saber sobre enema intestinal, especificamente o de café, de bicarbonato e o de camomila. Algum deles interfere negativamente na microbiota? e Algum deles deve ser sucedido da restauração da flora?
    Muito Obrigado e parabéns pelo trabalho!

  66. Dr Roberto, excelente artigo.
    Dr, aqui nesta página vemos que uso de antibióticos pode gerar a disbiose.
    E creio que a disbiose possa gerar sensibilidade ao glúten (indicado por exame).. Uma vez acontecido isso, a pessoa será para sempre sensível ao glúten? Ou pode ser revertido?

  67. Dr, disbiose pode causar dor pélvica crônica, tipo uma ardência ou queimação no intestino, abdomem distendido e gases retidos? Noto um alívio, não total, quando evacuo.

  68. Gostei imenso dos seus comentários e faço como indica para resolver problemas gastrointestinais. obrigada pelos esclarecimentos tão certos

  69. Dr. Roberto, há 2 meses precisei fazer uso de um antibiótico chamado clindamicina, tive episódios de diarreia, porém, com a mudança da alimentação melhorei. Passados 16 dias de recuperação tive outros episódios de diarreia por 8 dias. Acontece q fiz exames e deu positivo para Rotavirus e positivo para o Clostridium. Após os 8 dias de diarréia q acredito seja por conta do Rotavirus, minhas fezes voltaram a ser moldadas. Fiz TC e está normal, meus exames normais, exceto q deu positivo leucocitos nas fezes. Não tenho sintomas há 21 dias, vou precisar tomar antibiótico para Clostridium?
    Agradeço se puder responder.

  70. Amaral você é fera demais cara!! Parabéns por escrever esse artigo tão rico, didático e conseguir tirar um tempo para responder o pessoal, sei que seu tempo deve ser curto. A sociedade agradece!!
    Agr uma dica Dr, sou portador de EA e RCU, ambas em remissão. Porém venho com sintomas recorrentes de GERD e falta de acidez estomacal (reponho com betaína HCI altas doses, porém estou tratando o sintoma, n a causa) creio que as anteriores estejam relacionadas a SIBO.. Barriga inchada, muitos gases sem cheiro e contrações intestinais. Mas ausência de dores em todo o trato digestivo..
    Um médico que saiba tratar SIBO em Florianópolis e região? Alguém de procedência cm você, por favor.
    Nada de convencionais que só querem me dar PPI’s e cobrar mil reais por endoscopia onde não se acha nada rsrsrs.

  71. Olá douto, minha filha tem 12 anos esta com disbiose. Qual melhor exame de fezes pra saber se há tumor? Tenho me preocupado porque as fezes são bolinhas. Esta tomando o 20Bi Probiotico. Mas agora voltou a fazer bolinhas. Já esta na quarta cx. Seria bom que o médico mudasse as cepas. Obrigada outra coisa a glutamina é boa pra teatar a Disbiose?

  72. Dr, sofro de esofagite grau 1 , e tudo, absolutamente tudo q eu como.doi o estômago e tenho refluxo. Tenho intolerância a lactose. Será q pode ser disbiose q esteja causando o refluxo? E como vou tomar probiótico se tenho intolerância a lactose?

  73. Bom dia,
    Estou com problemas diversos desde bastante tempo, articular, digestivo, diarréia, fatiga, confusão mental, dermatite…

    Depois de descobrir e entender o que são a disbiose e a permeabilidade intestinal, comecei uma dieta sem glúten e sem fodmap. Tentei também tratar um eventual sibo com cápsulas de neem, berberina e óleo de orégano.

    Melhorei, parei um mês depois e fiz uma recaída forte com as primeiras crises de dermatite.

    Felizmente, antes de fazer pior, consegui achar um médico de medicina funcional tratando com ortomolecular (tratamento e dieta baseado no protocolo do Tom O’Bryan e do Dr. Lair Ribeiro).

    Deu certo os 2 primeiros meses, a melhora foi inesperada! Rapidamente recuperei capacidade cerebral e energia, e todos os sintomas sumiram.

    O terceiro mês, comecei desviar um pouco da dieta, reintroduzindo uns fodmaps, tomando sucos de frutas toda manhã, uma colher de chá de açúcar no chá por vez enquanto…

    Minhas fezes começaram se tornar mole, voltei na dieta original mas piorou. A diarréia chegou e se instalou.

    Hoje completei 40 dias de diarréia aguda, muito líquida, várias vezes ao dia e noite, sem evolução nenhuma, mesmo tentando mudar toda minha alimentação. Cheguei a comer só canja durante 2 dias, sem efeito nenhum. Nem preciso falar da fadiga que estou sentindo.

    A resposta do meu médico foi de culpar o açúcar, e me pediu esperar. Pediu um hemograma completo, normal.
    Agora, ele mandou um teste de intolerância alimentar.

    Hoje, estou com muitas dúvidas sobre o protocolo:
    – o hemograma completo não me parece suficiente pra o diagnóstico de uma intoxicação alimentar (salmonela, amibe…)
    – por enquanto, nenhuma pesquisa sobre microbiota (probiome com sequenciamento DNA, teste respiratório sibo, presencia de candida ou outras bactérias ou parasitos…)
    – estou completando mais que 4 meses sem fodmap, sabendo que isso empobrece muito minha microbiota, favorecendo o crescimento de qualquer parasito ou bactéria patogênica oportunista. Por enquanto, nenhum tratamento pra eliminar ou repor bactérias. Nem antibiótico, nem pro ou prebióticos. Nada. O médico parece se preocupar só dá permeabilidade. Falou que probióticos não prestam tão que o intestino não fechou. Antibiótico nem pensar porque destrói a flor. Ok, mas não tem jeito de tratar os 2 junto? Uma disbiose não pode piorar a porosidade?
    – agora chega esse teste de intolerância alimentar, muito caro e muito polêmico. Achei várias especialistas do intestino permeável falando que não presta. Que a presença de alguns IgG só confirma a permeabilidade intestinal.

    É fato que a falta de confiança pode ser fatal quando estou falando de seguir um protocolo tão difícil e comprido.
    Por isso solicito você pra uma segunda opinião. Estou consciente que pra você conseguir, talvez vai precisar de muito mais informações (protocolo exato, histórico…). Então, por favor, tenta me responder o que você poder já, e me diga o que seria a melhor forma pra você me ajudar. Consulta? Online?

    Obrigado.

  74. Bom dia Doutor, posso fazer uso de lactobacilos (comprados em farmácia de manipulação) e medicamento para refluxo juntos?Atualmente estou tomando o dexlansoprazol.
    Obrigada.

  75. Boa tarde, tenho um parente com psoriase a muitos anos, Ele usa probiatop um sache por dia( 1 gr) , e me disse que demora alguns meses pra fazer efeito. Mas, tem tido bos resultados.
    Espero que possa contribuir .

  76. Tenho ileíte leve inespecífica e candidíase. Sinto a barriga inchada, gases, dores abdominais. Quando consumo lácteos aparece muco na fezes, mas não sou intolerante à lactose. Faço uso de mesalazina. Sinto dores nas juntas da região do quadril. Os médicos descartaram a doença de Crohn. Não apresento os sintomas clássicos. Um exame para averiguar possível disbiose seria útil?

  77. Dr. Tenho uma pergunta:
    É possivel se contaminar e desenvolver disbiose atraves do beijo ou relacao sexual?
    Pergunto isto pq entrei num relacionamento e logo desenvolvi lingua branca, ulceras na lingua que vao e vem, movimentacao intestinal bem agressiva, fezes com muco, mal digeridas e muitas vezes amarelas por excesso de muco. Fiz todos os exames possiveis e nao detectam nada. Tomei diversos medicamentos anti parasitas e nada. Entrei agora numa dieta sem carboidratos e com baixo açucar minha ultima esperança. Ja estou assim ha 8 meses e ja quase jogando a toalha. Sera que isto tem cura Dr. ou vou ter que conviver o resto da vida com isto?

      1. Ja passei por uns 10 especialistas diferentes, fiz diversos exames, tomei diversos medicamentos e nada Dr. Minha lingua todos os dias pela manha esta bem branca e aspera e com a ulcera nova indolor que dura alguns dias. Intestino até consegui melhorar a consistencia das fezes por algum tempo mas sempre com muco. Minha saude era zerada até eu ter me relacionado com a pessoa que tambem tem lingua branca e eu desenvolvi depois do contato com ela.

  78. Doutor, tenho gases dia e noite, cheiro forte muitas vezes acompanhado de cólica, evacuo em horários diferentes, e nem sempre é todo dia, tenho muita distensão abdominal, acordo com ela já, raramente o dia q não estou distendida.
    Tenho alimentação balanceada, não consumo açúcar e nem refinados (a não ser esporadicamente), sou atleta d fisiculturismo, prático aeróbico e musculação todos os dias.
    Vi a respeito de uns testes, o teste de intolerancia alimentar e também um teste da microbiota intestinal, acha válido? Estou sofrendo com isso…

    1. O de intolerancia não acho que sirva para muita coisa, mas o de microbiota, teste respiratório com hidrogenio e outros exames básicos de fezes como parasitologico, calprotectina fecal, coproculutura, fezes a fresco,pesquisa de gordura fecal entre outros como amilase,lipase,podem ajudar

  79. Bom dia Dr.tenho uma bebe de 8 meses…moro no interior de goias…ela desde dos 2 meses teve cólicas…q hj é considerado nora até 3 ou 6 meses…porem as cólicas estão perdurando até hoje…ela chora muito…dor intensa…procurei uma gastro pediatra..fizemos ultra som é um exame de fezes oculta pra ve se teria sangue…exames tudo ok…teria algo pra me indicar a fazer …um.especialista pra me indicar …e muito sofrido ver ela assim…ela ainda mama em mim é já está comendo verduras e frutas…

  80. Oi Dr. primeiro obrigada por compartilhar esse maravilhoso artigo conosco. É de grande valia. Tenho uma pergunta: Fui evacuar e saiu um muco de cor amarelada e com cheiro de ovo podre. Fiquei muito preocupada , pois nunca aconteceu antes(não que eu tenha visto). Não sinto dores , mas estou passando por uma crise de ansiedade e medo, e eu percebi que isso afetou meu intestino , pois sempre fui regulada e nas semanas que passei por ansiedade eu tive dificuldade de ir ao banheiro e de soltar gases. Em relação ao muco , o porque ocorre dele sair e o porque da cor e cheiro?! Desde já agradeço pela rica atenção!

  81. Ola Doutor,
    Obrigada pelo artigo.
    Sou mãe de um lindo garotinho, autista, 3 anos.
    Ele não apresenta nenhum sintoma de disbiose. Tem uma boa alimentação, mas toma leite de vaca e eventualmente come pão que contem glúten. Alem de ajustar a dieta dele, temos algum suplemento (probiotico, prebiotico) que posso oferecer, uma vez que ele nao aceita yogurtes ou kombucha}
    obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ARTIGOS RELACIONADOS

Mais lidAs

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Posts recentes

Me siga

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp