Menopausa

Há quatro décadas quando a expectativa de vida alcançava meros 60 anos, falar em menopausa era como anunciar o prenúncio da velhice e a proximidade ao término da existência.

Nos dias atuais, é impensável qualquer similaridade, devendo ser considerado  um dos maiores problemas de saúde pública já que  a menopausa aumenta a chance de obesidade,diabetes tipo 2, osteoporose, doença cardiovascular e  doença de Alzheimer.

Mulheres que cuidam da sua saúde se alimentando adequadamente, praticando atividade físicas, não fumando, controlando o stress e indo médicos regularmente, provavelmente viverão até no mínimo 90 anos, se não mais.

Assim, abdicar dos hormônios produzidos pelos ovários, por quase 40 anos é da mesma forma impensável.

 

Sistema Reprodutor Feminino

Menopausa:

Palavra criada em 1816 para designar as interrupções das menstruações que ocorrem em conseqüência da falência ovariana fisiológica. Pode ser determinada cronologicamente pela ausência de menstruação por pelo menos 1 ano.

Climatério  do grego Klimakter = ponto crítico da vida, é o período imediatamente antes da menopausa e os anos posteriores.

Realidade Brasileira

• Mais de 45 milhões de mulheres no climatério

• Mas de 22 milhões de mulheres na menopausa

• Menos de 10% fazes reposição hormonal

• 80% abandonam o tratamento em 6 meses

A partir da puberdade a orquestra ovariana feminina é regida por dois hormônios da hipófise, FSH (hormônio folículo estimulante) e LH (hormônio luteinizante). Ambos de maneira coordenada vão até os ovários estimulando – os a produzirem estrogênios e progesterona.

LEMBRETE: Estrogênio é uma classe de hormônio e não um hormônio.

Os estrogênios humanos são: estradiol, estriol e estrona.

Esses hormônios ditam inúmeras funções ao longo da vida:

• Características femininas ao corpo como cintura menor que o quadril (corpo em violão) voz fina, seios e pele aveludada.

• Desenvolvimento de órgão sexuais internos e externos ex. útero, trompas e vagina.

• Ciclos menstruais – ovulação permitindo as mulheres esse dádiva da vida chamada gestação.

• Formação de tecido ósseo.

• Mantém o metabolismo em patamares que  favorecem a manutenção ou perda do peso

• Aumentam o depósito de proteínas favorecendo o ganho de massa magra.

• Depósito de gorduras em locais como glúteos, mamas e coxas o que muitas vezes caracteriza um corpo feminino.

• Proteção cardiovascular.

SINTOMAS DO CLIMATÉRIO:

• Alterações no sono

• Ondas de calor – Fogachos

• Flacidez mamária

• Cansaço

• Dor durante o ato sexual

• Alterações psíquicas como tristeza e ansiedade

• Aumento de peso

• Diminuição do desejo sexual

• Diminuição da vaidade e da auto-estima

DOENÇAS DA MENOPAUSA:

• Osteoporose

• Hipertensão arterial

• Resistência a insulina – Diabetes Melitus

• Obesidade

• Cardiopatias

• Alzheimer

• Dislipidemia – aumento de colesterol ruim, LDL, e diminuição do bom colesterol, HDL.

• Depressão e outros transtornos psíquicos

• Tromboses

 

Reparem  quantas  doenças podem ser prevenidas  com a  simples  reposição de hormônios  que sempre existiram  no organismo feminino.

A grande, esmagadora, maioria das mulheres não tem câncer de mama e qualquer  outra  doença  citada acima  enquanto produzem naturalmente os hormônios  estrogênios e progesterona. Essas  doenças  surgem exatamente quando os hormônios param de ser produzidos pelos  ovários. Será que são  eles  os culpados por tais doenças  como alguns ainda insistem em  dizer?  Ou será  que não  é a falta deles?

Mecanismo de proteção cardiovascular:

• Aumenta o oxido nítrico

• Aumenta PGI2

• Reduz a endotelina

• Reduz tromboxano A2

• Reduz a atividade plaquetária

• Reduz citocinas pró infamatórias

• Diminui a resistência a insulina

• Pode exercer efeito hipotensor

 

Entenda porquê  as mulheres, e até homens,acham  que tratar a menopausa aumenta a chance de câncer de mama.

Em 1994, um estudo conduzido pelo National Institutes of Health chamado Women’s Health Initiative (WHI) teve inicio com o objetivo de demonstrar que Premarin e Provera poderiam além de melhorar os sintomas da menopausa, poderiam proteger as mulheres de problemas cardiovasculares, osteoporose e câncer.

Este estudo estigmatizou a terapia de reposição hormonal em mulheres, pois neste estudo as participantes tiveram:

• Aumento de 26 % na incidência de câncer de mama,

• Aumento de 41% de AVC

• Aumento de 22% de doenças coronarianas

Apesar disto o estudo teve alguns pontos positivos

• Diminuição de 37 % de câncer de colon

• Redução de 33% de fratura de quadril

• Redução de 24 % em incidência geral de fraturas

Por ignorância ou por simplesmente desconhecer a fisiologia humana os idealizadores do citado estudo citado utilizaram hormônios retirados de urina de égua prenha (ainda utilizados nos dias de hoje) com o nome fantasia de:

PREMARIN = PREgnant, MARe, uriNE, o qual é composto de 38 estrógenos conjugados dos quais só se conhece a ação de cinco:

• Estrona (tem ação cancerígena)

• Sulfato de equilina em sódica (inexiste em humanos)

• 17 alfa dihidroequilina ( inexiste em humanos)

• 17 alfa estradiol ( inexiste em humanos)

• 17 beta dihidroequilina ( inexiste em humanos)

Outro hormônio utilizado foi o progestogenio acetato de medroxiprogesterona (PROVERA): é diferente de progesterona, tem ação anti progesterona

Entendo melhor:

Atualmente a distinção entre progesterona biodêntica/natural e a forma sintética Progestôgenio (acetato de medroxiprogesterona) ainda se mantém bastante polêmica e não compreendida. Progesterona é utilizada por especialistas em fertilização para proteger a gestação, enquanto medroxyprogesterone (Provera) é utilizado em pílulas do dia seguinte e anticoncepcionais para impedir a gestação.

TEXTO RETIRADO DO LIVRO ENDOCRINOLOGIA CLÍNICO – QUARTA EDIÇÃO – LÚCIO VILAR página 575 – Escolha do progestágeno

“O acetato de medroxiprogesterona, progestágeno mais utilizado na THM (terapia de reposição hormonal) durante muitos anos, tem ação glicocorticóide, promovendo retenção hídrica e ganho de peso além ANTAGONIZAR os benefícios cardiovasculares dos estrogênios. Foi o progestágeno utilizado nos grandes estudos prospectivos sobre THM, que mostraram aumento na incidência de coronariopatia, de acidente vascular cerebral, de tromboembolismo venoso, e câncer de mama no grupo em uso de reposição hormonal”.

VOLTANDO:

Além disso, o estudo foi feito com mulheres que já tinham anos de menopausa. Neste período tais mulheres ficam apenas sob ação da estrona que é produzida na supra-renal e segundo alguns estudos tem ação cancerígena.

Antes da menopausa o estradiol, o estriol e a progesterona produzidos pelos ovários protegem as mamas contra a ação de estrona.

Não é para menos que tivemos um aumento de câncer de mama. Aliás, acho que ficaria surpreso se não acontecesse nada.

A terapia de reposição hormonal para tratar os sintomas e doenças da menopausa é uma questão bastante polêmica que pode, muitas vezes por falta de compreensão, impedir que pacientes recebam tratamentos seguros e eficazes.

Após o término do WHI, de um dia para outro os médicos tiraram essas medicações de milhões de mulheres.

Muitas começaram a se sentir muito mal com a retirada abrupta das medicações, porém os médicos foram taxativos e passaram a prescrever anticoncepcionais e antidepressivos.

Um ano após o ocorrido, o American College of Obstetrics and Gynecology criou guidelines orientando os médicos a prescreverem as mesmas drogas, porém em doses mais baixas e por períodos mais curtos. Porém, e essa é a grande questão, a segurança dessa “opção de baixa dose” NUNCA foi comprovada cientificamente.

Enquanto isso muitos médicos ignoraram os efeitos do estradiol e da progesterona “bioidêntica”, que é formulada para ser idêntica a molécula produzida pelo corpo humano.

Há 25 anos de pesquisas cientificas nos EUA e Europa que demonstram que hormônios bioidenticos, estradiol e progesterona micronizada, são iguais ou mais eficazes que os sintéticos e mais seguros. Porém a medicina tradicional “enfiou” a cabeça debaixo da terra e recusa reconhecer esses estudos seriamente.

Enquanto na Europa os hormônios bioidênticos são usados há muito tempo, nos Estados Unidos apenas em 1998 algumas empresas farmacêuticas receberam aprovação do FDA.

Infelizmente as empresas farmacêuticas controlam ainda o que é passado para os médicos que em sua maioria nunca aprenderam sobre hormônios bioidênticos.

A classe médica deve parar de atender os desejos da indústria farmacêutica e começar a atender com mais prioridade os interesses das suas pacientes, e isso envolve prescrever hormônios bioidênticos, pois isso irá levar a mulheres mais saudáveis, felizes e no longo prazo irá diminuir os custos com saúde.


TEXTO RETIRADO DO LIVRO – ENDOCRINOLOGIA- GUIAS DE MEDICINA AMBULATORIAL E HOSPITALAR DA UNIFESP – EPM – PRIMEIRA EDIÇÃO – 2009

“Tanto os estrogênios sintéticos como os naturais tem se mostrado eficazes nas preservação da massa óssea e na melhora da sintomatologia.Entretanto, na terapia de reposição hormonal do climatério e na menopausa os naturais são mais indicados ( Lindsay ET AL .,1997)”

Contra indicações da reposição hormonal:

OBS. História familiar de câncer de mama não contra indica tratamento

 

Estudos

1-  Publicação  do Jornal Europeu de Menopausa e Andropausa mostra que repor  os hormônios  naturais ( bioidênticos ) estradiol e progesterona pela pele na menopausa  tem os seguinte benefícios:

Link  do estudo: http://www.maturitas.org/article/S0378-5122(08)00204-1/abstract

 

2 –   Tradução  Google : Conclui-se que a terapia de reposição de estrogênio fisiológico (natural – bioidêntico),  com ou sem progesterona adicionada, inibe a progressão da aterosclerose em macacas ovariectomizadas (sem ovários) . Isto pode explicar o porque dos resultados da terapia de reposição de estrogênio na redução do risco de doença coronária em mulheres pós-menopáusicas.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2244855

 

3 – Terapia  de reposição hormonal  melhora a função muscular em mulheres na menopausa  http://jp.physoc.org/content/early/2013/02/28/jphysiol.2012.250092.abstract

 

4   – Reposição de DHEA melhora  função sexual na pós-menopausa

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21942655

 

5  - Estradiol  pode  diminuir  chance de progressão do câncer de mama

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24002591

 

6- Vitamina B6  pode prevenir osteoporose na menopausa

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23238962

 

7 – Riscos e nenefícios da TRH

http://www.sbac.org.br/pt/pdfs/rbac/rbac_41_03/14.pdf

 

 

8 –  Estrogênio melhoram massa muscular, óssea e tecido  conjuntivo

http://jap.physiology.org/content/115/5/569.abstract

 

9- Estudo sugere  alterações relacionadas nos hormônios sexuais endógenos na menopausa, como um possível mecanismo de ação para explicar a maior limitação no funcionamento físico relatada em mulheres na meia-idade. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2014 Jan 24.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24465026

 

10- Estudos revelam evidências significativas  do papel neuroprotetor do derivado do ovário 17β-estradiol (E2). Mol Cell Endocrinol. 2014 Jan 22.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24462786

 

11-   Estudos demonstram que a   terapia hormonal adequada exerce efeitos profundos sobre várias partes da pele.   Biomed Res Int. 2013 Dec 21.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24455744