Cansaço Crônico? Pode ser Fadiga Adrenal! | Dr. Roberto Franco do Amaral Neto

Cansaço Crônico? Pode ser Fadiga Adrenal!

Sem categoria

17 de janeiro de 2014

 mosaico

Este artigo tem como objetivo abordar alguns dos equívocos em torno da fadiga adrenal.  Apesar de excelentes livros terem sido escritos pelo Dr. James Wilson e diversos outros pesquisadores, muitos dentre os profissionais médicos ainda não reconhecem essa condição subdiagnosticada.

A fadiga adrenal afeta de forma pandêmica a atual civilização, em razão de vários fatores como os  descritos  abaixo:

  • Medo
  • Estresse emocional
  • Perda do  emprego
  • Pressão no trabalho
  • Pressão na escola/ faculdade
  • Pressão financeira
  • Alergia
  • Cigarro
  • Cafeína
  • Excesso ou falta de exercícios
  • Toxinas
  • Relacionamentos amorosos em crise  ou rompimentos
  • Perdas de entes queridos
  • Violência urbana
  • Caos Urbano
  • Bullying
  • Preocupações familiares,  principalmente  com filhos ou pais doentes
  • Infecções e internações

estressores

Tudo isto dificulta a atividade humana, impedindo inclusive que as pessoas continuem produtivas sob o ponto de vista social e econômico. Com este artigo, espero fornecer um recurso informativo para todos os que sofrem de fadiga adrenal.

O que é fadiga adrenal? E por quais razões provoca tantos sintomas e tantas queixas?

As glândulas adrenais são  parte importante de seu sistema endócrino, que é o responsável pelo controle da sua pressão arterial, ciclo do sono, imunidade, regulação do metabolismo do sódio, do potássio, da água, dos carboidratos e também regulação das reações do corpo humano ao estresse, através de um sistema denominado eixo HPA.

O Eixo HPA

O eixo HPA é um conjunto complexo de relações e sinais que existem entre o hipotálamo, a hipófise e as glândulas adrenais. Esta relação é uma parte absolutamente indispensável da nossa existência, mas é muito difícil de entender. É um assunto complicado, e a maneira com que as glândulas adrenais, hipófise e hipotálamo interagem uns com os outros tem sido objeto de consideráveis investigações.

HPA

Estas glândulas se localizam uma sobre cada rim e são constituídas por duas porções, o córtex e a medula. A medula adrenal secreta as catecolaminas noradrenalina e adrenalina, sendo a principal fonte de adrenalina no corpo. O córtex adrenal secreta três tipos de hormônios: mineralocorticoides (aldosterona), glicocorticoides (cortisol e corticosterona) e androgênios (hormônios sexuais).

adrenal

Estas glândulas constituem a primeira parte do corpo a ser diretamente atingida pelos efeitos do estresse e nessas situações, passam a funcionar de forma errada, não secretando os hormônios que deveriam. O estado de estresse crônico em sua fase mais avançada ocorre devido à falência parcial da glândula adrenal, o que provoca a diminuição gradativa do cortisol. Como o cortisol equilibra o sistema imunológico, na sua falta, a pessoa fica mais suscetível a inflamações, infecções, alergias, dermatites, dores musculares e articulares.

mulher fadiga

Sintomas de fadiga adrenal

Além do cansaço, outros sinais que denunciam esta condição clínica são: infecções e gripes frequentes, ganho de peso e dificuldade em emagrecer, ansiedade e irritabilidade, alterações do sono, baixa libido, tonturas, baixa concentração, apatia, compulsão por doces, salgados, cafeinados e frituras.

Sintomas mais comuns:

- Dificuldade em se levantar todas as manhãs, mesmo depois de um longo sono;

- Altos níveis de fadiga ao longo do dia;

- Incapacidade de lidar com o estresse  - irritação demasiada;

- Desejos por alimentos salgados ou doces;

- Níveis mais elevados de energia à noite;

- Sistema imunológico enfraquecido.

Sintomas menos comuns:

Há um grande número de outras queixas que estão associadas com a fadiga adrenal. Muitas delas estão ligadas diretamente a uma das queixas mais comuns listadas acima. Dependendo do estágio da fadiga adrenal, pode ocorrer um pequeno  ou um grande número destes sintomas.

Asma, alergias ou problemas respiratórios, círculos escuros sob os olhos, tontura, pele seca, cansaço extremo até uma hora após o exercício, micção frequente, dor nas articulações, perda do tônus ​​muscular, pressão arterial baixa, glicemia alta, baixo desejo sexual, dor nas costas, dormência nos dedos/má circulação, ganho de peso.

Então, se você tem sentido dificuldades para acordar, come exageradamente durante a tarde, não demonstra o menor interesse por sexo e se irrita com facilidade, talvez seja a hora de procurar um especialista. Fadiga adrenal ocorre devido à exposição prolongada ao estresse do trabalho, estresse emocional ou doença crônica. Testes hormonais fornecem um diagnóstico preciso.

A fadiga adrenal é raramente diagnosticada por médicos, mesmo em face das evidências apresentadas pelos novos trabalhos. Há três razões pelas quais os médicos são tão relutantes:

- Os testes de laboratório são inconclusivos;

- Os médicos são desencorajados a diagnosticar Fadiga Adrenal  pela principal responsável pelo conhecimento médico tradicional, a indústria  farmacêutica. Imaginem  quantos problemas de saúde poderiam ser evitados com o equilíbrio  desta glândula;

- Inércia nos protocolos  médicos.

Para saber mais: http://adrenalfatiguesolution.com/adrenal-fatigue-a-controversial  -diagnosis/

Os quatro estágios da fadiga adrenal

O termo fadiga adrenal pode em muitos aspectos ser enganoso, porque descreve uma variedade de diferentes estados no caminho que leva à exaustão adrenal. Na verdade, a maioria dos doentes de fadiga adrenal felizmente nunca alcança os últimos estágios da doença, e muitas vezes se recupera totalmente da fase 1 ou 2 da fadiga adrenal sem nunca ter sido diagnosticada corretamente.

Fases

Características

Sintomas

Primeira Fase:

Início da fase de ‘alarme’

 

Esta etapa descreve reação imediata do organismo a um estressor. Testes de laboratório mostram níveis elevados de adrenalina, noradrenalina, cortisol, DHEA e insulina. Estado de maior excitação e atenção. No entanto os padrões de sono podem alterar e você pode sentir cansaço intermitente.

Segunda Fase:

Continuando a fase de ‘alarme’

Os níveis de DHEA e outros hormônios sexuais podem começar a cair. Isso ocorre porque os recursos necessários para produzir os hormônios sexuais estão sendo desviados para a produção de hormônios do estresse, como cortisol. Durante este estágio, você vai começar a sentir os efeitos do excesso de esforço das suas adrenais. Um sentimento comum é o de estar “inquieto, mas cansado”. Nesta fase, cuidado com o café.

Terceira Fase:

A fase de ‘Resistência’

Durante esta fase, o sistema endócrino continua a se concentrar na produção de hormônios do estresse, à custa de hormônios sexuais. Os níveis de DHEA e outros hormônios sexuais continuam a cair. Neste ponto, o indivíduo ainda é capaz de funcionar, ter um emprego e continuar uma vida bastante normal. Os sintomas incluem cansaço, falta de entusiasmo, infecções regulares e um menor impulso sexual. Esta fase pode continuar por vários meses ou mesmo anos.

Quarta Fase:

A fase de ‘Burnout’

Depois de algum tempo o corpo esgota as maneiras de fabricar os hormônios do estresse, e os níveis de cortisol, finalmente, começam a cair. Agora, os níveis de ambos os hormônios, sexuais e do estresse, estão baixos. Durante este estágio final de fadiga adrenal, o indivíduo pode sofrer de cansaço extremo, falta de desejo sexual, irritabilidade, depressão, ansiedade, perda de peso, apatia e desinteresse pelo mundo ao seu redor. A recuperação desta fase da fadiga adrenal requer um tempo significativo, paciência e muitas vezes mudança completa no estilo de vida.

Cafeína realmente dá energia?

cafe

O que acontece cada vez que você bebe uma xícara de café? Seu cérebro envia uma mensagem para a glândula hipófise, que libera um hormônio que diz às suas adrenais para produzirem adrenalina e o hormônio do estresse cortisol. Em outras palavras, você está provocando exatamente o mesmo tipo de resposta ao estresse que seu corpo usa quando você está em perigo físico iminente.

Se você só toma uma xícara de café ocasionalmente, suas glândulas adrenais serão capazes de reagir rápida e eficazmente a este tipo de estimulação. Mas se você estiver bebendo várias xícaras de café por dia, você começa a notar uma reação mais lenta e diminuída. Algumas pessoas podem dizer que sua “tolerância” tem aumentado, ou que seu corpo apenas processa melhor a cafeína, mas a verdade é um pouco diferente. Depois de longo prazo e repetidas doses de cafeína, suas glândulas adrenais são simplesmente enfraquecidas e menos capazes de responder adequadamente.

 Fadiga adrenal e Sistema Imunológico

Os hormônios produzidos pelas glândulas adrenais e particularmente o cortisol, desempenham um papel importante na regulação do seu sistema imunológico. Uma das muitas funções do cortisol é reduzir a inflamação. Se os seus níveis de cortisol forem muito baixos ou muito altos, isso pode levar à infecções regulares, inflamação crônica, doenças autoimunes ou alergias. A manutenção de um nível equilibrado de cortisol é uma parte importante do “se manter saudável”.

Os níveis de cortisol podem tornar-se desequilibrados durante as diferentes fases da fadiga adrenal. Na verdade, os níveis de cortisol dependerão em grande parte de que fase da doença você atingiu. Se você ainda está nos estágios iniciais, seus níveis de cortisol tendem a ser elevados, junto com adrenalina e noradrenalina. Se você está nos estágios mais avançados da fadiga adrenal, seus níveis de cortisol serão muito menores. Nenhum dos casos é benéfico para o seu sistema imunológico.

Cortisol elevado

Durante os primeiros estágios da fadiga adrenal, o eixo HPA está produzindo grande quantidade de hormônios do estresse. Isto significa que o nível de cortisol é elevado, o que suprime o sistema imunológico e reduz a inflamação. O sistema imunológico suprimido nos deixa vulneráveis ​​a doenças. E aqueles de nós que estão sob estresse de longo prazo tendem a sofrer desproporcionalmente com vírus de gripes e resfriados, além de infecções bacterianas.

Cortisol diminuído

Se o cortisol cai muito abaixo do nível ótimo, remove-se completamente a válvula de segurança que impede o sistema imunológico de reagir contra as ameaças. Durante os últimos estágios da fadiga adrenal, as glândulas adrenais tornam-se cansadas, esgotadas e incapazes de produzir os hormônios que seu corpo precisa. Os níveis de cortisol começam a cair rapidamente e o indivíduo passa rapidamente do “status” de ter muito cortisol para o de ter muito pouco mesmo.

Isto significa que a regulação do efeito anti-inflamatório pelo cortisol está ausente. Sem cortisol suficiente, não há nada para prevenir a inflamação grave, crônica. Com efeito, o sistema imunológico passa a funcionar fora de controle. Baixo nível sérico de cortisol leva ao aumento da produção de citocinas pró-inflamatórias, que levam a um excesso de ativação do sistema imunológico e processos inflamatórios.

De acordo com Dr. Thomas Guilliams, imunologista, “O resultado é a amplificação de inúmeras vias inflamatórias e aumento da susceptibilidade para o desenvolvimento de doenças inflamatórias, incluindo doenças autoimunes, transtornos do humor, atopia, malignidade, síndrome da fadiga crônica, síndrome de dor crônica, obesidade, desequilíbrio da glicemia e fibromialgia. “

Tratamento para fadiga adrenal

alimentos saudaveis

A fadiga adrenal pode ser tratada com reposição hormonal, mas a alimentação exerce papel fundamental para controlar os sintomas e garantir uma vida mais feliz e saudável:

- Restrinja o consumo de alimentos refinados como pão, arroz e massas brancas. Prefira as versões integrais

- Evite alimentos que contenham glúten, pois eles são potencialmente alergênicos (aveia, centeio, derivados de farinha de trigo). Laticínios também devem ser evitados.

- Café e bebidas estimulantes são desaconselhados, bem como açúcar

- Invista em alimentos ricos em ômega 3 (salmão, linhaça, chia); frutas e vegetais com alto teor de vitamina C (laranja, caju, acerola), fontes de zinco (semente de abóbora) e vitaminas do complexo B (cereais integrais)

- Cuidado com o jejum prolongado (mais de 3h) e privação de sono.

- Incorpore antioxidantes à dieta para combater os radicais livres. Estes alimentos trazem diversos benefícios ao organismo.

Para evitar que a fadiga adrenal retorne, além de controlar os níveis de estresse, você deve apostar em uma dieta balanceada.

Recursos úteis:

Fadiga adrenal, estresse e vida moderna

As pressões para se tentar encontrar um equilíbrio entre a vida e o trabalho podem ser esmagadoras. Se você está se sentindo cansado ou estressado, você pode estar sofrendo de fadiga adrenal.

AdrenalFatigue.org

O site do Dr. James Wilson, que publicou Fadiga Adrenal:. Síndrome de Estresse do século 21

Centro de fadiga adrenal do Dr. Lam

Dr. Michael Lam é um especialista fadiga adrenal e autor do livro . Síndrome de Fadiga Adrenal

O Método Kalish

O Método Kalish1 , projetado e ministrado pelo Dr. Daniel Kalish, integra testes científicos com soluções naturais de saúde para curar suas glândulas adrenais e restaurar sua função normal.

Testes para Fadiga Adrenal

Os testes de laboratório usados ​​para diagnosticar fadiga adrenal incluem testes de cortisol, testes de tireoide e testes de neurotransmissores.

 Sugestões de Dieta para Fadiga Adrenal

Melhorar a sua dieta é o primeiro passo para combater a fadiga adrenal. Aqui estão algumas sugestões de dieta e estilo de vida simples para você seguir.

Suplementos para Fadiga Adrenal

Tomar as vitaminas, os minerais, probióticos e suplementos herbais podem fazer uma enorme diferença no sucesso do tratamento da fadiga adrenal.

Reposição Hormonal

A reposição hormonal pode ser uma parte importante do tratamento para a fadiga adrenal, especialmente para aqueles em estágios mais avançados da doença.

Mente e Corpo

Respiração profunda e o tipo certo de exercício podem acelerar a sua recuperação. Certifique-se de que você não está se exercitando demais, pois isso irá enfraquecer suas glândulas adrenais.

Quanto tempo leva para se recuperar?

A recuperação da fadiga adrenal é certamente possível, mas pode levar algum tempo. Siga estas dicas simples para acelerar a sua recuperação e restauração dos  seus níveis hormonais.

Fontes:

http://www.bolsademulher.com/saude-mulher/fadiga-adrenal-causa-cansaco-perda-de-libido-e-aumento-de-peso/

http://adrenalfatiguesolution.com/adrenal-fatigue-a-controversial-diagnosis/

http://adrenalfatiguesolution.com/immune-system/

http://www.ortomoleculardrhigashi.med.br/not%C3%ADcias/55/fadiga-adrenal-um-problema-muito-frequente-no-mundo-moderno-mas-pouco-diagnosticado#.Us19V9JDuSo

http://www.sobiologia.com.br/conteudos/FisiologiaAnimal/hormonio5.php

83 Comentários em “Cansaço Crônico? Pode ser Fadiga Adrenal!”

magda occhi gonzaga

28 de janeiro de 2014 - 09:41

Bom dia
Li a reportagem e me identifiquei nesse processo de doença.
Moro no Paraná. Gostaria de saber se pode me indicar um profissional na região de Maringá, Umuarama ou Londrina pra que pudesse fazer uma avaliação.
Obrigada, Magda

Roberto Amaral

17 de abril de 2014 - 09:12

Desculpe a demora Magda! Dr Leonardo Higashi da Clínica Higashi em Londrina.

BENITO DE LUNA

31 de julho de 2014 - 13:48

Boa tarde, vi alguns videos na internet em especial o do Dr. Lair Ribeiro o mito do sal, que uma das causas principais desta “doença” a é falta de sal no organismo, mas NÃO sal refinado pois tem muito sódio, mas o sal puro, como o FLOR DE SAL ou SAL DO IMALAIA, que são ricos em minerais e etc, pelo o que eu andei pesquisando o sal é quem dá condutibilidade de energia no corpo, (não sou profissional de saúde nem tão pouco médico), essa é só minha opinião. espero ter ajudado

Luiz MS Botelho

23 de fevereiro de 2014 - 20:47

Parabenizo-o pela excelente matéria – porquanto suficiente e eficiente para bem nos informar, leigos que somos; e mais: ante ao rigor científico que apresenta, creio que também seja de grande proveito para os profissionais da “ars medica” .

deborah ruthes

31 de maio de 2014 - 10:49

estou a três meses em tratamento… é tão árduo que espero ter forças para ver o resultado.
Obrigada por seu artigo esclarecedor.

Yuri

06 de junho de 2014 - 23:31

Boa noite, a fadiga adrenalina pode desencadear-se por uma pielonefrite?

Roberto Amaral

16 de julho de 2014 - 11:50

Fadiga adrenal pode diminuir imunidade e aumentar a chance de infecções recorrentes

Larissa

19 de junho de 2014 - 00:06

Olá, adorei e me identifiquei muito com a reportagem.
Tem algum médico especializado em Brasília pra indicar?
Obrigada.

Roberto Amaral

27 de junho de 2014 - 10:55

Dr. Icaro Alves de Alcântara

Maria Romilda Rodrigues

01 de julho de 2014 - 14:20

Estava procurando mais informações sobre fadiga adrenal e encontrei esta matéria, a qual adorei, gostaria de pedir sua permissão para repassar estas informações no meu facebook. Obrigada.

Roberto Amaral

25 de julho de 2014 - 09:00

Olá Maria, pode compartilhar sim desde que conste as referências,

Mychelly Ferreira

06 de julho de 2014 - 17:53

Me identifiquei muito com a matéria. Teria como me indicar um médico em Palmas/TO.

Roberto Amaral

04 de agosto de 2014 - 10:59

Desconheço,desculpe.

joana pereira

09 de julho de 2014 - 17:05

Gostava de saber se conhece algum medico que trate a doença adrenal em Portugal

Roberto Amaral

16 de julho de 2014 - 11:46

Desculpe, não conheço!

Eduardo

15 de julho de 2014 - 05:36

Parabéns pelo excelente trabalho Dr. Roberto Franco do Amaral.

Tem algum médico especializado em fadiga adrenal em São Paulo para indicar?

Obrigado

Roberto Amaral

16 de julho de 2014 - 11:45

Entre em contato na área correspondente. Obrigado!

Mara

21 de julho de 2014 - 17:09

Dr., pode indicar algum médico em Belo Horizonte?

Roberto Amaral

22 de julho de 2014 - 08:57

Dr Rafael Timbó

Heloísa Fagundes

29 de julho de 2014 - 20:28

Dr. Roberto,o sr pode indicar algum médico na cidade de Jundiaí, interior de São Paulo. Obrigada. Atenciosamente.

Roberto Amaral

01 de agosto de 2014 - 16:02

Desculpe, não conheço ninguém em Jundiaí.

Josineide Cruz

01 de agosto de 2014 - 21:34

Boa Noite, Adorei esta materia…O Dr. pode me indicar um médico em Curitiba/PR…

Obrigada….

Roberto Amaral

04 de agosto de 2014 - 10:57

Dr. José Luiz Verde dos Santos. Muito obrigado!

Rosane Santos

03 de agosto de 2014 - 22:12

Parabéns pelo trabalho. Vc tem algum médico em Goiânia ou Brasília para indicar. Os médicos por aqui não peitam um fadiga adrenal….e os pacientes sofrem com isso.

Roberto Amaral

04 de agosto de 2014 - 10:56

Dr Ronaldo Bufaiçal ou Julian Yin. Muito obrigado!

silvana

17 de agosto de 2014 - 23:26

Obrigada pelas informações…preciso de uma indicaçâo de medico em Ribeirão Preto e Mogi das Cruzes.obrigada

Ana Cláudia

22 de agosto de 2014 - 15:31

Quando li esta matéria, parece que o senhor estava falando sobre meu estado. Tenho algumas dúvidas: o uso prolongado de anticoncepcionais orais pode desencadear o processo que termina com a fadiga adrenal? A depressão pode tanto ser causa como efeito desse processo? Agradeço a atenção.

Roberto Amaral

02 de setembro de 2014 - 21:31

Anticoncepcional diminui DHEA o que predispõe a depressão

Darlene

26 de agosto de 2014 - 11:45

Olá, o Sr. Poderia me informar um médico em Salvador. Gostaria de investigar se tenho esse problema. Obrigada

Roberto Amaral

11 de fevereiro de 2015 - 21:07

Olá, Dr Gabriel Almeida

Kassie

29 de agosto de 2014 - 11:13

Bom dia Dr. Roberto
Estou muito feliz que tenha achado esse infromativo sobre exaustão adrenal, pois estou sentindo todos os sintomas do quarto estágio do problema…
O senhor poderia me indicar algum profissional de saúde em Campinas – SP, ou só ir ao meu Endócrino ou Nutrólogo?
Obrigada pela ajuda e esclarecimentos!

Liza Nardez Bôa Vista

08 de setembro de 2014 - 11:35

Oi
Kassie
A Dra Marta Tornavoi acompanha muitos pacientes com esta patologia, ela é ortomolecular e homeopata.
Atenciosamente
Dra Liza

Rosiane

07 de setembro de 2014 - 07:20

Poderia me indicar um profissional em Fortaleza/Ce, que diagnostique e trate de Fadiga Adrenal?
Grata.

Roberto Amaral

24 de setembro de 2014 - 08:56

Procurar no site da Longevidade Saudável, se precisar entre em contato via tel.

Maria Assuncao S. P Pinto

03 de outubro de 2014 - 09:49

Atraves de uma entrevista com o dr. Lair Ribeiro, foi mencionado o problema de insonia, causada por “exaustao adrenal” e buscando o significado do termo encontrei as suas informacoes e explicacoes que para mim e um achado divino para buscar ajuda medica. Moro em NATAL – RN e gostaria de saber qual o medico que podera me ajudar.

Roberto Amaral

11 de fevereiro de 2015 - 20:52

Algum que trabalhe com modulação hormonal

margarete lemos

03 de outubro de 2014 - 19:50

Super interessante e esclarecedor o artigo. Tens como recomendar algum médico em Salvador/BA?
Obrigada desde já!

Roberto Amaral

11 de fevereiro de 2015 - 20:51

Dr Gabriel Almeida

dilma gomes ramos

06 de outubro de 2014 - 09:50

bom dia dr;roberto .podia me endicar um medico que trati da fadiga adrenal. o brigada.

Roberto Amaral

29 de outubro de 2014 - 11:09

Ola!Médicos ortomoleculares ou qu efazem modulação hormonal

Rita

09 de outubro de 2014 - 15:06

Olá! Eu sofro desses sintomas! Comecei a mudar a alimentação, o problema é que sou enfermeira e faço turnos da noite, como posso contornar esse problema?

Roberto Amaral

09 de fevereiro de 2015 - 10:20

Ola! Procure um médico que faça modulação hormonal

Andréa Nicolini

16 de outubro de 2014 - 09:09

Bom dia, Dr. Roberto.

No momento meu cortisol está em 0,70 ug. Em 2010 o resultado era 12 ug.
Estou com todos os sintomas relacionados a esse problema, principalmente muitas dores musculares.
Tenho uma vida saudável, sou adepta da dieta ovolactovegetariana, faço exercicios regulares.
Consigo tratar de maneira natural?
Obrigada e parabéns pelo blog.
Abraços,
Andréa Nicolini

Roberto Amaral

29 de outubro de 2014 - 11:08

Olá, pode conseguir sim mas é sempre mais trabalhoso e demorado, a supre renal pode elevar até 6 meses para voltar a produzir níveis bons de cortisol em caso de fadiga crônico, isso se eliminar os fatores estressante e aderir a métodos de relaxamento com frequência

CHRISTIANE

28 de outubro de 2014 - 12:20

Dr. Roberto, qual pode ser considerado um nível ótimo de cortisol no sangue ?

Júlio César

29 de outubro de 2014 - 13:51

Tenho sintomas de fraqueza, emagrecimento, prisão de ventre ( gases, e sensação de evacuação incompleta), tenho 1,81 altura, 76kg. Meu índice de cortisol deu 7.1, estradiol 44,3, testostenrona 673. Pelos resultados qual melhor tratamento?

Sou de Itumbiara Goiás.

Roberto Amaral

27 de janeiro de 2015 - 18:38

Não posso fazer uma consulta por aqui, desculpe

Branca Duarte

15 de novembro de 2014 - 01:48

Boa noite Dr. Roberto, o Senhor poderia me indicar um profissional na cidade de Taubaté. Obrigada.

Roberto Amaral

17 de novembro de 2014 - 09:46

Ola! Entre em contato com a Longevidade Saudável pelo site deles

Andre

18 de novembro de 2014 - 17:31

Muito bom artigo, me identifiquei muito com vários sintomas e gostaria de fazer um exame, conhece algum médico que possa me indicar ? Sou de Porto Alegre / RS

Grato

Roberto Amaral

26 de novembro de 2014 - 18:43

Dr Victor Sorrentino

Carolina

24 de novembro de 2014 - 13:37

Dr. Roberto, ótimo artigo! o senhor conhece algum médico em BH ou região que possa indicar? Obrigada!

Roberto Amaral

23 de dezembro de 2014 - 20:50

Dr Rafael Timbó

DAniela Cuccia

24 de novembro de 2014 - 13:48

Olá Dr. Roberto,
agradeço pela matéria tão informativa. Gostaria de saber se vc indica algum profissional em BH, que tenha uma visão mais aberta de cuidar do ser como um todo e que esteja dentro dessa linha de conhecimento das Fadiga ADrenal?
DEsde já agradeço imensamente.

Rosângela Raimundo

01 de dezembro de 2014 - 09:44

Bom dia Dr. Roberto. Nunca pensei que encontraria um artigo que me descrevesse tanto. Deu até vontade de ir até Campinas me consultar com o senhor, mas no momento não posso. Gostaria de saber se tem algum profissional para indicar em Niterói ou Rio de Janeiro. Muitíssimo obrigada.

Roberto Amaral

23 de dezembro de 2014 - 20:48

dr Rafael Higashi

Estela

07 de dezembro de 2014 - 22:42

Olá me identifiquei estou com cortisol elevado qual profissional vcs me indicam em santa Catarina se possível em blumenau. Obrigada

LUIZ CAZADO

12 de dezembro de 2014 - 22:31

Caro Dr. Roberto,
excelente sua explicação sobre fagida adrenal, especialmente no que concerne à resistência de alguns profissionais em saúde de enfrentar esse problema.
Gostaria de saber se a fadiga adrenal existente há muitos anos em uma pessoa pessoa pode desencadear dores nas articulações e músculos sem que isso signifique alguma patologia como artrite reumatóide? Obrigado.

Roberto Amaral

23 de dezembro de 2014 - 13:56

Obrigado. Um dos sintomas é a baixa tolerância a dor tendo em vista que o cortisol é um hormônio anti inflamatório

jonathan

26 de dezembro de 2014 - 12:39

bom dia , eu tomo corticoides 20 mg a 6 anos devido a dores no corpo foi o único que tirou as dores
mas de 4 meses pra cá sinto muita mas muita canseira fadiga estrema tentei parar de tomar corticoides mas quando fico sem o remédio os sintomas pioram parece ate que vou dormir e não acordar mais e ruim , não tenho mais convivência social não sai mais de casa não consigo mas trabalhar tudo que eu gostava de fazer não tenho o minimo interesse poderia minha códex ter parado de fabricar cortisol e eu estar dependente do corticoide farmacêutico pf me responda estou buscando ajuda de todos os lados para ter minha vida social de novo ( fiz tratamento para depressão tenho a certeza absoluta que não e depressão tenho planos de vida minha mente e positiva mas meu corpo não responde a essa positividade)

Roberto Amaral

29 de janeiro de 2015 - 10:56

Ol! Possivelmente seu eixo ACHT -adrenal está bem desregulado o que pode impactar na tireoide e testosterona.Procure um médico com endocrino ou que fasse modulação hormonal

Aline

02 de janeiro de 2015 - 14:05

Parabéns pela matéria!!! Alguém indicaria um médico em Campinas?

Roberto Amaral

06 de janeiro de 2015 - 17:53

Eu mesmo!

Abilio Teixeira

04 de janeiro de 2015 - 20:05

Muito interessante suas colocações.
Por gentileza, em Juiz de Fora – MG, teria um profissional com sua capacidade para indicar?
Grato por sua atenção.

Roberto Amaral

08 de janeiro de 2015 - 09:37

Procure ou ligue no site da Longevidade Saudável. Em BH tem o Dr Rafael Timbó e Dr Breno Faria

Beraniz

07 de janeiro de 2015 - 00:10

Dr. Tem 15 anos q estava procurando, o nome para todos este sintomas descrito fadiga adrenal,consultei com vários proficionais e nada não era nada, meus exames sempre com os níveis hormônios baixos , até quem disse q era hipotiroidismo q medicou com levoid 50mg, mias esses sintomas horrível sempre aparece, eu preciso de um proficional q mim ajuda , aqui em Goiânia

Roberto Amaral

07 de janeiro de 2015 - 11:13

Dr Julyan Yn ou Ronaldo Bufaiçãl

deizi

16 de janeiro de 2015 - 07:06

BOM DIA EU ESTOU TRATANDO DA MINHA FADIGA ADRENAL, COM UM ORTOMOLECULAR, DTR WILDE PRATA AGUIAR DE IPATINGA, ESTOU MT SATISFEITA OS REMEDIOS SOA TDS MANIPULADOS, A MHA H ISTORIA E LONGA , A BAIXO DE DEUS SE EU NAO TIVESSE ENCONTRADO ESTE MEDICO EU NAO TERIA MT TEMPO DE VIDA.

Eduarda

20 de janeiro de 2015 - 00:09

Olá, boa noite.
Moro em Curitiba e tenho todos os sintomas descritos acima. Estou me empurrando dia após dia. Depois de ler e assistir muitos vídeos sobre o assunto, comecei a procurar médicos….
Mas para aumentar ainda mais meu mal estar, deparei-me com a dura realidade. Inviável se tratar com esse tipo que parece ser maravilhoso de tratamento. Não encontrei nenhum médico que atenda pelo plano de saúde, que já é quase o valor de um salário mínimo, nem nenhum médico que atendesse com consulta próxima de um ” valor popular” tudo R$500,00 para cima. Pena que seja uma medicina para poucos. Se alguém ler meu comentário e conhecer algum médico que disponibilize esse tratamento de forma mais acessível, por gentileza indique. Algo que é bom e saudável deveria ser ofertado a todos… Temos sim um movimento forte da indústria da doença, ao qual o lobby farmacêutico domina, mas infelizmente a saúde e bem-estar também se tornaram moeda de comércio forte. É isso!

Salete

27 de janeiro de 2015 - 21:21

Gostaria de parabeniza-lo pelo site e em especial pela matéria.
Tenho um adenoma na adrenal, nível baixo de cortisol e vários dos sintomas descritos, acompanho com endocrinologista. Gostaria de saber se o adenoma pode causar a fadiga adrenal?
Agradeço a atenção.

Tania Mara

29 de janeiro de 2015 - 15:34

Dr Amaral
Como os demais me identifiquei com os sintomas, estou desde o final de novembro tratatando com uma nutróloga o hipotireodismo, porém as baixas taxas de cortisol aliados a todos os sintomas por vc descrito, levam-me a crer que posso estar com esta fadiga adrenal.Sou de Jaraguá do Sul – SC, próximo a Blumenau e Joinville. Tens algum médico para me indicar aqui nas proximidades que trate especificamente este problema?

Roberto Amaral

09 de fevereiro de 2015 - 09:03

Em BC em o Dr Luis Antonio Rigatti

Diego

02 de fevereiro de 2015 - 09:58

Excelente artigo, me identifiquei muito com vários sintomas. O senhor conhece algum profissional na região de Florianópolis que possa ser consultado a este respeito. Muito obrigado.

Roberto Amaral

09 de fevereiro de 2015 - 08:58

Em Balneário tem o Dr Luis Antonio Rigatti

Laís Dias

03 de fevereiro de 2015 - 08:54

Alguém sabe algum médico de SC?

Jullyana

04 de fevereiro de 2015 - 23:31

Dr. Roberto, ótima matéria. Parabéns!
O Sr. Saberia informar algum médico que atue em Recife/PE?

Roberto Amaral

05 de fevereiro de 2015 - 16:05

Muito obrigado”! DR Eduardo Magalhães e Dr Jaques Waismann

Viviane

09 de fevereiro de 2015 - 15:00

Dr gostaria de saber que medico que trata essa doença seria o endocrinologista ? pois meu esposo está com esses sintomas , e para diagnosticar o problema é pela exame dosagem hormonal salivar ?
tem alguma medico em SP para indicar ?
obrigado !!

Roberto Amaral

11 de fevereiro de 2015 - 10:23

A endocrinologia não reconhece como doença a fadiga adrenal. Procure um médico de confiança que faça modulação hormonal

Karine Sampaio

12 de fevereiro de 2015 - 12:07

Bom dia!
Me identifiquei com os sintomas da doença, acredito estar no grau 4, entretanto não no que se refere a infeções e à alergias, tenho 36 anos e acredito precisar de reposição hormonal, sou de Feira de Santana na Bahia e também gostaria de uma indicação de um profissional na minha cidade para que eu possa começar um tratamento para essa doença tão complicada.

Muito obrigada.

Roberto Amaral

20 de fevereiro de 2015 - 11:50

Olá! Dr Gabriel Almeida atende em Salvador

ENNY

23 de fevereiro de 2015 - 04:16

Excelente artigo. Parabéns Dr. Roberto! Comecei a desenvolver esse quadro de Fadiga Adrenal em 2002 e, infelizmente devido a falta de um diagnóstico correto, fiquei 10 anos combatendo sintomas com ansiolítocs e antidepressivos. Cheguei ao esgotamento total com “burn out” em dez/12. Ainda fiquei mais dois anos com psicotrópicos até que encontrei Dra Adriana Rohr médica ortomolecular aqui no RJ que fez o diagnóstico certo. Estou me tratando a pouco mais de um mês e já sinto melhoras.

Roberto Amaral

26 de fevereiro de 2015 - 09:43

EXCELENTE!!!

Comentar