Covid e a “falta de ar silenciosa”.Vale a pena ter um oxímetro?

Entre as muitas surpresas do novo coronavírus, está uma que parece desafiar a biologia básica: pacientes infectados com níveis extraordinariamente baixos de oxigênio no sangue se descrevendo como confortáveis e sem falta de ar.

Os médicos os chamam de “felizes hipóxicos ou hipóxia silenciosa.

A hipóxia silenciosa progredindo rapidamente para insuficiência respiratória explica os casos de pacientes do Covid-19 morrendo repentinamente após não sentir falta de ar.

Existe uma incompatibilidade [entre] o que vemos no monitor e oxímetro e a aparência do paciente diante de nós

A pneumonia por Covid causa inicialmente uma forma de privação de oxigênio que está sendo chamada de “hipóxia silenciosa” por causa de sua natureza insidiosa e difícil de detectar.

Uma saturação normal de oxigênio no sangue é de pelo menos 95%.

Na maioria das doenças pulmonares, como pneumonia, a queda na saturação de oxigênio acompanha outras alterações, incluindo pulmões rígidos, cheios de líquidos ( edema) ou níveis crescentes de dióxido de carbono (acido respiratória), porque os pulmões não podem expulsá-lo com eficiência,

São esses recursos que nos deixam com falta de ar .

Em casos graves de COVID-19, os pacientes lutam para respirar com pulmões danificados, mas no início da doença, a baixa saturação nem sempre é acompanhada de óbvias dificuldades respiratórias.

 Muitos médicos agora reconhecem a hipercoagulação como uma das principais características do COVID-19 grave. 

A coagulação pode começar cedo nos pulmões, talvez graças a uma reação inflamatória em sua fina rede de vasos sanguíneos, que pode desencadear uma cascata de proteínas que levam o sangue a coagular e impede que ele seja oxigenado adequadamente.

Existe uma maneira de identificarmos mais pacientes com pneumonia por Covid mais cedo e tratá-los com mais eficácia e não seria necessário aguardar um teste de coronavírus em um hospital ou consultório médico. Requer a detecção precoce de hipóxia silenciosa através de um dispositivo médico comum que pode ser adquirido sem receita médica na maioria das farmácias: um oxímetro de pulso.

A oximetria de pulso não é mais complicada do que usar um termômetro. Esses pequenos dispositivos ligam com um botão e são colocados na ponta do dedo. Em alguns segundos, dois números são exibidos: saturação de oxigênio e taxa de pulso. 

Os OXÍMETROS DE PULSOS são extremamente confiáveis ​​na detecção de problemas de oxigenação e batimentos cardíacos elevados.

 O monitoramento domiciliar “vai impedir todos os maus resultados no COVID? 

Absolutamente não ”, diz Levitan, que escreveu um artigo de 20 de abril no The New York Times, argumentando que a hipóxia precoce pode progredir rapidamente para pneumonia e morte. “Se pudéssemos detectá-los quando estavam menos doentes, eles se sairiam melhor.

” Negri diz a seus pacientes para monitorar sua saturação de oxigênio e visitar o hospital se ele cair para 93% ou menos. Nesse ponto, ela considera anticoagulantes e outras terapias.

Ninguém, no entanto, estudou se a detecção precoce da hipóxia pode impedir resultados ruins. 

Alguns médicos, incluindo Gattinoni, acreditam que os oxímetros de pulso são mais bem utilizados com a orientação de um médico, talvez por telemedicina.

Muitos pacientes com COVID-19 estão com medo de ir ao hospital e chegam apenas quando os sintomas mais graves como falta de ar já estão avançados, assim o monitoramento doméstico com OXÍMETRO pode acelerar o tratamento – e isso para alguns, pode fazer toda a diferença. 

Fonte ;

Science

http://The Infection That’s Silently Killing Coronavirus Patients This is what I learned during 10 days of treating Covid pneumonia at Bellevue Hospital. By Richard Levitan

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhe

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ARTIGOS RELACIONADOS

Mais lidAs