(Last Updated On: 16/01/2019)

De acordo com pesquisas científicas atuais, o nosso estilo de vida pode prejudicar a curto ou em longo prazo as células cerebrais, e sendo assim, suas funções, levando ao desenvolvimento de doenças degenerativas e muitas outras afecções. Mas, se realizarmos atividades positivas como uma alimentação balanceada e atividade física, nosso cérebro se ativa e se torna mais saudável.

Então, vejamos quais são os 9 hábitos  prejudiciais ao cérebro

1. Fumar

Segundo estudo realizado por Karama e colaboradores da Universidade McGill, em Montreal no Canadá, o tabagismo está associado com o declínio cognitivo e demência, mas a extensão da associação entre o tabagismo e as mudanças estruturais do cérebro ainda não está clara. É importante ressaltar que não se sabe se as alterações cerebrais relacionadas com o tabagismo são reversíveis após a cessação do tabagismo. O estudo analisou dados de 504 indivíduos fumantes com idade de 73 anos, de ressonância magnética estrutural a partir da qual foram extraídas as medidas de espessura cortical.

Como o córtex afina com o envelhecimento normal, os dados sugerem que fumar está associado a um difuso e acelerado afinamento cortical, um biomarcador de declínio cognitivo em adultos. Fumar pode levar à doença de Alzheimer porque provoca a retração do córtex cerebral. Além disto, substâncias liberadas durante a combustão de um cigarro interferem na correta replicação do DNA dando lugar a mutações que provocam a formação de células cancerígenas.

2. Privação do sono

Nossos cérebros descansam durante o sono. Então, sono irregular e privação de sono a longo prazo só irão acelerar a morte de células cerebrais. Em estudo realizado por pesquisadores do Departamento de Fisiologia Integrativa da Universidade do Colorado, foi demonstrado que a privação total de sono alteram os níveis de cortisol e que o desalinhamento circadiano crônico aumenta as concentrações plasmáticas de proteínas pró inflamatórias.

Outro estudo, realizado por pesquisadores de Amsterdã mostrou que privação total de sono (PTS) pode provocar fadiga, diminuição cognitiva e alterações de humor, que são parcialmente compensados por sistemas cerebrais de estresse regular, resultando em níveis de dopamina e cortisol alterados, a fim de ficar acordado, se necessário. PTS induz mudanças cognitivas, neurofisiológicas e endócrinas generalizadas em adultos saudáveis, caracterizadas pela diminuição da função cognitiva, apesar do aumento da atividade cerebral regional.

3. Não meditar

De acordo com um grupo de pesquisadores do St. Olavs Hospital em Trondheim, na Noruega, a meditação é muito mais do que uma técnica de relaxamento para reduzir o estresse e ansiedade. A meditação é um poderoso estimulante para a inteligência e saúde mental. Usando um scanner de ressonância magnética e um grupo de voluntários, os pesquisadores foram capazes de descobrir que parte do cérebro responsável pelo processamento de pensamentos e sentimentos auto-relacionados, é muito mais ativo durante a meditação, do que quando estamos apenas descansando. Ou seja, o nosso cérebro processa mais pensamentos e sentimentos durante a meditação, do que em situações que estamos relaxados. Assim, a meditação é altamente recomendada para todos os tipos de pessoas.

4. Comer em excesso

Excessos alimentares principalmente  contendo alimentos inflamatórios como açúcares, farináceos, gorduras vegetais hidrogenadas, causam um processo inflamatório crônico o qual atua  diretamente sobre as células cerebrais aumentando a chance de demências como Alzheimer e  transtornos psiquiátricos como depressão e ansiedade.

5. Consumo elevado de açúcar

Muito açúcar pode interferir com o desenvolvimento do cérebro principalmente por conta do excesso de insulina gerada por este (anti) nutriente.Picos de insulina e GLICAÇÃO ( var abaixo) das proteínas ativam citocinas pró inflamatórias e inflamação crônica ou sub clínica está correlacionada com maior chance de desenvolvimento de Alzheimer e outra doenças degenerativas cerebrais . São registradas 35 milhões de mortes anualmente em todo o mundo, relacionadas à obesidade ou decorrentes do consumo exagerado de açúcar e outros nutrientes que frequentemente o acompanham, como as gorduras trans. E é no mais inesperado dos produtos que se encontra uma espantosa quantidade de açúcar: as bebidas adoçadas. Chás, sucos e refrigerantes enlatados ou em caixinhas são responsáveis por pelo menos 180 mil mortes anuais no planeta, segundo o estudo The global burden of disease, publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU). O custo para a saúde pública no Brasil também é estrondoso: quase R$ 500 milhões por ano, segundo estudo recente realizado por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB). Veja o vídeo “Muito além do peso” que aborda esta questão.

Glicação um processo um tanto complexo, em que estão envolvidos moléculas de glicose e de proteína. Uma reação química é estabelecida de forma que resultam moléculas deformadas e não funcionantes, que costumam se aglutinar. Esse processo é muitas vezes comparado a uma “caramelização”, ou seja: o composto final não pode retornar a um estado anterior, e esse novo resultante compromete os tecidos que está formando, deixando-os mais rijos e espessos. A pele envelhecida é um bom exemplo do tipo de aparência externa de um órgão afetado pela glicação.

6. Poluição do Ar

O maior consumidor de oxigênio no nosso corpo é o cérebro. Inalar ar poluído reduz o suprimento de oxigênio para o cérebro, causando uma diminuição na eficiência do cérebro e mesmo doenças mais graves com o mal de Alzheimer dizem pesquisadores da The University of Montana, Missoula, MT, USA. Além disso, diminui a memória de curto prazo, QI, e alteram as taxas metabólicas cerebrais em crianças expostas à poluição do ar.

7. Falar Raramente

A eficiência do cérebro pode ser promovida com conversas intelectuais. A falta de expressão verbal e raciocínio lógico derivado da conversação, leva à uma redução na capacidade cognitiva e neuroplástica do cérebro.

8. Deficiência alimentar de DHA

O ácido docosa-hexaenóico (DHA) é um ácido graxo ômega-3 vital para o desenvolvimento e manutenção da saúde. O DHA está presente em abundância nas células da retina e nos neurônios. A redução dos níveis de DHA no cérebro leva a um aumento da vulnerabilidade dos neurônios e por conseguinte, suas mortes. Cientistas da Universidade da Califórnia têm pesquisado como o consumo deste ácido detém a deterioração neuronal que causa o Alzheimer. A principal fonte natural de DHA são os peixes de águas frias, como salmão, linguado, cavala e sardinha, além de algas unicelulares como a Crypthecodinium cohnii. Um consumo adequado de alimentos com DHA e a compensação com a suplementação deve ser considerada por aqueles que desejam um cérebro ativo e uma memória exemplar ao longo de toda a vida.

9- Excesso de gordura abdominal

Excesso gordura principalmente a que fica acumulada na região abdominal pode estar ligado ao encolhimento do cérebro, de acordo com um estudo publicado na edição on-line de 9 de janeiro de 2019 do Neurology
 
Para o estudo, os pesquisadores determinaram a obesidade medindo o índice de massa corporal (IMC) e a relação cintura-quadril nos participantes do estudo e descobriram que aqueles com maiores proporções de ambas as medidas tinham o menor volume cerebral.
 
O encolhimento cerebral está relacionado a diminuição da memória e maior risco de demência.

Dez dicas importantes sobre a saúde cerebral

1. Encontre maneiras de mover seu corpo.

2. Reduza o estresse através do envolvimento em uma atividade diária interessante.

3. Mantenha uma atitude mental positiva.

4. Coma mais vegetais, frutas e grãos.

5. Evite alimentos fritos. Escolha cozido, assado, cozido no vapor e grelhados.

6. Passar por exames físicos regulares depois dos 40 anos.

7. O chá contém antioxidantes que neutralizam os “radicais livres” que estão relacionados com o câncer.

8. Inclua uma fruta e uma variedade de vegetais em sua refeição diária.

9. Faça do ato de comer uma experiência agradável! Envolva-se em uma conversa agradável na hora das refeições.

10. Aumento das atividades Incidentais – Pegue as escadas, caminhe ou ande, estacione mais longe, cozinhe o jantar em vez do delivery. As atividades com todo o corpo são as melhores.

 

Referências

http://www.umaoutravisao.com.br/secoes/Alimentacao/glicacao.htm

http://www.healthyfoodteam.com/brain-damaging-habits/

Influence of sleep deprivation and circadian misalignment on cortisol, inflammatory markers, and cytokine balance.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25640603

El consumo de ácidos grasos omega-3 frena el deterioro que causa el Alzheimer

http://www.elmundo.es/salud/2004/584/1094248805.html

Vitamin D and the omega-3 fatty acids control serotonin synthesis and action, part 2: relevance for ADHD, bipolar, schizophrenia, and impulsive behavior.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25713056

Neurophysiological effects of sleep deprivation in healthy adults, a pilot study.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25608023

Cigarette smoking and thinning of the brain’s cortex.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25666755

Decreases in Short Term Memory, IQ, and Altered Brain Metabolic Ratios in Urban Apolipoprotein ε4 Children Exposed to Air Pollution.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25633678

Megacities air pollution problems: Mexico City Metropolitan Area critical issues on the central nervous system pediatric impact.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25543546

Mark Hamer, G. David Batty. Association of body mass index and waist-to-hip ratio with brain structureNeurology, Jan. 9

Dr. Roberto no Instagram

Visualize as dicas e informações para uma vida mais saudável direto no Instagram


Acessar

Dr. Roberto no Facebook

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto
Dr. Roberto Franco do Amaral Neto
Médico CRM: 111370

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *