(Last Updated On: 30/08/2017)

1. A dieta de baixo teor de gordura e alto teor de carboidratos é a dieta  humana ideal

Nas décadas de 60 e 70, muitos cientistas proeminentes acreditavam que a gordura saturada era a principal causa de doenças cardíacas, elevando o colesterol “ruim” no sangue.

Esta idéia era a pedra angular da dieta de baixa gordura. Por causa de alguns estudos mal elaborados e decisões políticas equivocadas, esta dieta foi recomendada para todos os americanos no ano de 1977 (1).

No entanto, não havia um único estudo sobre esta dieta na época. O público americano se tornou participantes do maior experimento não controlado na história.

Esta experiência não se apresentou muito bem e ainda estamos sofrendo as consequências. Este gráfico mostra como a epidemia de obesidade começou quase no mesmo exato momento que as diretrizes de baixo teor de gordura foram publicadas (2):

2

A epidemia de diabetes seguiu logo depois. Claro, um gráfico como isso não prova nada. Correlação não é igual a causalidade.

Mas parece plausível que as recomendações de baixo teor de gordura pioraram as coisas, porque as pessoas começaram a comer menos alimentos saudáveis, como carne, manteiga e ovos, ao comer mais alimentos processados ricos em açúcar e carboidratos refinados.

Mesmo que houvesse pouca evidência na época, a dieta com baixo teor de gordura tem realmente sido exaustivamente estudada nos últimos anos e décadas. Foi posta à prova no maior estudo controlado da história da nutrição, a Iniciativa de Saúde da Mulher .

Neste estudo, 48.835 mulheres pós-menopáusicas foram divididas em dois grupos. Um grupo recebeu uma dieta de baixo teor de gordura (com grãos integrais e tudo mais), enquanto o outro grupo continuou a comer “normalmente”.

Depois de um período de 7,5-8 anos, o grupo de baixo teor de gordura pesava apenas 0,4 kg a menos do que o grupo de controle e não houve diferença na taxa de doença cardíaca ou câncer entre os grupos (3, 4, 5, 6).

Outros grandes estudos também não encontraram vantagens para a dieta de baixo teor de gordura (7, 8, 9). Mas não termina aí, infelizmente … a dieta de baixo teor de gordura recomendada pela maioria das organizações de nutrição não é apenas ineficaz, pode até ser absolutamente prejudicial .

Em múltiplos estudos com seres humanos, a dieta de baixo teor de gordura na verdade fez alguns importantes fatores de risco piorarem, elevação dos triglicérides, diminuição do HDL (o bom colesterol) e fazendo as partículas de LDL menores (10, 11, 12, 13).

Apesar dos resultados ruins nos estudos, muitos nutricionistas de todo o mundo continuam a recomendar a dieta de baixo teor de gordura que está prejudicando as pessoas mais do que ajudando.

Conclusão: Não há evidências de que dietas de baixa gordura tragam quaisquer benefícios. Eles não causam a perda de peso a longo prazo ou reduzem o risco de doenças crônicas. Alguns estudos mostram que eles podem até causar danos.

2. Alimentos ricos em colesterol (como os ovos) são ruins para você

3

Alguns profissionais demonizaram por muito tempo alimentos perfeitamente saudáveis. Provavelmente o pior exemplo sejam os ovos, que estão entre os alimentos mais saudáveis do planeta..

No entanto, os estudos mostram que, na verdade, o colesterol da dieta não aumenta o mau colesterol no sangue. Ovos elevam o HDL (o colesterol bom) e não estão associados com um risco aumentado de doença do coração (14, 15, 16, 17, 18).

O que deixamos é que é um alimento incrivelmente saudável … carregado com vitaminas, minerais e nutrientes poderosos que são importantes para os olhos e o cérebro (19, 20, 21).

Tenha em mente que quase todos os nutrientes são encontrados na gema… o branco não é nada além de proteínas . Dizer às pessoas para abandonarem as gemas pode ser apenas o pior aconselhamento nutricional da história.

Conclusão: Os ovos foram demonizados por causa da alta quantidade de colesterol, mas novos estudos mostram que eles não aumentam o colesterol no sangue ou contribuem para doenças cardíacas. Os ovos estão entre os alimentos mais nutritivos do planeta.

3. Seus níveis de colesterol total e LDL são bons indicadores de risco de ataque cardíaco

Provavelmente o maior erro da medicina moderna é se focar muito no colesterol total e LDL como indicadores de risco de ataque cardíaco. Bem… é verdade que os níveis elevados de ambos estão associados com risco aumentado (22).

Mas o quadro todo é muito mais complicado do que isso.

O colesterol total, na verdade, inclui um monte de coisas… incluindo o HDL, também conhecido como o “bom” colesterol. Ter alto HDL realmente eleva o seu colesterol total.

O LDL colesterol não é apenas LDL… existem subtipos. Temos as pequenas partículas de LDL densas (muito ruins) e também, temos a grande LDL, macia (boa). As pequenas partículas estão associadas com a doença cardíaca, enquanto as grandes são na maioria benignas (23, 24, 25, 26, 27).

Estudos mostram que realmente o colesterol total e LDL são pobres indicadores de risco de doença cardíaca, em comparação com outros marcadores, tais como a relação triglicerídeos: HDL (28, 29), lipoproteína A, apolipoproteína A1, apoliproteína B , homocistéina, proteína C Reativa Ultra Sensível e fibrinogênio. Um estudo constatou que, dos 231.986 pacientes hospitalizados por doenças do coração, a metade deles realmente tinha níveis de LDL normais! (30)

Há também estudos que mostram que o colesterol alto pode ser protetor. Em indivíduos idosos, quanto maior o colesterol, menor o risco de doença cardíaca. (31, 32) Sem falar que os níveis de colesterol muito baixos estão realmente associados com aumento do risco de morte… por outras causas, como o câncer e suicídio (33, 34).

Apesar do valor preditivo fraco de colesterol total e LDL, as pessoas com números elevados são frequentemente instruídas a reduzir o colesterol, por qualquer meio necessário… incluindo uma dieta com baixo teor de gordura (que não funciona) e estatinas.

Conclusão: os níveis de colesterol total e LDL são realmente marcadores de risco de doença cardíaca muito pobres. Muitas pessoas estão sendo medicadas desnecessariamente porque os médicos tendem a concentrar-se nesses números.

4. Óleos processados de sementes e vegetais são saudáveis

Por alguma razão estranha, óleos processados de sementes e vegetais tornaram-se reconhecidos como alimentos saudáveis.

Os seres humanos só começaram a consumi-los cerca de 100 anos atrás, porque nós não tínhamos a tecnologia para processá-los até então. No entanto, de alguma forma, os gênios nutrição perceberam que estes, de alguma forma podem ser muito saudáveis para os seres humanos e, certamente, melhores do que as “perigosas” gorduras saturadas.

Estes óleos, que incluem os óleos de soja, milho e algodão, são muito ricos em Ômega-6 ácidos graxos poliinsaturados, que são prejudiciais em excesso e podem contribuir para a inflamação (35, 36, 37). Apesar destes óleos serem recomendados para reduzir doenças do coração, na verdade existem vários estudos que mostram que eles aumentam o risco (38, 39,40, 41). Em um estudo que examinou os óleos de cozinha mais comuns nos mercados dos EUA, foi descoberto que 0,56% a 4,2% dos ácidos graxos eram gorduras trans, altamente tóxicas (42)!

No entanto, estes óleos são realmente recomendados pelas organizações que são supostamente encarregadas de proteger a nossa saúde. Este é um exemplo de que seguir cegamente a sabedoria nutricional convencional pode causar a você uma morte prematura.

Conclusão: Óleos processados de sementes e vegetais são muito insalubres, carregados com ácidos graxos Ômega-6 e gorduras trans, que podem contribuir para a doença cardíaca.

5. Gordura saturada aumenta o colesterol ruim e causa doenças cardíacas

A “guerra contra a gordura saturada” tem sido um fracasso. Ela foi inicialmente baseada em estudos falhos, mas de alguma forma se tornou política pública (com consequências desastrosas).

A pior parte é que… os governos e as organizações de saúde ainda têm que mudar sua posição, apesar de provas contundentes de que eles estavam errados o tempo todo. Na verdade, a gordura saturada não eleva muito o LDL. O efeito é fraco e inconsistente e parece depender do indivíduo (43, 44, 45). Quando a gordura saturada afeta o LDL, ele muda as partículas pequenas e densas (muito, muito ruim) em grandes partículas de LDL menos densas, que são principalmente benignas (46, 47, 48).

As gorduras saturadas também aumentam o HDL, o que está associado com um risco reduzido de doença do coração (49, 50). As gorduras saturadas realmente melhoram o perfil lipídico, não o contrário. Nos últimos anos, muitos estudos sólidos examinaram a ligação entre gordura saturada e risco de doença cardíaca.

Um destes estudos incluiu 347.747 participantes e analisou dados de outros 21 estudos. A conclusão: não há nenhuma evidência de que a gordura saturada aumenta o risco de doenças cardíacas (51). Muitos outros estudos confirmam esses achados. A gordura saturada é inofensiva (52, 53).

A verdade é … nunca foi e nunca será provado que a gordura saturada causa doença cardíaca, porque simplesmente não é verdade.

Conclusão: Apesar de décadas de propaganda anti-gordura, nunca foi comprovado que a gordura saturada causa doença cardíaca. Na verdade, a gordura saturada melhora alguns dos fatores de risco mais importantes para doenças cardíacas.

6. Gorduras saturadas e gorduras trans são semelhantes

As gorduras trans são gorduras insaturadas que foram modificadas quimicamente para serem mais sólidas e terem uma vida útil mais longa. Elas também são conhecidos como gorduras parcialmente hidrogenadas. O processo de fabricação envolve alta pressão, alta temperatura, um catalisador de metal e gás hidrogênio.

O fato de que alguém tenha pensado que estas gorduras seriam adequadas para o consumo humano é desconcertante. Algumas das principais organizações de saúde já começaram a confundir as pessoas, agrupando as gorduras trans, juntamente com gorduras saturadas, chamando-as “gorduras ruins”(54). No entanto… como eu esbocei acima, a gordura saturada é completamente inofensiva, mas o mesmo não pode ser dito para as gorduras trans.

As gorduras trans são altamente tóxicas e podem causar resistência à insulina, inflamação e aumentar significativamente o risco de doenças graves, como doença cardíaca (55, 56, 57, 58).

Apesar do consumo de gorduras trans ter diminuído, ainda são encontradas em alimentos processados e a FDA estuda a possibilidade de eliminar este tipo de gordura dos alimentos industrialiazados

Se você quiser evitar a doença crônica… então coma a sua manteiga, carne e óleo de coco , mas evite as gorduras trans como se sua vida dependesse disso (ela depende).

Conclusão: A gordura trans assemelha-se à gordura saturada na consistência e prazo de validade, mas a composição química é muito diferente. Enquanto as gorduras saturadas são inofensivas, as gorduras trans são tóxicas e devem ser evitadas.

7. Comer gordura engorda e dietas com alto teor de gordura são perigosas

A gordura é o material que se aloja sob a nossa pele e nos faz parecer macios e inchados. Portanto, comer mais gordura deve fazer-nos armazená-la mais. Você é o que você come, certo? Bem, na verdade não é assim tão simples.

Mesmo que a gordura tenha mais calorias por grama, em comparação com proteínas e carboidratos, alimentos que são naturalmente ricos em gordura são muito gratificantes e difíceis de comer. Na verdade, os estudos sobre as dietas que são ricas em gordura (e pobre em carboidratos) mostram que essas dietas causam maior perda de peso do que as dietas que são pobres em gordura (59, 60, 61).

Dietas pobres em carboidratos e ricas em gordura também levam a todos os tipos de outros benefícios… aumento do HDL, redução dos triglicerídeos, glicemia e dos níveis de insulina, maior perda de gordura abdominal e melhoria do tamanho das partículas de LDL (62, 63, 63, 65).

Apesar disso, muitos profissionais ainda chamam as dietas pobres em carboidratos de prejudiciais, para em seguida, continuarem a recomendar a falha dieta de baixo teor de gordura que tem sido comprovada, volta e meia, ser completamente ineficaz, a não ser que use medicamentos para ansiedade e apetite.

Conclusão: Apesar da gordura ter mais calorias por grama do que carboidratos ou proteínas, estudos mostram que dietas com alto teor de gordura (e baixo carboidrato) podem realmente levar a uma maior perda de peso do que dietas com baixo teor de gordura.

8. Margarina processada é melhor do que manteiga natural

Por causa da guerra contra a gordura saturada, a manteiga tornou-se conhecida como um alimento não saudável. Os fabricantes de alimentos entraram na onda e começaram a produzir manteiga replicada como margarina.

A maioria das margarinas contêm grandes quantidades de óleos vegetais processados, muitas vezes com gorduras trans adicionadas à mistura.

É difícil imaginar como as pessoas poderiam pensar que a margarina fabricada e processada ser mais saudável do que a manteiga, que é completamente natural e os seres humanos têm comido por um longo tempo.

Os estudos também NÃO suportam a ideia de que a margarina seja mais saudável do que a manteiga. No Framingham Heart Study, a margarina foi associada com um risco aumentado de doença cardíaca em comparação com manteiga (66):

Muitos outros estudos têm olhado para os produtos lácteos ricos em gordura e não encontraram nenhuma evidência de que eles contribuem para qualquer doença… na verdade, laticínios de alto teor de gordura estão associados a um menor risco de obesidade (67, 68).

Apesar de todo o receio nutricional, laticínios alto teor de gordura, como manteiga são extremamente saudáveis, especialmente se eles forem derivados de vacas alimentadas com capim.

Conclusão: Margarina é um alimento insalubre produzido em fábricas, geralmente contendo gorduras trans e óleos vegetais processados. A manteiga é uma escolha muito mais saudável, especialmente se se tratar de vacas alimentados com capim.

9. Alimentos processados com baixo teor de gordura são opções saudáveis

Devido à orientação de baixo teor de gordura, os fabricantes de alimentos retiraram a gordura de alguns dos seus alimentos. Mas havia um grande problema… alimentos naturais têm gosto terrível, sem a gordura.

Os fabricantes de alimentos perceberam isso e acrescentaram um monte de açúcar para compensar a gordura ausente. Por esta razão, a maioria dos alimentos com “baixo teor de gordura” são, na verdade, carregados com açúcar, o que é realmente prejudicial à saúde. (69, 70, 71).

Se um alimento tem “baixo teor de gordura” ou “diet” no rótulo, então provavelmente você vai encontrar o açúcar, xarope de milho e vários produtos químicos artificiais na lista de ingredientes. No entanto, as vendas desses alimentos dispararam porque muitos profissionais de nutrição ainda aconselham as pessoas a comê-los… mesmo que as alternativas “de gordura normais” sejam muito mais saudáveis!

Fonte:

Tradução: Top 9 Biggest Lies About Dietary Fat and Cholesterol. Authority Nutrition. An evidence-based approach.

http://authoritynutrition.com/top-9-biggest-lies-about-dietary-fat-and-cholesterol/

 

Dr. Roberto no Instagram

Visualize as dicas e informações para uma vida mais saudável direto no Instagram


Acessar

Dr. Roberto no Facebook

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto
Dr. Roberto Franco do Amaral Neto
Médico CRM: 111370

50 Comentários

  1. Sirlei Teresinha Vargas Fonseca disse:

    Como fomos enganados a quanto tempo UFA.

    Gastei tempo e dinheiro e saúde acreditando nas coisas completamente erradas

  2. gleber eduardo machareth disse:

    Sou médico completamente decepcionado pela formação tradicional que recebi na faculdade, e conseguindo enxergar de forma verdadeira o que é a medicina de verdade, graças a pessoas como vocês! Não foi difícil o entendimento claro a respeito de como colegas médicos viveram anos na escuridão da ignorância e enganados pelas situações impostas pelo “progresso”!!

  3. Fabio disse:

    Otimo trabalho Dr.
    Venho acompanhando outros médicos que estão abrindo os olhos da humanidade.
    Fico decepcionado de como somos enganados, e não é só na alimentação não.
    Mas ainda bem que a internet está ai e só é ignorante quem quer.
    Parabéns!

  4. Débora disse:

    Dr. Tenho lupus e recentemente retirei um carcinoma baso celular no meu rosto. Acho que isso ocorreu devido a má alimentação que eu tinha. Agora estou mais vigilante com relação ao alimento. Obrigada por suas orientações. Continue abrindo os olhos da população.

  5. Excelente postagem Dr.Roberto, meus parabéns!

    Acompanho seu trabalho desde o ano passado, quando assisti uma palestra sua num congresso online de emagrecimento saudável, a partir de então suas orientações deram uma guinada em muitos conceitos que tinha recebido durante anos. Acho muito interessante a forma direta que o senhor consegue “destruir” mitos e “verdades aparentes” com argumentos que parecem penetrar nossa mente e nos fazer sentir nojo de alguns alimentos como pão industrializado por exemplo.

    Obrigado por disponibilizar em tantos meios informações preciosas como essas, que Deus continue lhe dando forças e sabedoria para prosseguir. Grande abraço!

    • Muito obrigado pelas palavras caro amigo, continue aproveitando e repassando tais informações pq a sociedade está refém da industria farmacêutica que manipula o conhecimento médico. Grande abraço

  6. Eu que agradeço Dr.Roberto, excelente post mesmo!

    Aproveitando, como se dá o processo de aumento de do colesterol através do consumo de carboidratos (principalmente os farináceos), levando em conta que 70% do nosso colesterol é produzido pelo próprio organismo. Também observando as informações citadas que destituem a relação do aumento do colesterol pelo consumo de alimentos ricos em gordura. Por que o carboidrato faz aumentar o colesterol, seria devido os processos inflamatórios causados?

    Desculpe, mas não consigo ainda relacionar as informações que tenho lido e no momento de explicar para alguém, sempre vem aquela citação básica: ” ah, mas por que o meu endócrino me deu uma dieta pobre em gorduras, não comia a gema e meu colesterol baixou”

    Grato.

  7. João Paulo S Puche disse:

    Dr. meu colesterol total está sempre em torno de 250 a 270, nunca vi passar disso, o HDL sempre 39, não consigo aumentar, vou no cardiologista e ele me receita o Liptor, faço um tratamento de 90 dias e o LDL abaixa e aparentemente volta a ficar nos 170 colesterol total, passa um tempo sobe de novo, me disseram um dia que a manteiga e ovo aumentavam os níveis de colesterol ruim, hoje sou um grande consumidor de margarina e carboidrato e meu colesterol ruim continua subindo. Um dia eu pensei, será que meu colesterol não tem que ficar nos 250, hoje estou com 60 anos. Quanto ao carboidrato o professor da minha filha na faculdade disse que o maior causador do colesterol alto é o grande consumo de carboidrato, vai entender. Li seus comentários e passei apreciá-los. Parabéns Dr.

    • A ingestão de colesterol na dieta não impacta nos níveis de colesterol , pelo jeito , vc tem um nível alto e isso não terá como mudar. A questão é: será que esse colesterol um pouco acima da média irá te matar ? Muitos estudos dizem que não.

  8. Silvia disse:

    Tenho colesterol alto, minha mãe tinha e os meus 3 irmãos tem pode ser hereditario, o medico disse que devo tomar remedio para sempre, isso esta certo.

  9. Reinaldo Coelho disse:

    Doutor, adorei a postagem. Por favor uma dúvida.. Tenho 32 anos, Fiz a pouco exames que mostraram meu colesterol total 268, LDL 180, VLDL 41 e,naturalmente, HDL 47, devo me preocupar extremamente com esses números? Uma outra dúvida, meu trigliceres está em 205, algo preocupante também? Ficarei imensamente grato com seu auxílio, fico no aguardo. Obs: adoro ovo rsrs..obrigado

    • Existem outros exames que devem ser valorizados em conjunto como PCR US,fibrinogênio, homocisteina, ferritina, apoliproteina A1,B, lipoproteina A , circunferencia abdominal, insulina e glicemia de jejum

  10. TANIA disse:

    Dr Roberto,

    Esses resultados são preocupantes? Pois me identifiquei muito com os seu comentário.
    Não sou sedentária, adota um estilo de vida sem industrializados e nem pacotinhos, comendo comida de verdade e pratico atividade física diariamente.
    Tenho 53 anos.

    COLESTEROL TOTAL = 297 mg/dl
    COLESTEROL HDL = 73 mg/dl
    COLESTEROL LDL = 208,6 mg/dl
    COLESTEROL VLDL = 15,4 mg/dl
    TRIGLICERIDEOS = 77 md/dl
    LIPROPROTEINA -A = 10,6 mg/dl
    HOMOCISTEINA = 6,11 micromol/L
    APOLIPOPROTEINA A-1 = 192 mg/dl
    APOLIPOPROTEINA B = 130 mg/dl
    PROTEINA C REATIVA QUANTITATIVA ULTRA SENSIVEL = 0,84 mg/L
    FIBRINOGENIO = 4,1 g/L
    BNP – PEPTIDEO NATRIURETICO = 13,10 pg/mL

  11. Lucinea disse:

    Dr. Recentemente fiz uma dieta livre de gordura e meu LDL aumentou ao invéns de diminuir e o HDL diminuiu, sendo que pratico exercício físico 3 vezes por semana. O que pode ter acontecido de errado?

  12. lucas disse:

    Dr. A aproximadamente 4 meses, venho tendo umas sensaçoes muito estranhas…
    Tenho 21 anos de idade pratico esporte todos os dias, sou magro( 64.00 klg).
    Fiz um exame de sangue e meu colesterol estava em 434 nao entendo muito sobre esse assunto
    Tomo 1 comp de sinvastatina por dia.

    To meio perdido porque agoranao sei como me alimentar e nao quero me afogar nesse mar de mentiras!!
    Oque faço ??
    Devo me preocupar com meu novel de coledterol ???

  13. Laura disse:

    Doutor, tenho 15 anos e meu colesterol total deu 201, o LDL 121 e ambos estão altos, porém eu pratico esportes toda semana e tenho uma alimentação saudável, aparentemente não tem ninguém na família com colesterol alto cronico (hipercolesterolemia familiar), então não sei qual seria uma possível causa, se você puder me ajudar eu agradeço.

  14. Rebecca disse:

    Olá Dr. Roberto, eu estava com uma vida sedentária e me alimentando muito mal, massas, doces, industrializados, refrigerantes etc, nada de saladas… Meu colesterol estava de limítrofe a alto, o colesterol bom estava baixo e trigicerideos limítrofe. Comecei a fazer atividade física intensa e mudei a alimentação, passei a me alimentar como nunca: muito verde, legumes, frutas, cortei o refrigerante, arroz e pão; diminuí muito os industrializados, doces só das frutas. Comendo normalmente carnes vermelhas ou brancas e ovos quase todos os dias. Um mês e meio depois emagreci 4 kg. Fiz novo exame e supresa: colesterol passou de limítrofe para MUITO alto; triglicerídeos ficou ótimo e colesterol bom entrou pro desejável. Mas não entendi nada do colesterol ruim, porque foi pro muito alto. Teria alguma explicação Dr? Obrigada!

  15. Carlos José Augusto da Silva disse:

    Parabéns doutor, adoto estilo de vida sem farinhas brancas sem óleos vegetais, salvo azeite de oliva extra virgem, consumo cruciferas diariamente, frutas etc
    Sou auto didata na área de alimentação, já pesquisei mais de 90 médicos nutrologos ao redor do planeta, sou empresário e com quase 70 anos, neste início de
    Ano 2017, irei começar uma faculdade de nutrição com o intuito de ajudar as pessoas e proteje-lãs da máfia planetária, lamentavelmente os maiores bandidos
    São os de gravata e paletó, o dinheiro está acima do bem estar coletivo, sou capitalista mas não aceito o capitalismo selvagem.
    Indústria do alimento, farmacêutica e médicos robotizados estão promovendo o caos no planeta. Avanços tecnológicos não substituem a moral universal

  16. Rosana de jesus disse:

    Ola dr ,sou diabética adotei a dieta cetogênica à 30 dias a glicemia que era de 280 a350 mesmo medicada caiu pra no maximo 120 ,as vezes nem tomo os remédios pois já foram trocado tantas vezes e só aumentando as doses.quero agradecer pois aqui foi muito esclarecedor pra mim .Deus te abençoe pela sua parte humana ,vais colher em bênção pra sua vida ..

  17. Geraldo Júnior disse:

    Dr. Roberto, diante de todos esses desencontros referentes aos valores do colesterol, qual seriam os valores ideais para uma vida saudável ?

  18. Paloma disse:

    Olá Dr. Roberto, estou fazendo uma dieta para perda de gordura com mais proteína. vegetais, integrais e meus exames de colesterol aumentaram muito de 140 para 325 é normal devido a gordura perdida ir para corrente sanguínea?

  19. Edilia disse:

    Sou estudante de nutrição, estou muito feliz com essa publicação. Amei!

  20. manuela souza disse:

    muito bom, exelente texto e ótima explicação. Você é demais Dr!

  21. manuela souza disse:

    muito bom, exelente texto e ótima explicação. Você é demais Dr!

  22. Daniela disse:

    Perfeito Dr

  23. Adriano disse:

    Dr iniciei a LCHF em 2 Fev 17.
    Fiz um exame dia 20 Mar 17 meu HDL caiu de 63 para 54
    e o triglicerideos subiu de 69 para 71.

    Embora tenha apenas 2 meses de LCHF. Seria normal?

  24. Adriano disse:

    Muito obrigado Dr. Sucesso!

  25. Takao Nakamoto disse:

    Olá Dr. achei muito interessante a sua postagem. Já tinha ouvido sobre isso. Mas isso nos trouxe muita dúvida e preocupação, pois minha filha( 2 anos foi diagnosticada com síndrome nefrótica. E já temos duas semanas medicando com 30mg de prednisona, 2,5mg de maleato de enalapril e 1,5ml de revitam cálcio. No entanto a Nefro-pediatra passou uma dieta de zero sal e zero gordura. Pois o fígado pra compensar a perda de albumina, produz albumina e junto o colesterol. Já que a gordura saturada não aumenta o colesterol porque então a dieta de zero gordura?

  26. Pedro disse:

    “Os seres humanos só começaram a consumi-los cerca de 100 anos atrás” Sério??? Quer dizer que é tudo mentira quando dizem que há milhares de anos se usam os óleos, como de oliva por exemplo, na alimentaçaõ?? Pois é, vivendo e aprendendo!!

  27. pedro cesar disse:

    Parabéns Dr. Roberto , realmente as explicações fazem muito sentido. Precisamos de homens como o senhor, que saiam da caixa de um sistema contaminado por interesses de grandes corporações.

  28. Salvador Ramos disse:

    Artigo esclarecedor. Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *